Planetas para todos

Impressão do artista de Corot-7b

Grandes, pequenos, quentes, frios - O número de planetas descobertos fora do Sistema Solar vai a caminho dos 900. Os cientistas dividem-nos em vários tipos, de acordo com as suas características.
 
-CHTHONIANOS
Exemplo: COROT-7b
Massa: Até nove vezes a terrestre
Raio da órbita: 2,58 milhões de quilómetros
O nome deriva do de umas criaturas subterrâneas da mitologa grega. Provavelmente, estes corpos rochosos eram gigantes gasosos que perderam a sua espessa camada atmosférica.
 
-JÚPITERES QUENTES
Exemplo: 51 Pegasi b
Massa: metade da de Júpiter
Raio da órbita: Menos de 7,9 milhões de km
A estes mundos semelhantes ao maior planeta do Sistema Solar também se chama “jovianos periestelares”. Se são quentes, isso significa que estão umas cem vezes mais próximos da sua estrela do que Júpiter do Sol.
 
-NETUNOS QUENTES
Exemplo: Gliese 436b
Massa: 22 vezes a terrestre
Raio da órbita: 4,4 milhões de km
São gigantes gasosos que orbitam perto de uma estrela. No caso concreto de Gliese, gira em torno de uma relativamente escura e fria anã vermelha, a variedade estelar mais abundante no universo. Crê-se que a sua atmosfera contenha metano.
 
-SUPERNETUNOS
Exemplo: HAT-P-11b
Massa: 25 vezes a terrestre
Raio da órbita: 7,9 milhões de km
Maior e mais massivo do que Neptuno, não chega, no entanto, às dimensões dos exoplanetas jovianos. O HAT-P-11b foi detetado em trânsito: ao passar diante da sua estrela, reduz a luz dela que chega até nós. Com esta pista, os astrónomos calcularam as suas proporções.
 
-AQUÁTICOS
Exemplo: GJ 1214 b
Massa: 6,55 vezes a terrestre
Raio da órbita: 2,14 milhões de km
Maiores do que a Terra, estão cobertos por vastos oceanos de água em estado líquido. O GJ 1214 b foi o primeiro a ser descoberto, e continua a ser o único.
 
-SUPERTERRAS
Exemplo: Kepler-22b
Massa: desconhecida
(o raio é 2,4 vezes o terrestre)
Raio da órbita: 127 milhões de km
Denominam-se assim os exoplanetas até dez vezes mais massivos do que a Terra. Poderiam reunir as condições para serem habitáveis, mas é muito difícil localizá-los.
 
-TERRESTRES
Exemplo: Terra
Massa: 0,003 vezes a de Júpiter
Raio da órbita: 150 milhões de km
São os mais procurados pelos caçadores de exomundos, na esperança de que um objeto semelhante ao nosso lar planetário possa albergar vida.
 
-GIGANTES GASOSOS
Exemplo: Júpiter
Massa: 318 vezes a terrestre
Raio da órbita: 778 milhões de km
Estes enormes corpos celestes possuem uma densa atmosfera, composta principalmente por hidrogénio e hélio, que envolve um pequeno núcleo de rocha.
 
-NETUNIANOS
Exemplo: Neptuno
Massa: 17 vezes a terrestre
Raio da órbita: 4500 milhões de km
Constituem a variedade mais numerosa no catálogo dos planetas extrassolares. Embora quase todos os exemplares conhecidos sejam quentes, também foram encontrados alguns na zona fria ou temperada, onde existem condições para o aparecimento de vida.
 
-ANÃS CASTANHAS
Exemplo: Gliese 229b
Massa: entre 20 e 50 vezes a de Júpiter
Raio da órbita: 6000 milhões de km
Excedem o tamanho de um planeta, mas não irradiam luz visível, pelo que não cumprem o principal requisito para merecer a categoria de estrela. Pelo contrário, emitem radiação infravermelha, gerada pela sua contração gravitacional e por fusões nucleares de deutério.
 
-VAGABUNDOS
Exemplo: CHA 110913
Massa: oito vezes a de Júpiter
Deambula pela Via Láctea, sem estrela
Os cientistas descobriram vários corpos candidatos a ingressar neste clube extravagante, mas também pode tratar-se de anãs castanhas. No caso de se confirmarem como planetas, terão sido expulsos do seu sistema estelar.
Fonte: SUPER

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton