Sonda caçadora de exoplanetas terá 34 telescópios

Sonda caçadora de exoplanetas terá 34 telescópios

Em vez de uma única lente ou espelho, o observatório espacial usará um conjunto de 34 telescópios montados em uma plataforma única. [Imagem: ESA]

Visão Cósmica

A missão PLATO venceu a seleção feita pela Agência Espacial Europeia (ESA) dentro do seu programa Visão Cósmica 2015-2025. O observatório PLATO (Planetary Transits and Oscillations, oscilações e trânsitos planetários) tem um projeto inédito, congregando nada menos do que 34 pequenos telescópios na mesma nave. O principal objetivo da missão será a busca por exoplanetas e o estudo de suas atmosferas.O observatório múltiplo vai monitorar estrelas relativamente próximas de nós, procurando oscilações pequenas e regulares de brilho à medida que os planetas passam à sua frente, bloqueando uma pequena fração da luz da estrela.

Telescópio múltiplo

A missão PLATO tem um projeto inédito em relação aos demais telescópios espaciais: em vez de uma única lente ou espelho, ela usará um conjunto de telescópios montados em uma plataforma única. Os telescópios enviarão a luz que captarem para 136 sensores de imagem, compondo o maior CCD já enviado ao espaço, com 2,5 bilhões de pixels. O observatório deverá rastrear pelo menos um milhão de estrelas durante sua missão de seis anos, cobrindo metade do hemisfério celeste. Também serão conduzidos estudos de astrossismologia, a atividade sísmica nas estrelas, permitindo uma caracterização precisa da estrela de cada planeta descoberto, incluindo a sua massa, raio e idade.

Quando combinados com observações no solo sobre a velocidade radial, os dados da missão PLATO irão permitir calcular a massa e o raio dos exoplanetas e, a partir daí, a sua densidade, fornecendo pistas sobre a composição de cada um. Embora se espere que a missão identifique e estude milhares de sistemas exoplanetários, será dada ênfase à descoberta e caracterização de planetas com o tamanho da Terra e super-Terras na zona habitável das suas estrelas - a distância que permite a existência de água líquida nos planetas.

Sol e matéria escura

A PLATO vai juntar-se à Solar Orbiter e à Euclid, que foram selecionadas em 2011. A Solar Orbiter será lançada em 2017 para estudar o Sol e o vento solar a uma distância de menos de 50 milhões de quilômetros da nossa estrela - a NASA tem uma missão semelhante, a Solar Probe Plus -, enquanto o Euclid, que será lançado em 2020, irá estudar a energia escura, matéria escura e a estrutura do Universo. A PLATO será lançada em um foguete Soyuz a partir do Porto Espacial Europeu em Kourou, em 2024, para uma missão inicial de seis anos. O observatório irá operar a partir do ponto L2 (Lagrange 2), um ponto virtual no espaço, a 1,5 milhão de quilômetros da Terra. As outras missões que competiam pelo lançamento eram: EChO (Observatório de Caracterização de Exoplanetas), LOFT (Grande Observatório para Temporização de Raios X), MarcoPolo-R (para recolher e trazer amostras de um asteroide próximo da Terra) e STE-Quest (Explorador Espaço-Tempo e Teste do Princípio de Equivalência Quântica no Espaço).
Fonte: Inovação Tecnológica

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton