Foram detectados no espaço os primeiros indícios de matéria escura

Os primeiros resultados oferecidos pelo Espectrômetro Magnético Alfa (AMS), podem indicar os primeiros sinais da existência de matéria escura.
O instrumento utilizado para medir radiações cósmicas, AMS, custou 4 bilhões de reais e está instalado na Estação Espacial Internacional (ISS),A matéria escura é uma substância invisível, correspondendo a cerca de um quarto do Universo. É difícil de detectar, exceto quando muito raramente interage com a matéria visível. As evidências sobre a matéria escura são hipotéticas e baseadas em técnicas experimentais e observações de astrofísicos. Segundo as leis da Física, as estrelas, planetas, deveriam se movimentar lentamente à medida que se afastam do centro, porém, para as equações da física fazerem sentindo, existe uma força adicional identificada por ser a matéria escura.
 
Instalado desde Maio de 2011, os dados do AMS detectaram mais presença de antimatéria do que matéria. Além disso, o instrumento fornece evidências para um novo fenômeno físico, partículas de alta carga energética formada por elétrons e pósitrons juntos, o que pode ser um ponto de colisão entre partículas de matéria escura. O AMS detectou em um ano e meio, cerca de 25 bilhões de raios cósmicos, desses 6,8 milhões são elétrons e pósitrons, incluindo 400.000 pósitrons avaliados separadamente. Esta é a maior coleção de partículas de antimatéria registrada no espaço. Os dados indicam aumento na energia dos pósitrons, mas sem variações significativas no tempo ou direção.
 
 Estes resultados são consistentes com a ideia de que os pósitrons são provenientes da aniquilação de partículas de matéria escura no espaço, mas ainda não são suficientemente conclusivos para descartar outras explicações. "Nos próximos meses, o AMS será capaz de nos dizer com certeza se esses pósitrons são sinais de matéria escura ou se eles têm outra origem", explicou Samuel Ting, ganhador do Nobel e porta-voz dos estudos.Segundo um artigo publicado por Garisto, editor da revista de física Physical Review Letters:
 
“Não importa o que as medições AMS finalmente anunciem - seja a matéria escura ou algo mais - os resultados não teriam sido possíveis sem a plataforma da Estação Espacial Internacional, um laboratório orbital que custou 100 bilhões de dólares, onde uma equipe de três a seis astronautas trabalham em tempo integral. AMS coleta partículas de raios cósmicos, que são abundantes no espaço, embora em grande parte bloqueados na Terra pela atmosfera do nosso planeta. Uma das explicações principais para a matéria escura é que ela é feita de partículas chamadas de WIMPs (partículas massivas de interação), são pensados para serem os seus próprios parceiros de partículas antimatéria.
 
Quando matéria e antimatéria se encontram, elas destroem umas as outras. A procura por mais informações sobre WIMPs foi uma das principais motivações para a construção do Espectrômetro Magnético Alfa. O instrumento consegue detectar a matéria escura, e os cientistas dizem que estão satisfeitos com os primeiros resultados da AMS até agora. "Estou confiante de que esta é apenas a primeira de muitas descobertas científicas que permitiram mudar a nossa compreensão do Universo", disse o administrador da NASA, Charles Bolden, através de um comunicado.
Fonte: Jornal Ciência

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton