Quão grande um meteoro precisa ser para chegar ao solo?

Cratera feita por choque de meteoro no Vale da Morte, na Califórnia
Se você já passou um bom tempo olhando para o céu à noite, provavelmente, deve ter observado alguns meteoros ou chuvas de meteoros espetaculares. Uma das coisas mais surpreendentes a respeito dessas observações é que a maioria dos detritos espaciais que tornam os meteoros visíveis é minúscula - entre o tamanho de um grão de areia e o tamanho de um pequeno pedregulho. Discutir a atividade dos meteoros pode ser complexo porque a terminologia é confusa. O termo meteoro na verdade se refere ao rastro de luz causado por um pedaço de detrito espacial queimando na atmosfera. Os pedaços dos detritos são chamados de meteoróides e os restos dos detritos que alcançam a superfície da terra (ou de outro planeta) são chamados de meteoritos.

Os meteoróides possuem uma variação de tamanhos. Eles incluem qualquer detrito espacial maior do que uma molécula e menor do que aproximadamente 100 m (detritos espaciais maiores do que isto são considerados asteróides). Mas a maioria dos detritos que entram em contato com a terra é a "poeira" desprendida pelos cometas viajando através do sistema solar. Essa poeira tende a ser feita de partículas bem pequenas. E como podemos ver um meteoro causado por uma partícula tão pequena de matéria? Acontece que o que esses meteoróides perdem em massa, ganham em velocidade, e é isso que causa o rastro de luz no céu. Os meteoróides entram na atmosfera a velocidades extremamente altas - 11 a 72 km/s. Eles podem viajar nesta velocidade muito facilmente no vácuo do espaço porque não há nada para detê-los. A atmosfera da terra, por outro lado, é cheia de matéria, o que cria um grande atrito para um objeto que viaja. Esse atrito gera calor suficiente (até 1.649ºC) para elevar a superfície do meteoróide até seu ponto de ebulição, de modo que o meteoróide é vaporizado, camada por camada.

O atrito quebra as moléculas do material do meteoróide e da atmosfera em partículas ionizadas brilhantes, que se recombinam, liberando energia luminosa para formar a "cauda" brilhante. A cauda de um meteoro causada por um meteoróide do tamanho de um grão, tem aproximadamente um metro de largura, mas devido à alta velocidade dos detritos, pode ter quilômetros de comprimento.  E quão grande um meteoróide precisa ser para chegar até a superfície da terra? Surpreendentemente, a maioria dos meteoróides que chegam até o chão são especialmente pequenos - de detritos microscópicos a pedaços do tamanho de uma partícula de poeira. Eles não se vaporizam porque são leves o suficiente para diminuirem a velocidade facilmente. Movendo-se a aproximadamente a 2,5 cm por segundo, através da atmosfera, eles não sentem o atrito intenso que os meteoróides maiores atingem. Neste caso, todos os meteoróides que entram na atmosfera conseguem chegar até o chão, na forma de poeira microscópica.

E para meteoróides grandes o suficiente para formar meteoros visíveis, as estimativas variam para o tamanho mínimo. Isso acontece porque existem outros fatores envolvidos que não o tamanho. Notoriamente, a velocidade de entrada de um meteoróide afeta suas chances de alcançar a superfície, porque ela determina a quantidade de atrito sofrido pelo meteoróide. Normalmente, todavia, um meteoróide deveria ser aproximadamente do tamanho de uma bola de gude para que uma porção dele possa alcançar a superfície da terra. Partículas menores queimam na atmosfera a aproximadamente 8 a 120 quilômetros acima da terra. Os meteoritos que uma pessoa poderá encontrar no chão, provavelmente vieram de meteoróides significativamente maiores - pedaços de detritos de pelo menos o tamanho de uma bola de basquete, já que os meteoróides maiores se quebram em pedaços menores à medida que viajam através da atmosfera.
Fonte: Howstuffworks

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton