Postagens

Mostrando postagens de Abril 19, 2012

O Quasar que Construiu uma Galáxia

Imagem
O que veio primeiro, o quasar ou a galáxia? Astrônomos têm acreditado por muito tempo que galáxias jovens alimentam buracos negros no seu núcleo, até que esses buracos negros tornam-se quasares, que são fontes de energia incrivelmente massivas e poderosas. Porém, os cientistas têm agora encontrado um quasar que está aparentemente perdendo estrelas devido a ausência de uma galáxia hospedeira. A descoberta sugere que os quasares criaram no mínimo algumas galáxias. Esse é um resultado extremamente importante se for confirmado e pode nos levar a uma nova visão do início do universo, disse o astrônomo Cristopher Reynolds da Universidade de Maryland. Quasares, abreviação em inglês para objetos quase estelares, têm por muitos anos quebrado a cabeça dos astrônomos. Compactado numa área menor que o nosso sistema solar, um quasar típico emite muito mais energia e calor – alguns deles na forma de jatos de matéria que viajam no espaço próximo a velocidade da luz – do que algumas galáxias. Diferent…

Exploração de luas de Júpiter pode ser próxima missão espacial da Europa

Imagem
Projeto Juice é o favorito para a seleção da Agência Espacial Europeia; decisão sai em 2 de maio Satélite europeu seria o primeiro a estudar luas congeladas.ESA/BBC A próxima grande empreitada da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) pode ser o estudo das luas congeladas de Júpiter. Embora o comitê responsável só vá se decidir sobre os próximos programas em maio, a missão Juice, como foi batizada, é a preferida para vencer a Cosmic Vision, competição que escolhe os projetos apoiados pelo órgão. A Juice consiste na construção de um satélite altamente equipado, capaz de viajar além do Sistema Solar e chegar até o Júpiter e conduzir um estudo em três de suas luas. A missão usaria a gravidade do gigante gasoso para uma série de sobrevoos nas luas de Callisto, Europa e Ganymede. A ênfase é descobrir se os satélites têm condições físicas para a existência de vida. A missão, que teria início previsto para 2022, porém, concorre com outras duas. A Athena propõe a construção do maio…

Estrelas podem capturar planetas errantes

Imagem
Estudo realizado por Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian e Universidade de Pequim Os planetas solitários foram 'expulsos' dos sistemas planetários onde se formaram Milhões de estrelas da nossa galáxia podem capturar planetas solitários (também conhecido como planetas órfãos) do espaço. Esses mundos nómadas foram 'expulsos' dos sistemas planetários onde se formaram, podendo encontrar uma nova 'casa' num outro sistema. Esta descoberta pode explicar a existência de planetas que orbitam muito longe das suas estrelas, e até mesmo a existência dos chamados sistema binários. O estudo, realizado por Hagai B. Perets, do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian, e Thijs Kouwenhoven, da Unversidade de Pequim, será publicado no «The Astrophysical Journal». Os investigadores simularam aglomerados de estrelas jovens que continham planetas a flutuar livremente.
Descobriram que quando o número de planetas solitários iguala o número de estrelas, então, entre três e seis po…

Aumenta mistério sobre origem dos raios cósmicos

Imagem
O IceCube é um incrível laboratório de um quilômetro cúbico construído do meio do gelo da Antártica. [Imagem: IceCube]
Neutrinos não encontrados
Não bastasse os astrônomos não terem encontrado matéria escura ao redor do Sol, os físicos também não encontraram neutrinos nas colossais explosões conhecidas como erupções de raios gama (ou GRB: gamma-ray bursts).  E é justamente lá onde as teorias afirmavam ser mais provável que os neutrinos fossem encontrados. A constatação é da equipe do Observatório IceCube, um incrível laboratório de um quilômetro cúbico construído do meio do gelo da Antártica. O IceCube possui 5.160 módulo ópticos digitais capazes de rastrear múons com muita precisão. Múons são equivalentes mais pesados dos elétrons, que são criados quanto os neutrinos colidem com átomos no gelo.  "Segundo o modelo mais aceito, nós deveríamos observar 8,4 eventos correspondentes à produção de neutrinos de uma explosão de raios gama nos dados do IceCube usados para esta busca," …

Os Filamentos da Nebulosa Cygnus Loop

Imagem
Crédito de imagem: NASA / JPL-Caltech Pequenos filamentos de gás e poeira aquecidos brilham nessa bela imagem ultravioleta da Nebulosa Cygnus Loop, feita pelo Galaxy Evolution Explorer da NASA. A nebulosa localiza-se a aproximadamente 1500 anos-luz de distância da Terra, e é a parte remanescente de uma supernova, ou seja, o que restou de uma massiva explosão estelar ocorrida a aproximadamente 5000 a 8000 anos atrás. A Nebulosa Cygnus Loop se estende por um diâmetro maior que três vezes o tamanho da Lua Cheia no céu noturno, e está localizada perto de uma das asas do cisne na constelação de Cygnus. Os filamentos de gás e poeira visíveis aqui na luz ultravioleta foram aquecidos pela onda de choque que se originou na explosão da supernova, e que ainda está se expandindo a partir do ponto original da explosão. A supernova original deve ter sido brilhante o suficiente para ter sido vista com tranquilidade a olho nu aqui da Terra. Fonte: http://www.nasa.gov/multimedia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...