Postagens

Mostrando postagens de Julho 31, 2013

Hubble encontra velha e misteriosa galáxia espiral

Imagem
Um turbilhão cósmico impressionante foi observado pelo Telescópio Espacial Hubble, da NASA. A formação inusitada se encontra no centro da galáxia NGC 524, localizada na constelação de Peixes, a cerca de 90 milhões de anos-luz da Terra. A NGC 524 é uma galáxia lenticular. Acredita-se que essas galáxias lenticulares são um estado intermediário na evolução galáctica – não são nem elípticas nem espirais. As galáxias espirais são “de meia-idade”, com grandes braços em formato de roda, contendo milhões de estrelas. Junto com essas estrelas, se localizam grandes nuvens de gás e poeira, que, quando suficientemente densas, formam o ambiente ideal para novas estrelas nascerem. Quando todo o gás se esgota ou se perde no espaço, os braços gradualmente vão desaparecendo, e consequentemente a forma espiral começa a enfraquecer. No final deste processo, o que resta é uma galáxia lenticular – um disco brilhante cheio de velhas estrelas vermelhas, rodeadas por o pouco de gás e de poeira que a galáxia …

O mistério dos cinturões de Van Allen

Imagem
Em 1958, cientistas da NASA descobriram dois círculos de partículas ao redor da Terra, batizados como “cinturões de Van Allen” (em homenagem a um dos responsáveis pelo estudo). Mais de 50 anos depois, descobriram o que “alimenta” esses círculos – algo que pode ajudar a entender fenômenos similares que ocorrem com outros planetas. Embora não sejam imponentes como, digamos, os anéis de Saturno, os cinturões podem ser perigosos: suas partículas são tão numerosas e viajam a velocidades tão altas que satélites precisam usar escudos para evitar danos em partes menos resistentes. De onde vêm essas partículas? Como ganham velocidade? Havia duas hipóteses: ou elas seriam “capturadas” ao sair da magnetosfera da Terra e acelerariam no processo; ou elas seriam resultado de fenômenos que ocorrem dentro dos cinturões. Em 2012, a NASA enviou duas sondas e descobriu que, a princípio, a hipótese correta é a segunda. No interior dos cinturões de Van Allen, os elétrons de atómos que os compõem são arran…

Detectada polarização na radiação cósmica de fundo

Imagem
O sinal do modo B da polarização pode favorecer cálculos relacionados a neutrinos e informações sobre inflação A imagem mostra a anisotropia da radiação cósmica de fundo (cosmic microwave background) depois de subtraídas a anisotropia de dipolo, emissão decorrentes de poeira (emissão térmica), gás (emissão livre), e as partículas carregadas qie interagem com campos magnéticos (emissão síncrotron) na Via Láctea. A anisotropia CMB - pequenas flutuações na luminosidade do céu (um em cem mil) - foi detectada pela primeira vez pelo instrumento DMR COBE. Astrônomos detectaram um sinal de polarização previsto há muito tempo nas ondulações do Big Bang. O sinal, conhecido como polarização de modo B, é provocado pelo arrasto gravitacional da matéria sobre fótons de microondas deixados pelo Big Bang. Sua detecção, feita por um telescópio de microondas no Polo Sul e postada esta semana no servidor de preprints arXiv, aumenta as esperanças de que o sinal possa ser usado para mapear a quantidade de m…

Estrela parecida com o som está sendo puxada por um exoplaneta gigante

Imagem
Uma equipe de pesquisadoresdesenvolveuuma forma de mediras propriedadesinternas dasestrelas-um método queoferece avaliaçõesmais precisas dosseus planetasem órbita. Os pesquisadores examinaramHD52265e seu únicoplanetana órbitada estrela.Esta é uma rendiçãoartística doHD52265e suaórbitaplanetasemelhante a Júpiter.Crédito:MPIparaSolar SystemResearch/ MarkA.Garlick Analisando as vibrações sônicas em uma estrela distante parecida com o Sol, os astrônomos podem ter calculado exatamente quão rápido estrelas giram e quanto pesa um planeta gigante alienígena próximo. Estrelas, incluindo o Sol, experimentam onda sonoras que varrem seu interior e causam pequenas flutuações rítmicas em seu brilho. Estudando essas variações, os cientistas podem entender melhor o interior das estrelas – um emergente campo científico conhecido como asterosismologia, que é semelhante à sismologia na Terra, que ajuda os geólogos a entenderem melhor o interior do nosso planeta. Os cientistas usaram o satélite COROT para …

Telescópio da Nasa capta exoplaneta passando diante de 'estrela-mãe'

Imagem
Planeta tem tamanho equivalente a Júpiter, diz agência espacial.Sistema planetário está localizado a 63 anos-luz da Terra. Concepção artística mostra o planeta HD 189733b passando diante de estrela; no detalhe do canto superior direito, observação de raios-X (Foto: Divulgação/Nasa/CXC/SAO/K.Poppenhaeger) O telescópio Chandra, da agência espacial americana (Nasa), fez observações de um exoplaneta com tamanho equivalente a Júpiter passando diante de sua "estrela-mãe". É a primeira vez que este alinhamento é registrado com detecção de raios-X, afirma a agência, em nota. Os exoplanetas são planetas localizados fora do Sistema Solar. O planeta observado, de nome HD 189733b, tem tamanho equivalente a Júpiter mas está em uma órbita próxima à sua estrela - 30 vezes mais próximo do que a Terra está do Sol. O sistema que inclui o exoplaneta e a estrela está a 63 anos-luz da Terra. O HD 189733b completa sua órbita em torno da estrela a cada 2,2 dias. A Nasa indica ainda que a temperatura…

Origem de buraco negro tem nova interpretação

Imagem
Será que buracos negros abandonam suas casas e vão para outras galáxias? Se for o caso, uma galáxia chamada NGC 1277 pode abrigar um fugitivo em seu núcleo. NGC 1277: Imagem do Telescópio Espacial Hubble da galáxia que pode ter confiscado o buraco negro supermassivo de outra galáxia. Em 2012, astrônomos descobriram um buraco negro supermassivo em seu centro, com a massa de 17 bilhões de sois – o mais massivo conhecido. Normalmente, um buraco negro tão enorme só seria encontrado em uma galáxia muito maior, o que sugere algo incomum no passado da NGC 1277. Dois astrônomos têm uma ideia: e se o buraco negro foi capturado após ser ejetado de uma colisão galáctica há bilhões de anos?

Na verdade, o buraco negro pode ser o que restou de uma galáxia ainda maior que fica nas proximidades. Há bilhões de anos, duas galáxias – cada uma carregando um buraco negro em seu núcleo – se chocaram para formar uma galáxia massiva chamada de NGC 1275. Durante a colisão, os buracos negros centrais se atraíram,…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...