Nova radiogaláxia gigante é descoberta

Sobreposição da nova GRG (cores azul e branca) em uma imagem óptica do Digitized Sky Survey. O detalhe mostra a galáxia central de uma trinca de galáxias onde foi descoberta a nova GRG (imagem do Sloan Digital Sky Survey). A imagem tem cerca de 2 Mpc de diâmetro.
 
Uma equipe de astrônomos liderada pelo astrônomo ASTRON Dr. George Heald descobriu uma rádio galáxia gigante previamente desconhecida, usando imagens iniciais de uma nova pesquisa de todo o céu no comprimento de onda de rádio em andamento. A galáxia foi descoberta usando o poderoso Intarnational LOFAR Telescope (ILT), construído e desenhado pelo ASTRON. A equipe está atualmente realizando a primeira pesquisa de imageamento de todo o céu do LOFAR, chamada de Multi-frequency Snapshot Sky Survey, ou MSSS. Enquanto analisava o primeiro conjunto de imagens do MSSS, o Dr. Heald identificou uma nova fonte do tamanho da Lua Cheia projetada no céu. A emissão de rádio está associada com o material ejetado por um dos membros de uma trinca de galáxias em interação a dezenas de centenas de milhões de anos atrás.
 
 A extensão física do material é muito maior do que o próprio sistema de galáxias, se estendendo por milhões de anos-luz através do espaço intergaláctico. A pesquisa MSSS ainda está em andamento e é a responsável por descobrir muitas novas fontes como essa. A nova galáxia é um membro de uma classe de objetos chamado de Giant Radio Galaxies, Rádio Galáxias Gigantes ou simplesmente GRGs. As GRGs são um tipo de rádio galáxia que é extremamente grande fisicamente falando, sugerindo que elas são muito poderosas e muito velhas. O LOFAR é uma ferramenta efetiva para encontrar novas GRGs como essa, pois ele é um instrumento extremamente sensível a esses grandes objetos, combinado com sua operação nas baixas frequências que são bem ajustadas para a observação de fontes antigas.
 
O centro da nova GRG está associado com um membro de uma trinca de galáxias conhecida como UGC 09555. A galáxia central está localizada num desvio para o vermelho de z = 0.054536, o que dá a ela uma distância de 750 milhões de anos-luz da Terra. A fonte de rádio central era anteriormente desconhecida e tem um espectro de rádio achatado, típico das rádio galáxias gigantes. A pesquisa MSSS do LOFAR é na verdade um esforço concentrado com o objetivo de mapear todo o céu do norte em frequências de rádio extremamente baixas, entre 30 e 160 MHz, com comprimento de onda entre 2 e 10 metros.
 
O objetivo principal da pesquisa é realizar um rastreamento inicial raso do céu, com a intenção de criar um modelo de todo o céu que irá apoiar a calibração de observações bem mais profundas. Ele é comparável em sensibilidade e resolução angular às pesquisas prévias feitas com os rádio telescópios clássicos como o Very Large Array, ou VLA, nos EUA, o ASTRON’s Westerbork Synthesis Radio Telescope (WSRT) e o Giant Metrewave Radio Telescope, na Índia. O MSSS é único pois opera frequências substancialmente menores e é esperado que ele descubra fontes que foram perdidas pelas pesquisas anteriores, e será usado para fornecer informações adicionais sobre os objetos já detectados.
Fonte: http://phys.org  

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton