Grandes Missões da Nasa - Estações Espaciais

O conceito de um ambiente espacial tripulado orbitando a Terra existe há mais de 100 anos. A NASA desenvolveu estações espaciais com base em enormes projetos feitos de borracha nos anos de 1950 e início dos anos de 1960. Mas as viagens de longa duração ao espaço começaram em 1973, quando a NASA lançou a Skylab. Foi o primeiro posto avançado tripulado norte-americano. Desde então, a cooperação global construiu a maior estrutura no espaço, a Estação Espacial Internacional. As lições aprendidas com estas duas estações espaciais estão ajudando o homem à regressar à Lua e até empreender missões prolongadas a Marte. 

 
Skylab
A Skylab era um enorme satélite, uma estação experimental de 77,5 toneladas que permaneceu na órbita da Terra durante apenas seis anos. Seu principal objetivo consistia em demonstrar que os seres humanos podiam viver e trabalhar no espaço durante longos períodos de tempo, com a intenção de expandir nossos conhecimentos sobre a astronomia solar. Para isso, ela dispunha de um laboratório para estudar os efeitos da microgravidade e de um observatório solar. Três equipes de três astronautas visitaram a Skylab, habitando na estação espacial em missões de 28, 59 e 84 dias, respectivamente. Durante este período de tempo, foram realizados aproximadamente 300 experimentos técnicos e científicos, incluindo a análise dos efeitos das explosões solares sobre a Terra e experimentos médicos que investigaram as demandas fisiológicas dos astronautas no espaço. Devido ao efeito prolongado da ausência de gravidade sobre seus corpos, os astronautas ficavam fracos demais para permanecer em pé depois de regressar de missões mais longas. Os equipamentos para exercícios se tornaram um requisito em todas as missões espaciais de longa duração.
 
Síndrome do edifício doente
As plantas foram introduzidas nas dependências da Skylab quando os cientistas descobriram que 107 componentes voláteis orgânicos – como o formaldeído e o bezeno - utilizados na construção da estação espacial ficavam presos e não conseguiam circular. Depois que as plantas folíferas foram introduzidas, os testes demonstraram que a qualidade do ar havia melhorado e que os sintomas descritos pela tripulação haviam desaparecido.
 
A Estação Espacial Freedom
Em 1984, o presidente Reagan anunciou os planos para uma nova Estação Espacial norte-americana, uma versão da bem-sucedida estação espacial russa Mir. No entanto, o projeto denominado “Estação Espacial Freedom” só seria oficialmente lançado em 1988. A Estação Espacial Freedom seria permanentemente tripulada, orbitando a Terra como um posto avançado que serviria como base de reparos para a frota de ônibus espaciais, laboratório de microgravidade e ponto de observação para os astrônomos. Também funcionaria como uma estação de montagem para espaçonaves que viajariam distâncias ainda maiores. No entanto, o projeto estourou o orçamento, possuía um design pouco realista e enfrentou uma acirrada oposição política. O programa terminou, inacabado, no final de 1990. Apesar da Estação Espacial Freedon nunca ter saído do papel, alguns de seus elementos fundamentais foram aplicados à Estação Espacial Internacional e ao programa Constellation.
 
Estação Espacial Internacional
 
A Estação Espacial Internacional foi projetada como uma rede modular de ambientes de trabalho habitáveis que orbita permanentemente a Terra. É um laboratório científico primordial que serve como ponto de partida para a exploração lunar e interplanetária. Ela foi programada para integrar o programa do ônibus espacial, e pela primeira vez, empregou a cooperação internacional para sua construção e manutenção.  Todas as agências especiais, entre elas, a NASA (Administração Nacional de Aeronáutica e do Espaço), a RKA (Agência Federal Espacial Russa), a JAXA (Agência de Exploração Aerospacial Japonesa),a CSA (Agência Espacial Canadense) e a ESA (Agência Espacial Européia) contribuíram para o programa. Zarya foi o primeiro módulo da Estação Espacial lançado na órbita da Terra, em 1998. Algumas semanas mais tarde, o módulo Unity foi enviado pelo ônibus espacial Endeavour. No ano 2000, a Rússia equipou o Zvezda com habitações para a tripulação, incluindo a cabine para dormir, equipamento para realizar exercícios, banheiro, pia e uma mesa de cozinha. A primeira tripulação chegou pouco depois.As tripulações internacionais entregaram cargas e suprimentos para manter e operar a estação espacial. Elas continuarão a incorporar componentes ao longo de onze missões futuras, até completar o programa no ano de 2010.
 
Vida a bordo
Os astronautas que visitam a Estação Espacial Internacional devem se exercitar duas horas por dia para compensar os efeitos da falta de gravidade em seus corpos. A maior contribuição da Agência Espacial Européia é o laboratório Columbus. É a mais nova instalação da da ISS e possibilita todo tipo de experimentos científicos, incluindo a utilização e o teste de equipamentos desenvolvidas para a exploração espacial durante longos períodos de tempo, os efeitos da microgravidade sobre os astronautas e o estudo das ciências dos materiais e da física de fluidos. Instrumentos externos do Columbus também permitem uma ampla variedade de experimentos exobiológicos e um estudo aprofundado do Sol.
Fonte:Discovery Brasil

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton