100 mil galáxias foram pesquisadas por civilizações inteligentes. Veja os resultados

Imagem de cores falsas da emissão no infravermelho médio da galáxia Andrômeda
Depois de pesquisar 100.000 galáxias em busca de sinais de vida extraterrestre, uma equipe de cientistas revela não ter encontrado nenhuma evidência de civilizações avançadas na nossa vizinhança. Porém, as descobertas da equipe incluem alguns fenômenos novos misteriosos em nossa própria galáxia, a Via Láctea.

A técnica usada


Os cientistas usaram o observatório orbital WISE, da NASA, para a análise.

“A ideia por trás da nossa pesquisa é que, se uma galáxia inteira fosse colonizada por uma civilização avançada, a energia produzida pelas tecnologias dessa civilização seria detectável em comprimentos de onda do infravermelho médio, exatamente a radiação que o satélite WISE foi projetado para detectar para outros fins astronômicos”, disse Jason T. Wright, professor de astronomia e astrofísica da Universidade Estadual da Pensilvânia (EUA). Se uma civilização avançada utilizasse grandes quantidades de energia de sua galáxia para executar computadores, fazer voos espaciais, para a comunicação ou para algo que ainda não podemos imaginar, a termodinâmica fundamental nos diz que esta energia deve ser irradiada para fora em forma de calor em comprimentos de onda infrevermelho médios.

50 prováveis galáxias aliens

Roger Griffith, da Universidade Estadual da Pensilvânia, principal autor da pesquisa, percorreu quase todo o catálogo de detecções do satélite WISE: 100 milhões de galáxias cadastradas que emitiam radiação no infravermelho médio. Ele, então, classificou em torno de 100.000 das galáxias mais promissoras individualmente.

“Encontramos cerca de 50 galáxias que têm níveis anormalmente elevados de radiação no infravermelho médio. Nossos estudos de acompanhamento dessas galáxias podem revelar se a origem da radiação são processos astronômicos naturais, ou se esses sinais podem indicar a presença de uma civilização altamente avançada”, explica.

Em qualquer caso, a não detecção óbvia de quaisquer galáxias alienígenas é um resultado científico interessante. “Das 100.000 galáxias que WISE pode ver em detalhe suficiente, nenhuma é amplamente povoada por uma civilização alienígena usando a maior parte da luz das estrelas em sua galáxia para seus próprios fins. Isso é interessante porque essas galáxias têm bilhões de anos de idade, muito tempo para que tivessem sido preenchidas com civilizações alienígenas, se elas existissem. Sendo assim, ou elas não existem, ou ainda não usam energia suficiente para que possamos reconhecê-las”, disse Wright.

Descobertas na nossa casa

Uma vez que os pesquisadores identificaram os melhores candidatos para galáxias alienígenas, tiveram que determinar se elas eram novas descobertas que precisavam de acompanhamento, ou objetos familiares que emitiam infravermelho médio por alguma razão natural conhecida. Apenas cerca de meia dúzia dos objetos eram de fato novos e realmente interessantes. Eles são quase certamente fenômenos astronômicos naturais, mas é preciso estudá-los com mais cuidado antes dos cientistas poderem dizer com certeza o que está acontecendo.

Entre as descobertas dentro de nossa própria galáxia Via Láctea, estão uma nebulosa brilhante em torno da estrela 48 Librae, e um conjunto de objetos facilmente detectados pelo WISE em um pedaço de céu que aparece totalmente preto quando visto com telescópios que detectam apenas a luz visível. “Ao olharmos mais atentamente para a luz dessas galáxias, devemos ser capazes de aumentar a nossa sensibilidade para a tecnologia alienígena a níveis muito mais baixos, e melhor distinguir o calor resultante de fontes astronômicas naturais de calor produzido por tecnologias avançadas. Este estudo piloto é apenas o começo”, disse Wright.
Fontes: Hypescience.com
 [Phys]







LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton