Confira os eventos astronômicos de 2015


Para você que gosta de observar o céu e as estrelas, anote os principais eventos astronômicos que devem movimentar o espaço em 2015.


Janeiro
04 – A Terra atinge o seu ponto de maior aproximação com o Sol, o chamado periélio. Segundo pesquisadores isso não influencia no aumento de temperaturas ou na sensação térmica.
14 – Mercúrio atinge máxima elongação ao entardecer. Traduzindo: no pôr do sol, Mercúrio estará na sua posição mais alta no céu, facilitando sua observação.
17 e 24 – As Luas de Júpiter vão promover um trânsito de sombras, vão passar entre o Sol e Júpiter e do nosso ponto de vista vamos ver suas sombras passando sobre o planeta.  Vai ser necessário um telescópio de porte médio para visualizar o evento.

Fevereiro
18 – Lua Negra, a terceira Lua Nova de uma estação do ano que possui 4 Luas Novas no calendário.
24 – Máxima elongação de Mercúrio, mas dessa vez ao amanhecer.

Março
01 – Período de “eclipses” de satélites geoestacionários, aqueles satélites responsáveis pelas telecomunicações. Não que isto seja um evento astronômico relevante, mas se você tem sinal de TV por assinatura que opera por sinais de satélites já deve ter notado que logo após uma súbita interrupção do sinal, surge um aviso de que explosões solares ou tempestades ionosféricas causaram o problema. Esse problema no sinal deve durar até o equinócio de outono.
05 – “Mini Lua”, ou seja, uma Lua Cheia que ocorre próximo da maior distância que Lua pode atingir da Terra (chamado de apogeu).
20 – Eclipse total do Sol, mas esse só para os leitores que estão no Ártico e equinócio de outono para quem vive no hemisfério Sul.
21 – A Lua oculta de Marte, mas só para moradores do sul da Argentina e boa parte do Chile.

Abril
04 – Eclipse lunar total. Ele pode ser visto no Brasil, ao menos em tese. Quanto mais à oeste, maiores as chances. O problema é que ele deve se iniciar com o amanhecer, por isso fica muito difícil de se ver alguma coisa.

Maio
05 – Máximo da chuva de meteoros de Eta Aquarídeos, restos do cometa Halley que a Terra intercepta todo ano. A Lua, um dia após a Cheia, prejudica sua observação.
07 – Máxima elongação do ano para Mercúrio, ao nascer do Sol.
20 e 28 – As 4 luas galileanas jogam suas sombras sobre Júpiter novamente. Evento visível só para quem tem telescópios.
30 – O cometa 19P/Borrelly pode ficar brilhante o suficiente para ser visto com um binóculo.
A sonda Dawn chega ao planeta anão Ceres, no Cinturão de Asteroides e inicia as manobras de aproximação. A órbita inicial tem 13.500 km de altura e assim a Dawn se tornará a primeira missão a estudar um planeta anão. A New Horizons só chega em Plutão em julho.

Junho
04 – Mais sombras de luas galileanas sobre Júpiter.
05 – Máxima elongação do ano, mas dessa vez para Vênus ao entardecer.
16 – O cometa C/2014 Q1 PanSTARRS atinge seu máximo de brilho previsto. Se isso acontecer, poderá ser visto a olho nu.
21 – Solstício de inverno no hemisfério sul.
24 – Mercúrio atinge a maior elongação no ano, ao nascer do Sol.

Julho
01 – Conjunção entre Vênus e Júpiter às 18h. A distância entre os dois planetas (no céu) será menor do que o tamanho de uma Lua Cheia.
06 – Plutão atinge a oposição, apenas uma semana antes do encontro com a sonda New Horizons.
14 – A sonda New Horizons cruza o plano do sistema de satélites de Plutão em sua máxima aproximação ao sistema.
31 – Segunda Lua Cheia do mês, ou seja, uma Lua Azul.

Agosto
19 – Marte cruza o aglomerado M44, conhecido como Presépio.
29 – Primeira Super Lua de 3 que ocorrerão em 2015. A Super Lua ocorre quando a Lua chega a sua fase de Cheia na sua menor distância à Terra (chamado de perigeu). Nesse caso, a Lua chegará ao perigeu e 20 horas depois alcançará a fase de Cheia.

Setembro
02 – Novo período de “eclipses” de satélites geoestacionários, novamente causando apagões nos sinais de satélites. Desta vez, com duração até o equinócio de primavera.
04 – Máxima elongação do ano de Mercúrio, para o entardecer.
13 – Eclipse parcial do Sol para quem mora na África e Oceano Índico.
23 – Equinócio de primavera para o hemisfério Sul.
28 – Evento astronômico do ano para o Brasil: Eclipse lunar total visível em todo o território nacional, com início às 21:11 e término às 03:22 da manhã, aproximadamente.
28 – Segunda Super Lua do ano. Na verdade “A” Super Lua do ano, já que ela atinge a fase de Cheia uma hora depois do perigeu.

Outubro
01 – De acordo com os modelos de aumento de brilho de cometas, o C/2013 US10 Catalina deve chegar ao seu brilho máximo. Se a previsão estiver certa, o Catalina deve ser visível a olho nu.
08 – A Lua oculta Vênus, para quem está na Austrália.
11 – A Lua oculta Mercúrio para quem está no Chile.
16 – Mercúrio atinge a máxima elongação matutina do ano.
27 – Terceira (e última) Super Lua do ano, dessa vez a fase de Cheia acontece 23 horas antes do perigeu.

Novembro
12 – Chuva de meteoros Taurídeos. Especula-se que a cada 7 anos o número de meteoros aumente muito e esse é o ano. A Lua em fase Crescente ajuda na observação.
18 – Máximo da sempre interessante chuva de meteoros Leonídeas. Lua em Quarto Crescente prejudica a observação no começo da noite.
A sonda Dawn atinge sua menor distância a Ceres, em uma órbita de 375 km de altura. Nessa posição ainda deve obter dados por 3 meses, até o fim de sua missão primária nos primeiros meses de 2016.

Dezembro
14 – Máximo da chuva de meteoros Geminídeos com uma taxa prevista de 120 meteoros por hora. A Lua estará em fase crescente, mas apenas 12% iluminada, favorecendo a observação.
21 – Solstício de verão para o hemisfério sul.
29 – Mercúrio atinge máxima elongação ao entardecer.
Fonte: G1

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton