A NGC 6384 – Uma Galáxia Espiral Barrada em Ophiuchus

Crédito da imagem: ESA / Hubble e NASA
A NGC 6384 é uma galáxia do tipo espiral barrada com aproximadamente 150000 anos-luz de diâmetro, localizada a aproximadamente 80 milhões de anos-luz de distância da Terra na constelação de Ophiucus. Ela está se afastando de nós a uma velocidade de 1680 quilômetros por segundo. O posicionamento da NGC 6384 não muito distante do centro da Via Láctea no céu, significa que ela é de alguma forma obscurecida pela poeira e pelas estrelas da nossa galáxia. Combinado com o baixo brilho superficial da galáxia, a NGC 6384 é um alvo desafiante para os astrofotógrafos. A imagem acima, detalhada, mostra a região central da galáxia que tem aproximadamente 70000 anos-luz de largura.

 A imagem nítida mostra detalhes nos braços espirais azuis da galáxia e em seu núcleo amarelado. ainda assim, as estrelas visíveis na imagem acima estão todas em primeiro plano, dentro da nossa própria galáxia. As estrelas mais brilhantes da Via Láctea mostram cruzes notáveis, os chamados spikes de difração, causados pelo próprio telescópio. Enquanto muitas estrelas já estão a caminho do final de suas vidas na NGC 6384, no centro, a formação de estrelas está sendo alimentada pela estrutura barrada da galáxia. Os astrônomos acreditam que essas barras galácticas afunilam o gás, acumulando-o de modo a formar novas estrelas. Em 1971, nós pudemos testemunhar uma supernova do Tipo Ia na NGC 6384, que se destacou até mesmo contra as brilhantes estrelas do primeiro plano, quando uma de suas estrelas explodiu.

Uma supernova acontece quando uma estrela explode na fase final de sua vida. Uma supernova do Tipo Ia é o resultado da violenta explosão de uma estrela anã branca, uma estrela compacta que encerrou a fusão em seu núcleo. A anã branca aumenta sua massa além de um limite crítico aglutinando matéria de uma estrela companheira. Uma explosão nuclear faz com que a estrela repentinamente fique mais brilhante que toda a galáxia, antes dela gradativamente apagar. As explosões de supernovas estão enriquecendo o gás intergaláctico com elementos como oxigênio, ferro e silica, elementos esses que serão incorporados em novas gerações de planetas e estrelas. A imagem detalhada acima foi criada a partir de outras imagens feitas com o Wide Field Channel da Advanced Camera for Surveys do Telescópio Espacial Hubble. Uma imagem feita com um filtro azul (colorida em azul) foi combinada com uma imagem feita com o filtro do infravermelho próximo (colorida em vermelho).
Fonte: http://cienctec.com.br  
http://annesastronomynews.com

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton