Cometa ISON acende e aumenta de brilho, mas ainda não dá show

Cometa C/2012 S1 ISON registrado pelo astrônomo amador João Melo e seus colegas do Clube de Astronomia de Fortaleza, CASF.Créditos: João Melo, CASF, Teerasak Thaluang, Apolo11.com.
 
Apesar de um aumento significativo de brilho registrado nos últimos dias, o cometa ISON ainda está longe de ser o astro das madrugadas. O cometa está a poucos dias do periélio e só deve chamar a atenção quando já estiver próximo da destruição. Diversos astrônomos amadores bem equipados têm registrado o cometa C/2012 S1 ISON com relativa facilidade, mas para a esmagadora maioria da população o astro é um objeto invisível e sua existência só é conhecida devido às informações fornecidas pelos sites especializados.
 
A grande mídia ignora completamente o cometa e a menos que ISON entre em outburst e passe a brilhar milhares de vezes mais, não terá sido nem ao menos comentado pelo grande público. ISON chegou e irá embora como um vagabundo errante. Ninguém sentirá sua falta. ISON está a menos de 17 dias do periélio e se tudo continuar como está só chamará a atenção quando entrar no campo de visão do telescópio solar SOHO entre os dias 26 e 27 de novembro, quando sem dúvida dará um show de imagens, ainda assim para um público restrito, interessado nos assuntos do espaço. 
evolução de brilho do cometa, como registrado pelo astrofotógrafo Teerasak Thaluang. Créditos: João Melo, CASF, Teerasak Thaluang, Apolo11.com.

Atualmente

Estudos recentes mostram que o cometa está ejetando no espaço cerca de 16 piscinas olímpicas de água todos os dias, aumentando o tamanho de coma e da cauda cometária. Essa sublimação extraordinária fez seu brilho aumentar cerca de 10 vezes, passando da magnitude 10 para 7.5 em menos de 4 dias. Nesta segunda-feira, 11 de novembro, ISON penetrou no interior da orbita de Vênus e em 22 de novembro cruzará a orbita de Mercúrio. No dia do periélio, em 28 de novembro, as discussões não serão mais a respeito do seu brilho, que poderia ser maior que a Lua Cheia, mas se conseguirá ou não resistir à aproximação Solar.
 
Exatamente as 18h43 ISON chegará a apenas 1.1 milhão de quilômetros da superfície escaldante da estrela e ninguém sabe exatamente como o cometa vai se comportar. Segundo o cientista Ignácio Ferrìn, ligado ao Centro de Física Fundamental da Universidade dos Andes, na Venezuela, apesar de ISON ser um cometa saudável é pouco provável que contorne o Sol, já que diversos cometas que apresentaram características similares também se desintegraram diante da aproximação máxima. E o momento está chegando!
Fonte: Apolo11.com - http://www.apolo11.com/

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton