O Hubble acabou de descobrir uma lua lá no fundo de nosso Sistema Solar

nova lua Makemake

Astrônomos acabam de descobrir uma nova lua se escondendo no nosso próprio Sistema Solar. Ela foi encontrada orbitando o planeta Makemake, o terceiro maior planeta anão do Sistema Solar. Então como nunca o encontramos antes no nosso próprio quintal?
A nova lua, chamada temporariamente de S/2015 (136472), com o apelido MK2 (em homenagem ao planeta), conseguiu permanecer escondida todo esse tempo porque é incrivelmente escura. A lua reflete tão pouca luz que ficou praticamente invisível quando comparada à luz refletida por Makemake. A MK2 é 1300 vezes menos brilhante que o planeta que orbita. Ela só foi identificada porque astrônomos decidiram apontar as lentes do Hubble para a região do Makemake por mais de duas horas seguidas em abril de 2015. O astrônomo Alex Parker, do Southwest Research Institute no Texas, estava verificando informações captadas e enxergou uma luz fraca se movendo ao redor do Makemake.  Eu tinha certeza que alguém já tinha a visto”, contou Parker ao National Geographic. Ele perguntou ao colega Marc Buie sobre ela, e ele respondeu, surpreso: “tem uma lua nos dados do Makemake?”. “Foi nessa hora que tudo ficou empolgante e começamos a trabalhar”, relembra ele. Agora os pesquisadores querem usar o Hubble para estudar mais profundamente a órbita do MK2 para saber mais sobre a composição e densidade do planeta anão.

“Makemake está na classe dos raros planetas semelhantes ao Plutão, então encontrar um ‘acompanhante’ é importante. A descoberta dessa lua nos deu a oportunidade de estudar Makemake com mais detalhes do que sem ele”, explica Parker. O Cinturão de Kuiper é um enorme reservatório de materiais congelados da época da formação do nosso Sistema Solar, há 4,5 bilhões de anos. Vários planetas anões estão localizados por ali. Os cientistas querem conhecer melhor essa região, já que ainda há muito a ser aprendido sobre esses planetas congelados.
 
Mistério do brilho de Makemake pode ter sido solucionado
Um dos mistérios do Makemake é a sua aparência: ele tem áreas de material escuro e de material brilhante. O planeta faz sua rotação em apenas 7,7 horas, mas seu brilho não se altera conforme ele gira. Com a descoberta da nova lua, agora os astrônomos consideram pela primeira vez que esses pontos escuros não estão na superfície do planeta anão, mas sim em sua órbita. Outra informação que a descoberta traz é que agora pode ser possível calcular a massa do Makemake, assim como aconteceu com Plutão. Até 1978, quando a lua Charon foi descoberta, ainda não se sabia a massa do planeta. Parker também espera que a missão não-tripulada da NASA, o New Horizons, possa passar pela região quando estiver de saída do Sistema Solar. O trabalho de Parker foi publicado no side da Universidade de Cornell (EUA).
Fonte: Hypescience.com
[Science Alert, Universidade de Cornell]

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton