Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2017

O ponto super gelado no espaço pode ser um “machucado” de uma colisão com um universo paralelo

Imagem
Os cientistas tentam há muito tempo explicar a origem de uma região misteriosa, grande e anormalmente fria do espaço. Em 2015, eles chegaram perto de descobrir com um estudo que mostrou que se tratava de um “supervazio”, no qual a densidade de galáxias é muito menor do que no resto do universo. No entanto, outros estudos não conseguiram replicar o resultado.Agora, uma nova pesquisa liderada pela Universidade de Durham, na Inglaterra, sugere que a teoria do supervazio não se sustenta. Intrigantemente, isso leva a uma possibilidade bastante louca – o ponto frio pode ser a prova de uma colisão do nosso universo com um universo paralelo. Mas antes de ficarmos muito animados, é importante pensarmos na probabilidade de que isso tenha realmente acontecido. O ponto frio pode ser visto em mapas do “fundo de microondas cósmicas” (CMB), que é a radiação que sobrou do nascimento do universo. O CMB é como uma fotografia de como era universo quando tinha 380 mil anos e tinha uma temperatura de quase…

FTD Digital Arena tem programação especial em homenagem ao Dia dos Namorados

Sessão acontece no primeiro sábado de junho, e abordará “Uma romântica viagem pelo Universo”
Os casais apaixonados terão mais uma atração para o Dia dos Namorados. No próximo dia 03, primeiro sábado de junho, o FTD Digital Arena apresenta a sessão “Uma romântica viagem pelo Universo”, indicada para todas pessoas que têm curiosidade sobre o tema. Na data, os participantes poderão observar o luar em uma noite estrelada e conhecer mais os objetos celestes que estão em constante movimento no céu.
“Esses objetos estão em movimento no céu. A humanidade soube identificar isso e criou histórias envolvendo seus elementos, como as de Júpiter e seus amantes, o Sol e a Lua, a história de Vênus e também algumas constelações, que contam histórias de amor, intrigas e traição”, explica o físico e professor de astronomia João Carlos de Oliveira. A atividade, orientada pelo docente, acontecerá às 16h. Além disso, no dia, dois casais que participarem da sessão poderão ver como estava o céu e as estrelas no…

As novas descobertas sobre a estranha força do corpo negro

Imagem
Novas pesquisas expandiram o que sabemos sobre a descoberta de um estranho fenômeno chamado força do corpo negro. As novas evidências mostram que o efeito da radiação sobre as partículas que cercam objetos maciços pode ser ampliado pelo espaço que se deforma em torno deles. O achado pode afetar nossos modelos sobre a formação de estrelas e planetas, e até mesmo nos ajudar a finalmente detectar uma forma teórica de radiação que permite que os buracos negros se evaporem.
Em 2013, os físicos anunciaram que a radiação emitida por objetos chamados “corpos negros” não só poderia afastar pequenas partículas, mas também puxá-las para mais perto. Além do mais, para objetos suficientemente quentes com apenas uma pequena quantidade de massa, a força de afastamento poderia ser mais forte do que a atração gravitacional.
Um corpo negro é qualquer objeto opaco que absorve a luz visível, mas não a reflete ou transmite. Tecnicamente, os corpos negros descrevem objetos teoricamente perfeitos que não pode…

Sinestia: Descoberto um novo tipo de corpo celeste

Imagem
A estrutura da sinestia, em comparação com a estrutura de um planeta e de um planeta com um disco - todos com a mesma massa. [Imagem: Simon Lock/Sarah Stewart] Sinestia Astrônomos afirmam que pode existir na natureza um novo tipo de objeto planetário, até agora não conhecido pela ciência - um objeto que pode finalmente explicar a formação da Lua. O corpo celeste, batizado de "sinestia", consiste em um enorme redemoinho de matéria, em forma de anel, onde giram rochas quentes e vaporizadas. Ele seria formado conforme dois objetos de tamanho planetário se chocam um com o outro, sendo diferente dos discos protoplanetários conhecidos até agora. E, em algum momento no início de sua história, a Terra foi provavelmente uma sinestia, afirmam Simon Lock (Universidade de Harvard) e Sarah Stewart (Universidade da Califórnia em Davis). Momento angular planetário As teorias aceitas hoje sobre a formação dos planetas sustentam que planetas rochosos como a Terra, Marte e Vênus se formaram na in…

