terça-feira, 27 de abril de 2010

Edwin Hubble

Edwin Powell Hubble era advogado de formação, mas sua dedicação à Astronomia acabou lhe roubando mais tempo que a carreira legal.
Foi também onde Hubble foi mais bem sucedido, tornando-se um do mais importantes astrônomos do século XX, a ponto de seu nome hoje estar associado ao mais famoso telescópio espacial – o segundo projeto mais caro de toda a história da ciência.
Hubble nasceu em 20 de novembro de 1889 numa pequena cidade do interior do Missouri, nos Estados Unidos. Com o avô aprendeu a gostar de Astronomia e viveu a ascensão de seu país à condição de potência mundial, durante a década de 1910.
Aos 21 anos, Hubble ganhou uma bolsa para estudar Direito em Londres, voltando aos Estados Unidos após se tornar bacharel. Ele jamais fez o exame da Ordem dos Advogados, necessário para exercer a profissão. Hubble gostava mesmo era de Astronomia, e sua formação em Direito fora apenas para agradar o pai. Aos 24 anos mudou-se para Chicago e foi trabalhar no Observatório de Yerkes, que possuía um telescópio refrator (luneta) de um metro de diâmetro, o maior já construído. Sua persistência e dedicação o fizeram ser convidado, mais tarde, para um cargo no Observatório de Monte Wilson, perto de Los Angeles, na Califórnia. Ali Hubble terminou seu doutorado em Astronomia.
Em 1917, com a Primeira Guerra Mundial, Hubble alistou-se no Exército e graças a sua excelente forma física e igual pontaria, serviu junto as tropas aliadas na França, no posto de major, mas sem nunca ter ído ao campo de batalha.
HUBBLE jamais definiu uma teoria sobre a EXPANSÃO DO UNIVERSO
Ao voltar para o Monte Wilson, Hubble dedicou-se a observação das galáxias, propondo um sistema de classificação que as subdivide em quatro grupos principais, segundo sua forma. Foi ele quem confirmou, incontestavelmente, que a Via Láctea é apenas uma entre bilhões de outras galáxias, que são como verdadeiros “universos-ilha” – centenas de bilhões de estrelas unidas gravitacionalmente.

Lei de Hubble

HUBBLE ESTUDOU A LUZ emitida pelas galáxias distantes, observando que o comprimento de onda em alguns casos era maior que aquele obtido em laboratório. Esse fenômeno, uma conseqüência do chamado Efeito Doppler, ocorre quando a fonte e o observador se movem. Quando se afastam um do outro, o comprimento de onda visto pelo observador aumenta, diminuindo quando fonte e observador se aproximam.
Em outras palavras, se uma galáxia estiver se aproximando, sua luz se desloca para o azul. Se estiver se afastando, para o vermelho. Em qualquer caso, a variação relativa do comprimento de onda é proporcional à velocidade da fonte.
Hubble deduziu que as galáxias se afastam umas das outras (desvio para o vermelho) e que a velocidade de distanciamento é tanto maior quanto maior a distância entre elas. Ele usou métodos precisos para determinar uma relação entre o deslocamento do comprimento de onda e a distância de uma galáxia. Essa relação que entrou para a história da ciência como a Lei de Hubble.
À sua revelia, a Lei de Hubble foi usada por aqueles que defendiam a expansão do Universo (Hubble jamais definiu uma teoria sobre isso). Hoje sabemos que o Efeito Doppler é apenas uma aproximação – é o próprio espaço quem cresce, aumentando o comprimento de onda e arrastando as galáxias. Muitos dos estudos quantitativos sobre a origem do Universo nasceram das idéias de Hubble aliadas as equações de Einstein. Edwin Hubble faleceu no ano de 1953.
Fonte:Astronomia no Zênite

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você achou interessante essa postagem deixe seu comentario!