Postagens

Mostrando postagens de Agosto 2, 2011

Como funciona o ciclo solar?

Imagem
Essa linda estrela de fogo pode estar a 149 milhões de quilômetros de distância de nós, mas tudo o que ela faz tem consequências na Terra, razão pela qual os cientistas estudam as mudanças na atividade solar. O sol tem ciclos: seu temperamento varia a cada 11 anos. Normalmente, leva cerca de 5 anos e meio para a estrela mais próxima de nós passar do período silencioso do “mínimo solar” para o mais turbulento “máximo solar”.  Uma das maneiras de controlar o ciclo solar é estudar a superfície do sol. Nela, pode-se encontrar manchas escuras, chamadas manchas solares. Essas manchas de curta duração são causadas por intensa atividade magnética e tendem a se agrupar em faixas nas latitudes médias acima e abaixo do equador. Uma vez que os telescópios foram inventados, um censo de manchas solares tem sido relativamente constante. Em 1849, astrônomos do Observatório de Zurique começaram a observar as manchas diariamente. Hoje, centros na Bélgica e nos EUA acompanham de perto a atividade solar.…

O que aconteceria com a Terra se a Lua se afastasse?

Imagem
Seria o inferno. Para começar, os dias seriam 48 vezes mais longos. Durante a noite, as temperaturas matariam todo mundo de frio. Ao longo do dia, ninguém suportaria o calor. No litoral, ventos violentíssimos de 200 km/h seriam uma brisa comum. Algum sinal de vida? Esquece: não sobraria quase nada, a não ser bactérias e vermes super-resistentes. Tudo isso mostra como a Terra é dependente dessa bola estéril de minerais que chamamos de Lua. Só para dar uma idéia, antes de o satélite começar a orbitar nosso planeta, um dia durava algo entre seis e oito horas. De lá para cá, a interação com a Lua vem freando a rotação do planeta. Pela mecânica celestial, isso acontece conforme o satélite se afasta. E olha que ele já esteve bem perto: há mais de 4 bilhões de anos, estima-se que a Lua ficava a apenas 25 mil quilômetros da Terra - hoje, a distância é 15 vezes maior. Com essa fuga, a velocidade de rotação do planeta foi diminuindo aos poucos. Em cerca de 3 bilhões de anos, a duração do dia já…

Asteróide Vesta em Full Frame

Imagem
Créditos e direitos autorais : NASA, JPL-Caltech, UCLA, MPS, DLR, IDA Por que a porção norte do asteróide Vesta é mais craterada do que a sul? Ninguém tem certeza ainda. Este mistério inesperado veio à tona apenas nas últimas semanas, desde que a missão robótica Dawn tornou-se a primeira espaçonave a orbitar o segundo maior objeto do cinturão de asteróides entre Marte e Júpiter. A porção norte de Vesta, vista na parte superior esquerda da imagem acima, parece mostrar uma das craterações mais densas do Sistema Solar, enquanto a porção sul é inesperadamente suave. Também desconhecidas são a origem dos sulcos que circulam o asteróide perto do seu equador, particularmente visíveis neste filme da rotação de Vesta, e a natureza dos riscos escuros que delineiam algumas das crateras de Vesta, por exemplo, a cratera logo acima do centro da imagem. À medida que a nave Dawn espirala na direção de Vesta durante os próximos meses, algumas respostas podem surgir, bem como imagens em cores com maior…

Redemoinho com 12 vezes a altura da Terra é gerado pelo sol

Imagem
Um satélite da NASA flagrou em vídeo um deslumbrante e enorme tornado de plasma levantando-se a partir da superfície do sol. O vídeo, gravado pelo Observatório Solar Dinâmico (Dynamics Solar Observatory), mostra uma erupção de plasma que gira como um furacão até a uma altura vertiginosa de 150 mil quilômetros acima da superfície solar. Essa altura equivale a aproximadamente 10 a 12 Terras. O tornado solar ocorreu quando uma erupção de plasma magnético, chamado de proeminência, surgiu a partir do sol em um redemoinho gracioso que se dividiu em quatro vertentes distintas que se torceram em um nó antes de desaparecer. Todo o evento durou apenas algumas horas. O Observatório Solar estava acompanhando a erupção de um ângulo que pegou em destaque a ascensão do redemoinho do sol em um arco, curvando-se sobre si mesmo e se fechando novamente, formando um vasto laço.  Dizem que ver esse fenômeno é como torcer elásticos que se entrelaçam formando um nó que desponta. Só que em proporções bem men…

Sonda Dawn da NASA Começa Os Trabalhos Científicos no Asteroide Vesta

Imagem
A sondaDawn da NASA, a primeira a orbitar um objeto localizada no chamado cinturão principal de asteroides do Sistema Solar, está espiralando em direção da sua primeira de quatro intensivas órbitas científicas que fará ao redor do asteroide. A órbita inicial do mundo rochoso conhecido como Vesta, começa no dia 11 de Agosto a uma altitude de aproximadamente 2700 quilômetros e irá fornecer análises profundas do asteroide. Leia Completo em: http://cienctec.com.br/wordpress/?p=15934 Ciência e Tecnologia

A Nebulosa IC 2948

Imagem
Créditos & Direitos autorais:SteveCrouch Brilhantes nebulosas abundam ao redor e na própria expansiva constelação do céu do sul Centaurus. Essa nebulosa mostrada na imagem acima é catalogada como IC 2948/2944 e está localizada próxima da estrela Lambda Centaruri (um pouco acima fora da imagem) e não muito distante no céu da conhecida Nebulosa Eta Carinae. Mergulhada na nuvem de brilho avermelhado de gás de hidrogênio, típicas de nebulosas de emissão onde são encontradas regiões de formação de estrelas, está o energético e jovem aglomerado estelar Collinder 249. Visto através de sua silhueta próximo da parte superior da imagem estão pequenas nuvens escuras de poeira cósmica obscurecida. Chamados de Glóbulos de Thackeray, pela sua descoberta, esses locais são pontos potenciais para a formação de novas estrelas, mas estão provavelmente sendo erodidos pela intensa radiação emitida pelas jovens estrelas próximas. Se observar com cuidado no centro da região, você pode descobrir o porque …

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...