ESO assina contratos para o enorme espelho primário do ELT

Imagem
Foram assinados os contratos para a fabricação do espelho primário de 39 metros do Extremely Large Telescope do ESO (ELT), numa cerimônia realizada hoje na Sede do ESO, perto de Munique, na Alemanha. A companhia alemã SCHOTT fabricará os blocos dos segmentos do espelho e a companhia francesa Safran Reosc irá poli-los, montá-los e testá-los. O contrato para polir os blocos do espelho é o segundo maior contrato assinado para a construção do ELT e o terceiro maior já concedido pelo ESO. O sistema óptico único do Extremely Large Telescope do ESO é constituído por cinco espelhos, cada um correspondente a um significativo feito de engenharia. O espelho primário de 39 metros de diâmetro, que será composto por 798 segmentos hexagonais individuais de 1,4 metros cada um, será de longe o maior já construído para um telescópio óptico. Os segmentos em conjunto coletarão dezenas de milhões de vezes mais luz que o olho humano. Os contratos para fabricação e polimento dos segmentos do espelho primário…

Descoberta de SUPER-TERRA na zona habitável de estrela fria

Imagem
Impressão de artista da super-Terra GJ625b e da sua estrela-mãe.Crédito: Gabriel Pérez, SMM (IAC)
Uma equipe internacional liderada por investigadores do IAC (Instituto de Astrofísica das Canárias), usando o método de velocidade radial, descobriu um possível planeta rochoso na orla da zona habitável de uma estrela anã vermelha. Apenas são conhecidas algumas dezenas de planetas desse tipo e a sua deteção foi possível graças ao espectrógrafo HARPS-N acoplado ao TNG (Telescópio Nazionale Galileo) no Observatório Roque de Los Muchachos, em La Palma.  Há apenas 25 anos atrás, não sabíamos de nenhum planeta para lá do Sistema Solar. Hoje temos uma lista com mais de 3500 exoplanetas confirmados em torno de outras estrelas. Existem várias técnicas de deteção e uma das mais usadas é a técnica de velocidade radial. Esta envolve a medição de mudanças na posição e velocidade de uma estrela quando uma estrela e um planeta em órbita rodam em torno do seu centro de gravidade comum. Dependendo das mass…

As cores da galáxia, pelos olhos de um telescópio espacial

Imagem
Fontes de radiação Esta obra de arte colorida, aparentemente abstrata, é na realidade um mapa da nossa galáxia, descrevendo todos os objetos celestes que foram detectados pelo telescópio espacial XMM-Newton, entre agosto 2001 e dezembro 2014. Em órbita em torno da Terra desde 1999, o XMM-Newton estuda fenômenos de alta energia no Universo, como buracos negros, estrelas de nêutrons, pulsares e ventos estelares. Contudo, mesmo quando se desloca entre alvos específicos, o telescópio espacial coleta dados científicos. O mapa mostra as 30.000 fontes capturadas durante 2.114 desses varrimentos - por "fontes", entenda-se os corpos celestes ou formações de corpos celestes que emitem radiação nos diversos comprimentos de onda captados pelos instrumentos do telescópio. Devido à sobreposição de trajetórias de varrimento, algumas fontes foram observadas até 15 vezes, e 4.924 fontes foram observadas duas vezes ou mais. Depois de corrigir as sobreposições entre varrimentos, 84% do céu foi cob…

Astrônomos descobrem fonte principal de antimatéria na galáxia

Imagem
Toda a antimatéria da galáxia, cujos vestígios de decomposição são constantemente registrados pelos telescópios da NASA, pode surgir como resultado das explosões de supernovas que ocorrem após fusões de anãs brancas, diz um artigo na revista Nature Astronomy. Essas observações nos permitiram revelar os enigmas da parte mais desconhecida da Via Láctea, onde habitam as estrelas mais antigas. Quando os pares de anãs brancas se aproximam demais, a estrela maior "arranca" parte da matéria da sua companheira menor, se tornando um bomba termonuclear, cuja explosão gera quase toda a antimatéria da galáxia", explica Roland Crocker da Universidade Nacional da Austrália, em Camberra.
Quando os astrônomos soviéticos e norte-americanos lançaram os primeiros telescópios espaciais para a órbita da Terra, as observações da galáxia através de raios X e raios gama revelaram uma grande surpresa. Eles descobriram que a parte central da Via láctea produzia uma grande quantidade de fótons de a…

Sonda Juno mostra um Júpiter totalmente diferente

Imagem
Por que um polo de Júpiter é tão diferente do outro é um enigma que os pesquisadores ainda tentam solucionar.[Imagem: NASA/JPL-CALTECH/SWRI/MSSS/BETSY ASHER HALL/GERVAS]
Um Júpiter totalmente novo As observações iniciais de Júpiter feitas pela sonda espacial Juno são "de tirar o fôlego", anunciaram os cientistas da Nasa no primeiro comunicado sobre os resultados iniciais da missão. E o que mais os deixou perplexos até agora foram as gigantescas "tempestades" registradas nos polos do planeta. "Pense em um monte de furacões, cada um do tamanho da Terra, todos tão espremidos uns aos outros que chegam a se tocar," exemplificou Mike Janssen. "Até mesmo entre os pesquisadores mais experientes, essas imagens de nuvens imensas rodopiando têm impressionado muito." sonda Juno chegou a Júpiter em 4 de julho do ano passado. Desde então, ela tem se aproximado do planeta gasoso a cada 53 dias. Segundo a equipe da NASA, a sonda está mostrando um "Júpiter tota…

Estrela da “megaestrutura” volta a chamar a atençã

Imagem
A estrela mais famosa e estranha da nossa galáxia está agindo de novo. Na sexta-feira, 19 de maio, a estrela de Tabby começou a escurecer, continuando sua história de misteriosas mudanças em seu brilho. Os astrônomos estão lutando para apontar tantos telescópios quanto for possível para lá, 1.300 anos-luz de distância, na constelação Cygnus, para decifrar seu estranho sinal. Em 2015, uma equipe de astrônomos liderada por Yale Tabetha Boyajian viu a luz da estrela KIC 8462852 de repente e repetidamente diminuir seu brilho. O astro escureceu até 22% antes de voltar ao normal. Então, em 2016, uma revisão de placas fotográficas velhas revelou que KIC 8462852 escureceu 14% entre 1890 e 1989. Chamada de estrela de Tabby em homenagem a Boyajian, o astro desvaneceu-se por outros 3% durante os quatro anos que foi observado pelo Observatório Espacial Kepler. Os astrônomos descobriram uma enorme variedade de diferentes explicações para o estranho comportamento dela. Alguns dizem que poderia ser por…

Galáxias recém descobertas de crescimento rápido podem resolver puzzle cósmico- e mostram antiga fusão cósmica

Imagem
Impressão de artista de um quasar e de uma galáxia vizinha em fusão. As galáxias observadas por Decarli e colaboradores estão tão distantes que, de momento, não são possíveis imagens detalhadas. Esta combinação de imagens de homólogas próximas dá uma impressão do seu aspeto em mais detalhe. Crédito: MPIA usando material do Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA
Astrónomos descobriram um novo tipo de galáxia no início do Universo, menos de mil milhões de anos após o Big Bang. Estas galáxias estão a formar estrelas a um ritmo cem vezes superior ao da nossa própria Via Láctea. A descoberta poderá explicar um achado anterior: uma população de galáxias surpreendentemente massivas 1,5 mil milhões de anos após o Big Bang, que exigiria que tais percursos hiperprodutivos formassem centenas de milhares de milhões de estrelas. As observações também mostram o que parece ser a imagem mais antiga de uma fusão galáctica. Os resultados, por um grupo de astrónomos liderados por Roberto Decarli do Instit…

Observação da transformação de uma supernova em buraco negro

Imagem
Em 2007 o telescópio espacial Hubble observou uma estrela 25 vezes mais massiva que nosso Sol, N6946-BH1, em uma combinação de luz visível e infravermelho, porém em 2009 o brilho da estrela aumentou muito, 1 milhão de vezes mais brilhante que o Sol mais precisamente. Curiosamente, em 2015, a estrela desapareceu (como mostrado na imagem) e apenas uma pequena quantidade de radiação infravermelha foi detectada. Essa radiação pode provir dos detritos “caindo” no buraco negro que se localiza a 22 milhões de anos-luz na galáxia NGC 6946.
Uma curiosidade é que os astrônomos estimam que 30% desse tipo de estrela pode simplesmente se tornarem buracos negros sem passarem pelo processo de supernova. Os astrônomos observaram então o local onde a estrela estava com o telescópio espacial Spitzer e com o LBT (Large Binocular Telescope), que é um telescópio de colaboração internacional entre Estados Unidos, Alemanha e Itália, mas também não houve nem sinal da estrela. Scott Adams sugeriu que essa estr…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...