Postagens

Mostrando postagens de Março 27, 2017

Como o universo funciona em menos de 10 sentenças

Imagem
O físico Ben Kilminster trabalha nos experimentos CMS e CDF, no maior acelerador de partículas do mundo, o Grande Colisor de Hádrons, no laboratório da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear. Além de ser um caçador de bóson de Higgs, tendo procurado pela famosa partícula por mais de uma década nos dois experimentos mencionados, Ben é um excelente autor. Abaixo, você confere um de seus melhores textos: “Como o universo funciona – em dez frases” (no original, “How The Universe Works – in Ten Sentences”): 
O universo começou, e quando tinha apenas 10 bilionésimos de um segundo de idade, e era cerca de 100 trilhões de vezes mais quente do que hoje, a força nuclear fraca, que transforma a matéria em outros tipos de matéria, e a força eletromagnética, que atrai objetos carregados, espontaneamente se separaram.
Em algum ponto nestes primeiros momentos, a matéria tornou-se favorecida em relação a antimatéria, e, conforme o universo esfriou, estados de quarks ligados foram criados a partir…

Nibiru, também conhecido como Planeta X, existe?

Imagem
Era uma vez um planeta esquivo, que por 200 anos pareceu explicar a órbita vacilante de Urano. Havia também a estrela-irmã do sol, que em teoria estava perto do nosso sistema solar e fazia com que asteroides se desviassem em direção à Terra. Há apenas um problema: pesquisadores dizem agora que nem o “Planeta X” (ou “Nibiru”) nem “Nemesis” jamais existiram. Pelo menos “provavelmente” não. Nibiru jamais existiu“O sistema solar exterior provavelmente não contém um grande planeta gigante de gás (que seria o ‘Planeta X’) nem uma pequena estrela companheira (‘Nemesis’)”, concluiu o astrônomo Kevin Luhman, da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, que liderou o estudo, usando o telescópio WISE (Wide-field Infrared Survey Explorer), da NASA. Os resultados foram publicados na edição mais recente da revista especializada “The Astrophysical Journal”. A maioria das teorias sobre o assunto havia estimado que o Planeta X tivesse até quatro vezes o tamanho de Júpiter, o maior planeta do noss…

Estrelas nascidas em ventos de buracos negros supermassivos

Imagem
O VLT do ESO encontra novo tipo de formação estelar Concepção artística de uma galáxia formando estrelas no interior de poderosos fluxos de matéria que são lançados a partir do buraco negro supermassivo situado no núcleo da galáxia. Com o auxílio do Very Large Telescope do ESO, uma equipe de astrônomos fez as primeiras observações confirmadas de estrelas em formação neste tipo de ambiente extremo. A descoberta tem muitas consequências para a compreensão da evolução e propriedades das galáxias.Crédito:ESO/M. Kornmesser Com o auxílio do Very Large Telescope do ESO foram descobertas estrelas formando-se nos poderosos fluxos de matéria lançados por buracos negros supermassivos, situados nos núcleos de galáxias. Tratam-se das primeiras observações confirmadas de estrelas em formação neste tipo de ambiente extremo. A descoberta tem muitas consequências para a compreensão da evolução e propriedades das galáxias. Estes resultados foram publicados na revista Nature. Um grupo de astrônomos europeu…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...