Postagens

Mostrando postagens de Junho 11, 2015

Uma borboleta celeste emerge do seu casulo de poeira

Imagem
Instrumento SPHERE revela um dos estágios mais precoces da formação de nebulosas planetárias Imagem VLT/SPHERE da estrela L2 Puppis e seus arredores.Crédito:ESO/P. Kervella
Algumas das imagens mais nítidas obtidas com o Very Large Telescope do ESO revelaram pela primeira vez o que parece ser uma estrela velha a dar origem a uma nebulosa planetária em forma da borboleta. Estas observações da estrela gigante vermelha L2 Puppis, obtidas no modo ZIMPOL do recentemente instalado instrumento SPHERE, mostram também de forma clara uma companheira estelar próxima. As fases finais das estrelas continuam a suscitar muitas questões aos astrônomos, incluindo a origem de uma nebulosa bipolar como esta, com a sua estranha e complexa forma de ampulheta. A cerca de 200 anos-luz de distância, L2 Puppis é uma das gigantes vermelhas mais próximas da Terra que se sabe ter atingido já as fases finais da sua vida.
As novas observações obtidas com o modo ZIMPOL do SPHERE foram feitas no visível usando métodos …

Nebulosa mostra fenômeno do "fluxo de champanhe"

Imagem
Esta nuvem de gás chamada RCW 34 é um local de formação estelar situado na constelação austral da Vela. [Imagem: ESO]
Fluxo de champanhe
Na região mais brilhante desta nebulosa resplandecente chamada RCW 34, o gás é aquecido de forma dramática pelas estrelas jovens, expandindo-se em direção ao gás mais frio à sua volta. Assim que o hidrogênio quente atinge o limite exterior da nuvem de gás, ele é liberado para o vácuo exterior, tal como o conteúdo de uma garrafa de champanhe quando se retira a rolha - um processo não coincidentemente chamado de fluxo de champanhe. No entanto, a região de formação estelar RCW 34 oferece mais do que umas tantas "bolhas de champanhe", já que, no coração desta nuvem, parecem ter ocorrido múltiplos episódios de formação estelar.
Esta nova imagem obtida pelo telescópio VLT, no Chile, mostra uma espetacular nuvem vermelha de hidrogênio brilhante, por detrás de uma coleção de estrelas azuis situadas em primeiro plano. Essas estrelas produzem um efei…

A visão mais detalhada até hoje do Universo distante

Imagem
Imagem composta do anel de Einstein de SDP.81 e da galáxia reconstruída.Crédito:ALMA (NRAO/ESO/NAOJ)/Y. Tamura (The University of Tokyo)/Mark Swinbank (Durham University)
A Campanha de Linha de Base Longa do ALMA produziu uma imagem muito detalhada de uma galáxia distante afetada por lente gravitacional. A imagem mostra uma vista ampliada das regiões de formação estelar na galáxia, com um nível de detalhe nunca antes alcançado numa galáxia tão remota. As novas observações são muito mais detalhadas do que as obtidas pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA e revelam regiões de formação estelar na galáxia equivalentes a versões gigantes da Nebulosa de Orion. A Campanha de Linha de Base Longa do ALMA produziu algumas observações extraordinárias e coletou informação com um detalhe sem precedentes dos habitantes do Universo próximo e longínquo.
 Foram feitas observações no final de 2014 no âmbito de uma campanha que pretendeu estudar uma galáxia distante chamada HATLAS J090311.6+003906, t…

Estrelas exiladas explodem longe de casa

Imagem
Impressão de artista de uma supernova do Tipo Ia a explodir na região entre galáxias num grande enxame galáctico, uma das quais é visível à esquerda. Crédito: Dr. Alex H. Parker, NASA e SDSS

Imagens nítidas obtidas pelo Telescópio Espacial Hubble confirmam que três supernovas descobertas há vários anos atrás explodiram no vazio escuro do espaço intergaláctico, tendo sido arremessadas das suas galáxias-mãe milhões ou milhares de milhões de anos antes. A maioria das supernovas são descobertas dentro de galáxias que contêm centenas de milhares de milhões de estrelas, uma das quais pode explodir por século e por galáxia.
No entanto, estas supernovas solitárias foram encontradas entre galáxias em três grandes enxames com vários milhares de galáxias cada. As vizinhas mais próximas das estrelas estavam provavelmente a 300 anos-luz de distância, quase 100 vezes mais distantes que o nosso vizinho estelar mais próximo, Proxima Centauri, a 4,24 anos-luz de distância. Estas supernovas raras e solit…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...