Novo planeta atiça a imaginação dos cientistas. E agora?

Kepler 452b
Concepção artística mostra como pode ser a aparência do exoplaneta Kepler 452b. Créditos: NASA, Universidade de Porto Rico, Apolo11.com.
A descoberta de mais um planeta similar à Terra elevou para 31 o número de exoplanetas potencialmente habitáveis, mas a distância descomunal até esses mundos não permite qualquer conclusão definitiva. Por enquanto. A Nasa anunciou quinta-feira uma das notícias mais esperadas pela comunidade científica e revelou que a 1400 anos-luz de distância existe um sistema solar muito parecido com o nosso, com um planeta quase similar à Terra orbitando uma estrela igual ao Sol. A agência revelou ainda que além da descoberta, outros onze objetos poderão fazer parte deste seleto grupo, o que elevará para 42 o número de corpos extrassolares que têm ou tiveram possibilidade de serem potencialmente habitados.

O novo planeta, batizado de Kepler 452-b se encontra na região visual da constelação do Cisne e de acordo com estudos feitos a partir de dados coletados pelo telescópio espacial Kepler, orbita uma estrela do tipo G - igual ao nosso Sol, embora mais velha - apenas 5% mais distante que do que a Terra orbita o Sol. Kepler 452-b é 60% maior que a Terra e sua massa e composição ainda não foram definidas, mas sabe-se que planetas similares a ele são provavelmente rochosos. O novo planeta leva 385 dias para orbitar a estrela-mãe, período de translação muito parecido com o da Terra. 

Com todas essas similaridades, mas principalmente devido ao planeta se encontrar dentro da zona habitável da estrela - região onde a provável temperatura permite a existência de água líquida - o novo sistema já pode ser considerado um quase irmão gêmeo do nosso, enquanto Kepler 452-b seria uma espécie de primo-irmão. Antes de Kepler 452-b, o objeto extrassolar mais parecido com a Terra era Kepler 186f, 10% menor que a Terra e localizado a "apenas" 500 anos-luz de distância. No entanto, sua estrela mãe é muito mais fria que o nosso Sol e seu período de rotação é de apenas 130 dias. Neste caso, Kepler 186f seria um primo de segundo grau da Terra.
Catalogo de exoplanetas
Mosaico feito em julho de 2015 apresenta os planetas extrassolares conhecidos e que se encontram dentro da zona habitável de suas estrelas. Créditos: NASA, Universidade de Porto Rico, Apolo11.com.

E Agora?A descoberta do novo exoplaneta é um marco na busca por planetas similares à Terra e confirma a importância do telescópio espacial Kepler neste tipo de pesquisa. Sozinho, entre outros feitos, o telescópio já catalogou 1235 candidatos a planeta e 170 possíveis sistemas multiplanetários, com dois ou mais candidatos orbitando a mesma estrela. Embora os avanços sejam realmente significativos e nosso conhecimento sobre possíveis mundos habitados tenha se expandido muito nos últimos anos, as distâncias envolvidas não permitem - até o momento - uma exploração direta desses mundos, sendo que a única forma de pesquisa-los é através da luz emitida por suas estrelas.

No entanto, a contagem e classificação desses exoplanetas são o passo primordial para seus estudos, pois uma vez que se saiba onde procurar, mais fácil será sonda-los através de radiotelescópios, talvez a única forma científica que temos atualmente para detectar sinais exteriores que possam revelar algum padrão inteligente. Juntos, a prospecção de novos mundos e análise de possíveis sinais de rádio emitidos por eles, talvez sejam a chave para a detecção de formas de vida extraterrestre inteligente e não será surpresa alguma se um anúncio desse tipo acontecer nos próximos anos.
Fonte: APOLO11.COM - http://www.apolo11.com/

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton