Postagens

Mostrando postagens de Junho 7, 2013

Imagens do planeta vermelho revelam detalhes da inóspita paisagem marciana

Imagem
Árido, rochoso, frio e aparentemente sem vida, Marte foi explorado por humanos pela primeira vez em 1965, quando a sonda Mariner 4 pousou em solo marciano e detectou na planície cor de caramelo uma superfície parecida com a da Lua. Mas a presença de gelo e de materiais magnéticos no planeta sugerem que, no passado, ele foi mais dinâmico, como a Terra. A mais de 228 milhões de quilômetros do Sol, a temperatura média é de – 62,7 ºC nas paisagens repletas de cânions, crateras e vulcões. Se comparados aos de nosso planeta, Marte tem vulcões até 100 vezes maiores, e o volume de lava é grande o suficiente para formar outro grande vulcão. A atmosfera também é diferente: com pouquíssimo oxigênio, é constituída principalmente de dióxido de carbono. Coberto por pó vermelho, coloração ligada à alta quantidade de ferro no solo, Marte tem nuvens e ventos que às vezes criam tempestades parecidas com tornados, capazes de serem vistos daqui. O planeta tem gravidade quase três vezes menor do a da Terr…

7 coisas que não fazem sentido sobre a gravidade

Imagem
Um professor meu explicava que a diferença entre gravidez e a gravidade é que uma destas forças puxa para o centro da Terra e a outra para o centro da igreja. A gravidade é aquela coisa que todos conhecemos e achamos que entendemos. Ela deixa nossos pés no chão e o mundo girando em torno do sol. Mas, se você começar a pensar, as certezas sobre a gravidade começam a flutuar. Confira algumas das coisas sobre essa força da natureza que simplesmente não fazem sentido. 7. O que é a gravidade? A noção Newtoniana da gravidade era boa e simples: você pula, a gravidade te traz de volta à terra. Você chega ao topo, essa força acelera você de volta para baixo. A teoria de Isaac Newton funcionava bem, mas aí veio Einstein e mudou tudo. A teoria da relatividade fez com que a gravidade se tornasse uma propriedade inerente ao universo, e não aos corpos. Até hoje não se sabe qual das duas teorias é mais corretas: a teoria Newtoniana já foi utilizada para lançamentos de foguetes até a lua com sucesso, p…

Inundação em Marte

Imagem
Crédito: Agência Espacial Europeia (ESA)
Há milhões de anos o clima em Marte devia ser bem diferente. Provavelmente com uma atmosfera mais densa, o efeito estufa mantinha a temperatura em níveis mais altos, podendo manter a água em estado líquido em sua superfície. Com isso, verdadeiros rios deveriam existir em sua superfície. Mas será mesmo? Diversas evidências apontam para isso e uma delas foi estudada em detalhes pela sonda Mars Express da Agência Espacial Europeia (ESA na sigla em inglês). Essa semana, a agência divulgou as imagens em alta resolução de um acidente geográfico marciano batizado de Vale Kasei, um dos maiores sistemas de canais de Marte, com 3 mil km de extensão e uns 3 km de profundidade. O canal se origina no Vale Mariner, um dos maiores vales do Sistema Solar, formado por uma rede de cânions com mais de 4 mil km de extensão, uns 200 km de largura e até 7 km de profundidade. A sua origem é um tanto controversa, com teorias que vão desde o fluxo de água corrente, até f…

Cometa passando rente ao Sol revela segredos solares

Imagem
Cauda do cometa foi puxada pelo intenso campo magnético da corona, permitindo a cientistas conhecer melhor a ação dessa força Cientistas puderam conhecer melhor região que jamais foi visitada por uma sonda espacial Foto: Reprodução Um encontro de um cometa com o sol ofereceu a cientistas a oportunidade de conhecer melhor uma região que jamais foi visitada por uma sonda espacial. Em 2011, o cometa Lovejoy chegou a se aprofundar na turbulenta e extremamente aquecida atmosfera do sol, uma área conhecida como corona solar.  Imagens registradas por telescópios espaciais revelaram como a cauda do cometa foi puxada pelo intenso campo magnético da corona, permitindo a cientistas, pela primeira vez, conhecer melhor a ação dessa força. A corona é constituída de plasma com temperaturas de aproximadamente dois milhões de graus Celsius. O Lovejoy viajava a uma velocidade de 600 quilômetros por segundo. O corpo formado por gelo e poeira surpreendeu os cientistas ao aparecer do outro lado do sol. Mas…

Mercúrio, Eu Vejo Suas Verdadeiras Cores Brilhando Intensamente

Imagem
A imagem acima apresenta quatro visões do hemisfério nordeste do planeta Mercúrio. Em cada painel, o canto inferior esquerdo está na coordenada 0ºN,0ºE e o canto superior direito está na coordenada 76ºN,171ºE. Boa parte da Bacia Caloris pode ser vista ao longo da borda direita de cada painel. O painel superior esquerdo é uma imagem monocromática da região, como observada pela câmera de grande angular no instrumento MDIS. Diferente do MDIS, que registra imagens da mesma forma que uma câmera digital, o instrumento MASCS captura muitos comprimentos de onda da luz de um único ponto na superfície por vez, criando um perfil espectral da superfície à medida que a sonda MESSENGER orbita Mercúrio.  O instrumento MASCS/VIRS acumulou perfis suficientes de modo que a refletância na superfície possa ser interpolada para revelar os mesmos detalhes da superfície observados no mapa base do instrumento MDIS. O mapa interpolado é mostrado no painel inferior esquerdo da imagem acima. Ambos os instrumento…

Estrelas 'bebês' lançam jato de poeira em regiões distantes da Via Láctea

Imagem
Telescópio Espacial Spitzer, da Nasa, ajuda a mapear a nossa galáxia. Até o fim do ano, astrônomos esperam ter uma visão em 360° do céu. Imagem em infravermelho mostra bolha gigante que foi esculpida na poeira espacial por estrelas de grande massa e é responsável pela formação de bolhas menores (Foto: Nasa/JPL-Caltech/University of Wisconsin ) Novas observações de áreas mais distantes e desabitadas da Via Láctea, feitas pelo Telescópio Espacial Spitzer, da Nasa, mostram dezenas de estrelas recém-nascidas lançando jatos de seus "casulos" de poeira. O estudo da Universidade de Wisconsin foi apresentado na quarta-feira (5) durante reunião da Sociedade Americana de Astronomia, em Indianápolis. As imagens foram captadas por raios infravermelhos em azul e verde do Spitzer, e combinadas com informações em vermelho do telescópio Wise, também da Nasa, que preencheu lacunas nas áreas que o Spitzer não cobriu. Uma das fotos revela a região próxima à constelação do Cão Maior, com mais de …

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...