Estrela parecida com o som está sendo puxada por um exoplaneta gigante

Uma equipe de pesquisadores desenvolveu uma forma de medir as propriedades internas das estrelas - um método que oferece avaliações mais precisas dos seus planetas em órbita. Os pesquisadores examinaram HD 52265 e seu único planeta na órbita da estrela. Esta é uma rendição artística do HD 52265 e sua órbita planeta semelhante a Júpiter.Crédito: MPI para Solar System Research / Mark A. Garlick
 
Analisando as vibrações sônicas em uma estrela distante parecida com o Sol, os astrônomos podem ter calculado exatamente quão rápido estrelas giram e quanto pesa um planeta gigante alienígena próximo. Estrelas, incluindo o Sol, experimentam onda sonoras que varrem seu interior e causam pequenas flutuações rítmicas em seu brilho. Estudando essas variações, os cientistas podem entender melhor o interior das estrelas – um emergente campo científico conhecido como asterosismologia, que é semelhante à sismologia na Terra, que ajuda os geólogos a entenderem melhor o interior do nosso planeta.
 
Os cientistas usaram o satélite COROT para analisar a estrela parecida com o Sol HD 52265, localizada a mais de 90 anos-luz da Terra, na constelação de Monoceros, o Unicórnio. A estrela que tem uma massa aproximadamente equivalente a 1.2 vezes a massa do Sol e um diâmetro aproximado de 1.3 vezes o diâmetro do Sol tem entre 2.1 e 2.7 bilhões de anos de vida.
 
Oscilações repetidas nos movimentos da HD 52265 sugerem que a força gravitacional de um planeta gigante estava agindo, planeta esse que os astrônomos apelidaram de HD 52265b. A magnitude das oscilações sugere que o planeta tem uma massa de no mínimo 1.09 vezes as massa do planeta Júpiter – os cientistas não podem ter um entendimento mais preciso com base somente nas oscilações. As oscilações no brilham que os pesquisadores investigam estão ligadas com ondas nessa estrela que estão, pelo menos em parte baseada na sua taxa de rotação. Os cientistas calcularam que o interior da HD 52265 completa uma revolução a cada 12 dias, significando que ela tem uma velocidade de revolução 2.3 vezes mais rápida que o Sol.
 
“Conhecer a rotação das estrelas é importante para entender os ciclos de atividades estelares”, disse Laurente Gizon, um astrofísico do Instituto Max Planck para a Pesquisa do Sistema Solar, na Alemanha e autor principal do estudo. “Campos magnéticos nas estrelas parecidas com o Sol são mantidos pela rotação e pela convecção”.
 
Descobrir a maneira com a qual a estrela HD 52265 rotaciona também fornece pistas sobre como o planeta HD 52265b está orientado em sua direção, assumindo que o equador da estrela esteja alinhado com o do planeta, como tipicamente acontece com os planetas no Sistema Solar. Quando esses dados são combinados com as informações sobre a magnitude das oscilações que o planeta exerce na estrela, a massa do planeta é de aproximadamente 1.85 vezes a massa do planeta Júpiter, calcularam os pesquisadores.
 
“A asterosismologia é uma técnica muito poderosa para se poder entender e caracterizar os exoplanetas por completo”, disse Gizon. No futuro, a missão PLATO da Agência Espacial Europeia poderá usar a asterosismologia para analisar uma multitude de estrelas e planetas. “A decisão na seleção da missão é esperada para que aconteça no começo de 2014”, disse Gizon.
Fonte: http://www.space.com

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton