Dia 14 temos extra-superlua Cheia!

A Lua no perigeu e no apogeu.  Crédito: NASA, Projecto Galileu

Saia à rua nas noites de 13 ou 14 de novembro e olhe para a Lua. Não só estará praticamente Cheia como, nessas noites, o nosso satélite natural estará perto do seu perigeu - o ponto orbital mais próximo do nosso planeta (hora exata do perigeu: 11:21 de dia 14, hora portuguesa). Isto significa que em novembro temos, novamente, uma superlua. O termo superlua entrou, nos últimos anos, no nosso vocabulário popular. Originalmente era um termo da astrologia moderna para uma Lua Nova ou Cheia que ocorre quando esta está entre 90-100% perto do perigeu numa dada órbita, mas agora refere-se mais amplamente a uma Lua Cheia que está mais próxima da Terra do que a média. Mas porque é que a Lua está mais próxima da Terra certas vezes, mas não noutras?

Dado que a órbita da Lua é elíptica, um lado (perigeu) está aproximadamente 50.000 km mais próximo da Terra do que o outro lado da órbita (apogeu). Quando ocorre o perigeu e a Lua está no lado oposto da Terra, da perspetiva do Sol, temos uma lua do perigeu ou, mais famosamente, uma superlua!

Esta coincidência ocorre três vezes em 2016. Tal como no passado dia 16 de outubro, no próximo dia 14 de dezembro, a Lua tornar-se-á Cheia no mesmo dia (a menos de 24 horas) do perigeu. Mas no dia 14 de novembro, a Lua atinge a sua fase Cheia apenas 2 horas e 31 minutos depois do perigeu - tornando-se, sem dúvida, numa extra-superlua. A Lua Cheia de dia 14 de novembro não só é a Lua Cheia mais próxima de 2016, como também é a Lua Cheia mais próxima, até à data, do século XXI (em mais de 68 anos, para ser exato). A Lua Cheia só chegará, novamente, tão perto da Terra na noite de 25 para 26 de novembro de 2034.

A superlua de [13 para] 14 de dezembro é notável por uma razão diferente: o seu brilho vai obscurecer a nossa observação da chuva de meteoros das Geminídeas. O brilhante luar vai reduzir a visibilidade dos meteoros ténues por um factor entre cinco e dez, transformando o que costuma ser uma fantástica chuva num mero rodapé astronómico. Os observadores poderão considerar-se sortudos se provavelmente conseguirem ver, durante o pico, uma dúzia de estrelas cadentes por hora. Bem, ao menos a Lua será notável.

Quão notável é uma superlua?

Uma superlua, ou uma Lua Cheia durante o perigeu, pode ser até 14% maior e 30% mais brilhante do que a Lua Cheia no apogeu. No entanto, nem sempre é fácil ver a diferença. É fácil mascarar uma diferença de 30% no brilho com nuvens ou com o brilho das luzes da cidade. Além disso, não existem réguas a flutuar no céu para medir diâmetros lunares. Pendurada bem alto, sem nenhum ponto de referência perto para fornecer uma sensação de escala, uma superlua Cheia poderá parecer-se com qualquer outra habitual.

Por outro lado, as Luas mais baixas podem criar o que se chama de "ilusão lunar". Quando a Lua está perto do horizonte, pode parecer anormalmente grande quando observada através de árvores, edifícios ou outros objetos em primeiro plano. O efeito é uma ilusão de ótica, mas esse facto não retira à experiência. As superluas são, inegavelmente, esplêndidas. Já tivemos uma, mas ainda podemos observar a sua beleza duas vezes até ao final do ano. Marque estas datas no seu calendário e disfrute do espetáculo astronómico. Não se esqueça - oportunidade fotográfica! E, como é normal para esta época do ano, proteja-se do frio!
Fonte: Astronomia Online




LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Como surgiu o primeiro átomo?

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton