Philae está acordando


"lander" Philae da sonda Rosetta foi reactivado com sucesso a semana passada, como parte da fase em curso de diagnóstico dos instrumentos. Ao contrário da sonda, que teve de acordar e estabelecer contacto com a Terra autonomamente com base num alarme pré-definido, o Philae e todos os instrumentos científicos da missão têm um acordar pessoal a partir da Terra (via Rosetta). O comando para acordar o Philae foi de facto enviado há duas semanas e executado às 06:00 (hora de Portugal) de passado dia 28 de Março, e o sinal de confirmação foi recebido quando o satélite comunicou com a Terra às 11:35 do mesmo dia.

A ousada tentativa do Philae aterrar no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko está marcada para 11 de Novembro, depois um extenso mapeamento pela sonda em Agosto e Setembro, com o objectivo de escolher um local de pouso adequado. Actualmente não sabemos quase nada sobre a geologia ou actividade do cometa, os quais irão desempenhar papéis decisivos no local de aterragem do Philae.

Como cientista do projecto Rosetta, Matt Taylor comenta: "aterrar na superfície é a cereja no topo do bolo da missão Rosetta, que fará grandes estudos científicos em 2014 e 2015. Uma boa porção deste ano será passado identificando onde o Philae irá pousar, mas também vamos recolher medições fundamentais do cometa antes que se torne altamente activo. Ninguém tentou isto antes e estamos muito animados com o desafio! A missão principal do Philae é baseada na vida útil de 64 horas da sua bateria, durante a qual espera-se que envie de volta imagens de alta-resolução da superfície do cometa 67P/CG e realize análises da composição dos seus gelos e material orgânico.

Um sistema de perfuração também irá recolher amostras até uma profundidade de 23 centímetros para análise no seu laboratório de bordo. Os dados serão transmitidos de volta para a Terra via Rosetta, complementando as medições feitas pela sonda. O Philae também transporta células solares para recarregar as baterias, permitindo operações prolongadas no cometa, a duração das quais vai depender das condições específicas da aterragem e da acumulação de poeira cometária.

A sonda Rosetta vai permanecer ao lado do cometa, pelo menos, durante um ano mais, observando como a sua poeira e gás à superfície são transformados pelo aumento de actividade à medida que se aproxima do Sistema Solar interior - a maior aproximação ao Sol terá lugar em Agosto de 2015 - e, posteriormente, quando se afasta novamente para o Sistema Solar exterior.

As actividades confirmam que o Philae está de boa saúde; o "lander" e os seus dez instrumentos científicos serão submetidos a testes mais amplos ao longo de Abril. Entretanto, os instrumentos MIDAS, COSIMA e ROSINA da Rosetta foram também testados. Os instrumentos ALICE, CONSERT, GIADA, RPC e RSI também começaram a ser testados a semana passada. E um instrumento - o sistema de imagem OSIRIS - já passou a fase de comissionamento sem nenhuns problemas.
Fonte: Astronomia On-Line

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton