Cassini fornece nova visão de Saturno com a Terra, Marte e Vênus

Em 19 de julho de 2013 em um evento celebrado em todo o mundo, sonda Cassini da NASA caiu na sombra de Saturno e se virou para a imagem do planeta, sete de suas luas, seus anéis internos - e, no fundo, o nosso planeta, a Terra. Crédito da imagem: NASA / JPL-Caltech / SSI

A NASA lançou essa semana, uma imagem em cor natural de Saturno visto do espaço, a primeira imagem onde Saturno, suas luas e anéis, e a Terra, Vênus e Marte são vistos todos em único quadro. O novo mosaico panorâmico do grandioso sistema de Saturno foi feito pela sonda Cassini da NASA, e mostra uma visão do planeta como ele seria visto pelos olhos humanos, e foi revelada ao público no Newseum em Washington, na última terça-feira, dia 12 de Novembro de 2013. A equipe de imageamento da Cassini processou 141 imagens de grande angular para criar a visão panorâmica. A imagem varre 651591 quilômetros através de Saturno, e seu sistema interno de anéis, incluindo todos os anéis de Saturno até o Anel E, que é o segundo anel mais externo do planeta.
 
Só para se ter uma ideia, a distância entre a Terra e a Lua caberia confortavelmente dentro do raio do Anel E. Nessa imagem magnífica, a sonda Cassini nos revelou um universo de maravilhas”, disse Carolyn Porco, líder da equipe de imageamento da Cassini no Space Science Institute em Boulder, no Colorado. “E ela foi feita no dia em que as pessoas no planeta Terra, em uníssono, sorriram para Saturno para celebrar a presença viva no pálido ponto azul. O mosaico é parte da campanha da sonda Cassini, chamada de “Wave at Saturn”, onde no dia 19 de Julho de 2013, as pessoas na Terra pela primeira vez souberam de ante-mão que uma sonda iria fazer uma imagem de uma distância planetária. A NASA convidou o público para celebrar encontrando Saturno no céu, acenar para o planeta dos anéis e compartilhar as imagens pela internet.
 
Uma versão anotada do mosaico do Sistema de Saturno mostra alguns pontos interessantes. A Terra é o ponto brilhante azul na parte inferior direita de Saturno. Vênus é o ponto brilhante na parte superior esquerda do planeta. Marte também aparece, como um ponto vermelho apagado, acima e a esquerda de Vênus. Sete luas de Saturno podem ser observadas nessa imagem, Encélado está no lado esquerdo da imagem. Dando um zoom na imagem, é possível revelar a pluma congelada sendo emanada do polo sul de Encélado, pluma essa que pulveriza partículas de gelo e que é responsável por gerar o Anel E.
 
O Anel E, brilha como um halo ao redor de Saturno e de seus anéis mais internos. Pelo fato de ser muito tênue, ele é melhor visto com uma fonte luz atrás, quando as minúsculas partículas são destacadas com a luz graças ao fenômeno da difração. Os cientistas que estudam os anéis de Saturno procuram por padrões ópticos como esses. Eles usam computadores para realçar de forma significativa o contraste das imagens e mudam o balanço de cores, por exemplo, para ver evidências de materiais traçando a órbita de pequenas luas como Anthe e Methone, que foram observadas pela primeira vez por meio dessa técnica.
 
“Esse mosaico fornece uma grande quantidade de dados de alta qualidade nos anéis difusos de Saturno, revelando todos os tipos de estruturas intrigantes que nós sempre estamos tentando entender”, disse Matt Hedman, um cientista participante da Cassini na Universidade de Idaho, em Moscow. “O Anel E em particular, mostra padrões que provavelmente refletem perturbações de diversas fontes como a luz do Sol e a gravidade de Encélado”.
 
A Cassini não tenta fazer muitas imagens da Terra, pois, o Sol está muito perto do nosso planeta e uma imagem direta poderia danificar os sensores da sonda (como acontece com o olho humano olhando diretamente para o Sol). Os membros da Cassini procuraram por uma oportunidade quando o Sol ficaria atrás de Saturno do ponto de vista da sonda. Uma boa oportunidade aconteceu em 19 de Julho de 2013, quando a sonda Cassini foi capaz de capturar uma imagem da Terra e de sua lua, e essa bela imagem do sistema de Saturno iluminado por trás. Com uma longa e intrigante dança ao redor do sistema de Saturno, a Cassini tem como objetivo estudar o planeta da maior quantidade de ângulos possíveis”, disse Linda Spilker, cientista de projeto da Cassini baseada no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, na Califórnia.
 
“Além de nos mostrar imagens belas do Planeta dos Anéis, os dados como esses também melhoram o nosso entendimento da história dos anéis apagados ao redor de Saturno e a maneira como discos ao redor dos planetas se formam – pistas sobre como o nosso Sistema Solar se formou ao redor do Sol”. Lançada em 1997, a sonda Cassini tem explorado o sistema de Saturno por mais de nove anos. A NASA planeja continuar a missão até 2017, com a obtenção de muito mais imagens de Saturno, seus anéis e luas bem como com a obtenção de muitos outros dados científicos.
 
A missão Cassini-Huygens é um projeto cooperativo da NASA, da Agência Espacial Europeia e da Agência Espacial Italiana. O JPL, uma divisão do Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadena, gerencia a missão para o Science Mission Directorate da NASA em Washington. O JPL desenhou, desenvolveu e montou o módulo orbital Cassini e suas duas câmeras de bordo. A equipe de imageamento da Cassini fica baseada no Space Science Institute em Boulder, no Colorado.

Para ver o conjunto completo e original de imagens, visite: http://www.jpl.nasa.gov/spaceimages/details.php?id=PIA17172 .
 
Uma nova versão da colagem de fotos feitas pelo público com o Sistema de Saturno de fundo, está disponível em: http://www.jpl.nasa.gov/spaceimages/details.php?id=PIA17679 .
 
Mais informações sobre a Cassini estão disponíveis em: http://www.nasa.gov/cassini e http://saturn.jpl.nasa.gov .
Fonte: NASA

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton