Postagens

Mostrando postagens de Julho 28, 2011

Os maiores mistérios das luas do gigante Júpiter

Imagem
O maior planeta do sistema solar, Júpiter, também possui a maior quantidade de luas: incríveis 64 satélites atualmente catalogados. A maioria das luas são pedras pequenas e irregulares: aparentemente, asteroides capturados pela gravidade de Júpiter, que se espalham sobre o planeta gigante como abelhas em torno de uma colmeia. Entretanto, quatro das luas de Júpiter são na verdade bastante substanciais – tanto que podem ser vistas através de um telescópio rudimentar. A prova disso é que o primeiro observador das luas foi o inventor do telescópio em si, o astrônomo italiano Galileu Galilei, o que as deixou conhecidas como as “luas de Galileu” em 1610: Io, Europa, Ganímedes e Calisto. Juntas, essas quatro luas compreendem mais de 99,9% da massa dos satélites de Júpiter. Cada uma tem um caráter distintivo, e todas são enigmas científicos. Conheça alguns dos mistérios das principais luas de Júpiter:
Io, a lua hiperativa - Ioé a mais próxima das luas galileanas de Júpiter. Esta proximidade aj…

Por que não pode haver velocidade maior que a da luz?

Imagem
A luz do Sol, demora aproximadamente 8 minutos a chegar à Terra. Nenhum objeto consegue ultrapassar 1,08 bilhão de km/h - a velocidade da luz no vácuo - porque todos os corpos ganham massa conforme sua rapidez aumenta. À primeira vista, essa idéia parece absurda: como é possível ficarmos mais pesados à medida que nos movimentamos mais rápido? A verdade é que esse efeito só é perceptível quando a velocidade é muito, muito alta. Imagine que você pudesse correr a 1,07 bilhão de km/h, o equivalente a 99,9% da velocidade da luz. A essa rapidez estonteante, sua massa cresceria espantosamente: um corpo de 80 quilos, digamos, passaria a ter quase 2 toneladas! Isso acontece porque energia e massa estão intimamente ligadas. De acordo com a célebre fórmula do fisíco alemão Albert Einstein, E = MC2 (onde "E" representa a energia e "M", a massa), se a energia de alguma coisa aumenta, sua massa vai crescer também. O segredo é que, quando um objeto aumenta de velocidade, isso sign…

Cientistas esclarecem um dos mistérios da coroa do Sol

Imagem
A temperatura alcança aproximadamente 6 mil ºC na superfície do Sol Foto: Nasa/Divulgação Um estudo publicado nesta quinta-feira explica por que a coroa do Sol alcança temperaturas centenas de vezes superiores a partes do astro que encontram-se muito mais perto do núcleo, que produz o calor. Para aquecer a coroa solar a vários milhões de graus e acelerar a centenas de quilômetros por segundo os ventos solares que se propagam em todas as direções, inclusive em direção à Terra, é preciso energia, escrevem Scott McIntosh, do Centro Nacional Americano de Pesquisa Atmosférica, e outros pesquisadores na revista Nature. A temperatura alcança aproximadamente 6 mil ºC na superfície do Sol e dois ou três milhões de ºC na coroa, apesar desta última se encontrar muito mais longe do núcleo do astro, onde ocorrem as reações nucleares que produzem o calor. Hannes Alfven, um físico sueco que recebeu o prêmio Nobel em 1970, estimou que há ondas que transportam esta energia por linhas do campo magnético…

Nasa lança missão a Júpiter em 5 de agosto

Imagem
Sonda Juno vai investigar a formação do planeta gasoso.Nave deve chegar ao planeta em 2016.
Composição artística mostra a sonda espacial em órbita de Júpiter (Foto: NASA/JPL) A Nasa decidiu lançar sua missão a Júpiter no dia 5 de agosto. A sonda espacial Juno deve chegar ao maior planeta do Sistema Solar daqui cinco anos, em 2016. O objetivo é investigar a origem, a estrutura e atmosfera do gigante gasoso. E fazer belas imagens em close do planeta. Os cientistas esperam ter, pela primeira vez, fotografias detalhadas dos pólos de Júpiter. O lançamento da nave pode ocorrer entre 12h34 (horário de Brasília) até 13h33. Se as condições climáticas não permitirem, a janela de oportunidade para a decolagem fica aberta até dia 26 de agosto. Os cientistas esperam que a nave ajude a entender a formação do Sistema Solar. Júpiter é o maior planeta de nossa vizinhança, onze vezes maior do que a Terra e com uma massa maior que duas vezes todos os outros planetas juntos. Assim como Saturno, Urano e Net…

WISE descobre primeiro dos chamados asteróides Troianos da Terra

Imagem
Conceitodeste artistailustrao asteróideTrojanprimeiro conhecidoda Terra, descoberto porNeowise O asteróide é mostrado em cinza ea sua órbita extrema é mostrada em verde. Órbita da Terra em torno do sol é indicado por pontos azuis. Crédito da imagem: Paul Wiegert, University of Western Ontário, Canadá
Astrônomos estudando as observações feitas com a missão Wide-field Infrared Survey Explorer da NASA, ou WISE descobriram o primeiro conhecido asteróide Troiano orbitando o Sol juntamente com a Terra. Os Troianos são asteróides que compartilham sua órbita com um planeta próximo a pontos estáveis em frente ou atrás do planeta. Pelo fato deles estarem na mesma órbita do planeta eles nunca colidem com ele. No nosso Sistema Solar, asteróides Troianos também compartilham órbitas com Netuno, Marte, e Júpiter. Duas das luas de Saturno compartilham órbita com asteróides Troianos. Os cientistas já haviam previsto que a Terra deveria ter Troianos, mas eles tiveram dificuldades em encontrá-los pois el…

VST Observa o Tripleto de Leão - e Mais Além

Imagem
Trio degaláxiasna constelação deLeo (O Leão), juntamente comuma infinidade deobjetos mais fracos.Esta imagem é uma composição criada pela combinação de exposições tomadas através de três filtros diferentes. Luz que passa através de um filtro infravermelho próximo era de cor vermelha, luz na parte vermelha do espectro é de cor verde, e verde é cor magenta.créditos:ESO / INAF-VST / OmegaCAM. Agradecimento: OmegaCen / Astro-WISE / Instituto Kapteyn
Uma imagem enorme do VLT Survey Telescope (VST) e da sua câmara OmegaCAM, instalados no Observatório do Paranal do ESO, mostra três galáxias brilhantes na constelação do Leão. São, no entanto, os objetos ténues que aparecem no plano de fundo, em vez das galáxias em primeiro plano, que captam a atenção dum astrónomo. A imagem extremamente nítida destes objetos pouco luminosos obtida pelo VST atesta o poder do telescópio e da OmegaCAM para mapear o Universo distante. O VST é a adição mais recente ao Observatório do Paranal do ESO. É um telescópio…

Nebulosas NGC 6188 e NGC 6164

Imagem
Formas fantástica se escondem nas nuvens de gás hidrogênio brilhante na NGC 6188. A nebulosa de emissão pode ser encontrada próxima da borda de uma grande nuvem molecular, invisível no comprimento de onda da luz visível, na constelação do sul Ara, a aproximadamente 4000 anos-luz de distância da Terra. Estrelas jovens massivas da associação mergulhada AraOB1 foram formadas nessa região somente a poucos milhões de anos atrás, esculpindo as formas escuras e energizando o brilho da nebulosa com ventos estelares e intensa radiação ultravioleta. A recente formação de estrelas propriamente dita foi provavelmente disparada pelos ventos e por explosões de supernovas, de gerações anteriores de estrelas massivas, que varreram e comprimiram o gás molecular. Acompanhando a NGC 6188 nessa pintura cósmica, está a rara nebulosa de emissão, NGC 6164, também criada por uma das estrelas massivas do tipo O da região. Similar em aparência com muitas nebulosas planetárias, o destaque da NGC 6164 é a mortal…

Telescópio espacial flagra buraco negro em ação

Imagem
Imagem ajuda a entender comportamento do corpo celeste. Buraco negro está em galáxia a 32 milhões de anos-luz da Terra.
Imagem detalha o buraco negro no centro da galáxia NGC 3115 (Foto: NASA/CXC/Univ. of Alabama/K. Wong et al; Optical: ESO/VLT) O Telescópio Espacial Chandra fez a primeira imagem em raios-X de gás cósmico sendo absorvido por um buraco negro. A fotografia ajuda astrônomos a entender o crescimento e o comportamento dos buracos negros, segundo a agência espacial americana (Nasa). O buraco negro estudado fica no centro de uma grande galáxia a 32 milhões de anos-luz da Terra, conhecida como NGC 3115. Estudos anteriores já tinham mostrados material sendo sugado pelo buraco, mas nunca antes uma imagem tinha deixado tão claro que se tratava de gás quente. Isso empolga os cientistas porque ajuda a medir o tamanho do buraco negro: cerca de dois milhões de vezes maior do que o nosso Sol.

Imageando o gás quente em distâncias diferentes desse supermassivo buraco negro, os astrônomos …

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...