Postagens

Mostrando postagens de Julho 15, 2015

Ciclo estear - A Vida das Estrelas (do começo ao fim)

Imagem
Estrelas são basicamente bolas gigantes de plasma, inertes no espaço, e são constituídas em sua maioria de 71% de hidrogênio, 27% de hélio e com frações de outros elementos mais pesados.
As estrelas se formam em Nuvens Moleculares, a partir de instabilidades que frequentemente são geradas por choques provenientes de Supernovas. Após isso, ela começa a colapsar sob sua própria força gravitacional. Como a nuvem continua a contrair, ela começa a aumentar sua temperatura, causada pela energia gravitacional gerando energia cinética. Quanto mais ela contrai, mais a sua temperatura aumenta. Estrelas pré-sequência principal (protoestrelas) são cercadas por um disco de acreção, que futuramente, são responsáveis pela formação de seu sistema (como o Sistema Solar). Após bilhões de anos, elas perdem muita massa, e entram em colapso... a partir daí, o ciclo se repete.

A Evolução da estrela de acordo com sua massa
(1 M Sol é igual a 1 massa solar)


M < 0,08 M Sol
           O limite de 0…

Um enigma na Via Láctea

Imagem
Equipe internacional identifica na galáxia estrelas jovens com composição química de velhas Astros incomuns: representação artística de estrelas gigantes vermelhas de composição química atípica, recém-identificadas
A descoberta de estrelas relativamente jovens com composição química típica de estrelas antigas prova que um método usado para estimar a idade de estrelas longínquas da galáxia, o chamado “relógio químico” da Via Láctea, nem sempre funciona. Essas estrelas foram identificadas recentemente por uma equipe internacional de astrônomos coordenada pela brasileira Cristina Chiappini e descritas em um artigo na edição de abril da revista Astronomy & Astrophysics. A origem dessas estrelas jovens com cara de velhas, porém, permanece um mistério. Pesquisadora do Instituto Leibniz para Astrofísica, em Potsdam, Alemanha, Chiappini notou a existência desses objetos celestes incomuns quando seu aluno de doutorado Friedrich Anders lhe apresentou uma análise de 622 estrelas de várias part…

Especial Antimatéria: A destruição do Universo e as bananas

Imagem
O experimento ALPHA, assim como o GBAR e o AEGIS, estão tentado descobrir se a antimatéria cai para cima ou para baixo. [Imagem: Chukman So]
Fatos sobre a antimatéria
Muitos acham que antimatéria é coisa de ficção científica, como na bomba de antimatéria de Anjos e Demônios ou no sistema de propulsão da nave estelar de Jornada nas Estrelas. Mas a antimatéria é um material bem real. Partículas de antimatéria são quase idênticas às suas equivalentes de matéria, exceto que possuem carga e rotação (spin) opostas. Quando a antimatéria se encontra com a matéria, ambas se aniquilam imediatamente em energia, emitindo um pulso de raios gama. É claro que ainda falta muito por saber, por exemplo, se a antimatéria pesa mais ou menos do que a matéria, ou mesmo se a antimatéria cai para baixo ou para cima. Talvez não sejam equivalentes ao que você vê na ficção, mas já existem canhões de antimatéria, garrafas para guardar antimatéria e já está sendo construído um desacelerador de partículas para est…

Gêmeo de Júpiter descoberto em torno de gêmea do Sol

Imagem
Equipe liderada por brasileiros em busca de Sistema Solar 2.0 Concepção artística de um gêmeo de Júpiter em torno da estrela HIP 11915Crédito:ESO/M. Kornmesser
Uma equipe internacional de astrônomos utilizou o telescópio de 3,6 metros do ESO para identificar um planeta como Júpiter a orbitar uma estrela do tipo do Sol, HIP 11915, à mesma distância da estrela que Júpiter do Sol. De acordo com as teorias atuais, a formação de planetas com a massa de Júpiter desempenha um papel importante na arquitetura de sistemas planetários. A existência de um planeta com a mesma massa e numa órbita semelhante à de Júpiter em torno de uma estrela do tipo do Sol abre a possibilidade de que o sistema planetário em torno desta estrela seja semelhante ao nosso próprio Sistema Solar. HIP 11915 tem aproximadamente a mesma idade que o Sol e, adicionalmente, a sua composição semelhante à do Sol sugere que possam existir também planetas rochosos em órbitas mais próximas da estrela.
Até agora, os rastreios de exop…

Novo sistema planetário é descoberto apenas 54 anos-luz da Terra

Imagem
Impressão artística que mostra a distância da estrela (HD 7924) e seus planetas do sol (“Sun”)
Astrônomos encontraram uma maneira de acelerar a busca por exoplanetas próximos de nós, o que levou a descoberta de um sistema planetário a apenas 54 anos-luz de distância da Terra. A maioria dos mundos recém-descobertos estão longe o suficiente para tornar seu estudo difícil. Até agora, a busca por esses mundos tem contado com supervisão humana, o que inevitavelmente retarda o progresso. Então como poderíamos procurar mais planetas de forma mais rápida a fim de encontrar alguns mais próximos de nós? A ideiaEssa foi a questão que os astrônomos responderam com o Automated Planet Finder (APF, na sigla inglês, que significa “Procurador de Planeta Automatizado”, em tradução livre). Nós inicialmente utilizávamos o APF como um telescópio regular que ficava a noite toda procurando estrelas”, explica o estudante de graduação da Universidade do Havaí (EUA), B. J. Fulton. “Mas a ideia de deixar um compu…

Novo rastreio enorme irá ajudar a compreender a matéria escura

Imagem
Primeiros resultados do rastreio KiDS do VST Primeiros resultados do rastreio KiDS (montagem)Crédito:Kilo-Degree Survey Collaboration/A. Tudorica & C. Heymans/ESO
Foram divulgados os primeiros resultados de um novo rastreio importante de matéria escura no céu austral, levado a cabo pelo VLT Survey Telescope do ESO (VST), montado no Observatório do Paranal, no Chile. O rastreio KiDS do VST permitirá aos astrônomos fazer medições precisas de matéria escura, da estrutura de halos de galáxias e da evolução de galáxias e aglomerados. Os primeiros resultados KiDS mostram como é que as características das galáxias observadas são determinadas pelos enormes halos de matéria escura invisível que as rodeiam.
Cerca de 85% da matéria do Universo é escura e de um tipo que não é compreendido pelos físicos. Embora esta matéria não brilhe nem absorva radiação, os astrônomos conseguem detectá-la através do efeito que tem sobre estrelas e galáxias, particularmente devido à sua atração gravitacional. Um…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...