Postagens

Mostrando postagens de Abril 18, 2011

Proeminência solar

Imagem
Crédito: Stefan Seip (copyright) - (http://www.photomeeting.de/astromeeting/_index.htm ). As proeminências solares podem atingir dimensões enormes, como é o caso desta que foi captada por Stefan Seip. Resultantes de grandes quantidades de plasma a serem expelidas para o espaço pelo Sol, as proeminências tendem as seguir as linhas de força do campo magnético da nossa estrela. A sua acção pode, por vezes, interferir com as comunicações na Terra. As proeminências solares são estruturas filamentares magnetizadas constituídas por plasma denso, relativamente frio (isto é, mais frio do que a superfície do Sol). Para saber mais sobre este e outros fenómenos característicos da nossa estrela, não deixe de visitar a exposição "Conhecer o Sol" organizada pelo NUCLIO e a Câmara Municipal de Cascais, patente no Centro de Interpretação Ambiental da Ponta do Sal em S. Pedro do Estoril durante este mês de Fevereiro. Fonte:http://www.portaldoastronomo.org/npod.php?id=3122

Planetas Improváveis II – Anãs Brancas

Imagem
Se até aqui as emissões de infravermelho dos discos das estrelas de neutrões indicam potencial de formação de planetas, nas anãs brancas essa radiação pode indicar a presença efetiva de corpos. Leia a matéria completa em:http://astropt.org/blog/2011/04/17/planetas-improvaveis-ii-anas-brancas/
Créditos: AstroPT

O Centro da Via Láctea no Infravermelho

Imagem
Crédito: 2MASS/G. Kopan, R. Hurt.
Telescópio: 2MASS (2 Micron All Sky Survey).
O centro da Via Láctea situa-se na direcção da constelação do Sagitário. A sua observação nos comprimentos de onda da luz visível é impossível devido à enorme quantidade de poeira que obscurece a luz das estrelas. No entanto esta imagem do projecto 2MASS, que cobre uma área de 10 x 8 graus, foi obtida nos comprimentos de onda do infravermelho próximo, conseguindo penetrar nas nuvens de poeira e revelar uma enorme quantidade de estrelas (cerca de 10 milhões nesta imagem). O centro da Via Láctea, visível perto do canto superior esquerdo da imagem, situa-se a cerca de 25.000 anos luz de distância e acredita-se albergar um buraco negro supermassivo. Cruzando a imagem vêem-se ainda algumas zonas muito densas de poeira e perto do canto inferior direito da imagem a nebulosa NGC 6334, uma zona de formação de estrelas. Fonte:http://www.portaldoastronomo.org/npod.php?id=3123

O Hubble Espia Através de Uma Lente Gravitacional

Imagem
O Telescópio Espacial Hubble das Agências NASA/ESA normalmente trabalha como um artista solo para registrar as imagens sensacionais do universo distante. Para essa imagem, contudo, o Hubble teve a ajuda para registrar um aglomerado de galáxias chamado LCDCS-0829, que é na verdade uma imensa massa de galáxias em aglomerado que funciona como uma gigantesca lente de aumento. Esse estranho efeito é chamado de lente gravitacional. O objeto foi descoberto durante o projeto Las Campanas Distant Clusters Survey, o que explica o nome diferente do aglomerado. Essa pesquisa foi desenvolvida em Março de 1995, usando o telescópio de 1 metro do Observatório de Las Campanas no Chile. Mais de mil aglomerados de galáxias, a maior parte deles desconhecidos anteriormente, foram descobertos em uma pesquisa dedicada de uma longa, mas estreita seção do céu do hemisfério sul. O fenômeno bizarro da lente gravitacional é uma consequência da teoria geral da relatividade de Albert Einstein, que diz que a grande…

Cientistas confirmam: estrela de Orion está diminuindo

Imagem
Foto: No topo, carta celeste mostra a constelação de Orion, com as Três-Marias ao centro e Betelgeuse em um dos vértices.Créditos: Apolo11.com/Nasa/Hubble Space Telescope. Orion é uma constelação que as pessoas aprendem a reconhecer desde pequeno. Formada pelas "Três-Marias" cercadas por quatro estrelas de grande brilho, a constelação apresenta um desenho simétrico belo e harmonioso, mas alguma coisa bastante estranha está acontecendo ali e uma das estrelas mais conhecidas está simplesmente diminuindo de tamanho. Apesar de estar a 500 anos-luz de distância, Betelgeuse é uma das estrelas mais brilhantes do firmamento. Classificada como gigante vermelha, a estrela é 900 vezes maior que o Sol e se fosse colocada dentro Sistema Solar cobriria toda a região entre a Terra e o planeta Saturno.

 No entanto, um estudo recente feito por cientistas da Universidade de Berkeley, nos EUA, mostrou que Betelgeuse está diminuindo de diâmetro e nos últimos 15 anos encolheu 15% seu tamanho. O e…

Observatório não detecta partículas de matéria escura

Imagem
Os cientistas teorizaram que poderiam detectar as partículas de matéria escura quando elas se chocassem com os átomos de xenon. Mas não foi isto o que aconteceu.[Imagem: Zina Deretsky/NSF]
Partículas de matéria escura
Quando instalaram um equipamento ultra-sensível nas profundezas de uma mina subterrânea na Itália, os cientistas esperavam detectar as partículas que constituem a matéria escura. As teorias atuais afirmam que a matéria escura compõe mais de 80% de toda a massa do Universo. Mas ela é invisível a qualquer instrumento já construído pelo homem, sendo detectada apenas indiretamente, pelos seus efeitos gravitacionais. O melhor candidato para ser o "átomo da matéria escura" é o chamado WIMP, do inglês Weakly Interacting Massive Particle, partícula maciça fracamente interativa. Para detectá-lo, físicos do Instituto Nacional Italiano de Física (INFN) construíram o experimento Xenon100.
Detector de matéria escura
Xenon100 é um detector ultra-sensível, construído com camadas …

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...