Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2019

Titã será o próximo mundo do Sistema Solar a receber sonda da NASA

Imagem
Em janeiro, a NASA disse que decidiria, ainda em 2019, se levaria adiante o projeto Dagonfly para lançar um helicóptero (que na verdade seria um misto de drone com robô exploratório) à lua Titã, de Saturno. E nesta quinta (27), a agência espacial dos EUA confirmou que Titã será mesmo seu próximo alvo no Sistema Solar.
"Avançando em nossa busca pelos blocos de construção da vida, a missão Dragonfly voará várias vezes para amostrar e examinar locais ao redor da lua gelada de Saturno", disse a NASA em comunicado oficial. A missão será lançada em 2026 e chegará a seu destino em 2034, com o helicóptero rodeando Titã em busca de processos químicos prebióticos em comum entre o satélite de Saturno e a Terra.
Esta será a primeira vez em que a agência espacial lançará um drone com vários rotores para outro planeta — o Dragonfly tem oito rotores e funciona como um grande drone altamente tecnológico. Para voar, o drone se aproveitará da densa atmosfera de Titã, com densidade quatro vezes …

Cientistas descobrem origem de intrigante rajada de ondas de rádio cósmicas

Imagem
(Ilustração) O radiotelescópio Askap determina a localização da rajada rápida de rádio
Astrônomos celebraram uma descoberta, publicada na prestigiosa revista Science, que poderá ajudá-los a mapear os confins do Universo.Uma equipe de astrônomos internacionais liderada por cientistas australianos desvendou pela primeira vez a origem precisa de um misterioso fenômeno chamado "rajada rápida de rádio", descoberto em 2007.
Essas ondas cósmicas podem emitir em um milésimo de segundo o equivalente a 10.000 anos de energia solar.
"Toda a comunidade astronômica esperava ansiosamente por esse resultado", disse à AFP Casey Law, astrônomo da Universidade da Califórnia em Berkeley, que não participou do estudo publicado esta semana.
Este trabalho é o mais importante desde a descoberta destas rajadas rápidas de rádio (FRB, por sua sifla em inglês). Não se sabe o que produz essas monstruosas rajadas de energia, mas os astrônomos concordam em um ponto: vêm de galáxias muito, muito dis…

Via Láctea colidiu com uma Galáxia dominada por Matéria Escura a menos de 1 Bilhão de anos atrás

Imagem
De acordo com nova pesquisa liderada pelo Instituto de Tecnologia de Rochester (RIT), a colisão da galáxia anã Antlia 2, recentemente descoberta, com a Via Láctea, há centenas de milhões de anos, é responsável por ondulações no disco externo de gás da Via Láctea. A Grande Nuvem de Magalhães, a Galáxia da Via Láctea e Antlia 2 (da esquerda para a direita). Crédito da imagem: V. Belokurov / Marcus e Gail Davies / Robert Gendler.
De acordo com uma nova pesquisa liderada pelo Rochester Institute of Technology, o RIT, a colisão de uma galáxia anã, recém-descoberta, a galáxia anã Antila 2, com a nossa galáxia, a Via Láctea, a centenas de milhões de anos atrás, é responsável por ondas no disco externo de gás da nossa galáxia.
Antila 2, foi descoberta em 2018, quando a missão Gaia fez a sua segunda liberação de dados.A galáxia anã está localizada na constelação de Antila, a aproximadamente 130 mil anos-luz de distância da Terra.Ela tem o tamanho aproximado da Grande Nuvem de Magalhães, e tem um …

Curiosity detecta níveis anormalmente elevados de metano

Imagem
Esta imagem foi obtida pela Navcam do rover Curiosity da NASA no dia 18 de junho de 2019, o seu 2440.º dia marciano, ou sol, da sua missão. Mostra parte de "Teal Ridge", que o rover tem vindo a estudar dentro de uma região chamada "unidade argilosa". Crédito: NASA/JPL-Caltech
A semana passada, o rover Curiosity da NASA descobriu um resultado surpreendente: a maior quantidade de metano já medida durante a missão - cerca de 21 partes por cada mil milhões de unidades de volume. A descoberta veio do espectrómetro a laser SAM (Sample Analysis at Mars) do rover. É excitante porque a vida microbiana é uma importante fonte de metano na Terra, mas o metano também pode ser criado através de interações entre rochas e água.
O Curiosity não tem instrumentos que possam dizer definitivamente qual é a fonte do metano, ou até se é proveniente de uma fonte local dentro da Cratera Gale ou de qualquer outro lugar do planeta.  Com as nossas medições atuais, não temos como dizer se a font…

Trilhões de estrelas

Imagem
Crédito: ESA / Hubble e NASA, V. Rubin et al.
Esta imagem da semana de Hubble mostra a galáxia espiral Messier 98, localizada a cerca de 45 milhões de anos-luz de distância, na constelação de Coma Berenices (o cabelo de Berenice) . Foi descoberto em 1781 pelo astrônomo francês Pierre Méchain , um colega de Charles Messier , e é um dos menores objetos do catálogo astronômico de Messier .
Estima-se que Messier 98 contenha cerca de um trilhão de estrelas, e está cheio de poeira cósmica - visível aqui como uma teia de marrom avermelhado que se estende através da estrutura - e gás hidrogênio . Esta abundância de material estelar significa que o Messier 98 está produzindo recém-nascidos estelares a uma taxa alta; a galáxia mostra os sinais característicos de estrelas que ganham vida em todo o seu centro brilhante e braços giratórios.
Esta imagem do Messier 98 foi tirada em 1995 com o Wide Field e Planetary Camera 2 , um instrumento que foi instalado no Telescópio Espacial Hubble da NASA / ESA …

A baixa densidade de alguns exoplanetas é confirmada

Imagem
Representação de um artista do sistema estelar Kepler-9 e dois de seus planetas. Os astrônomos confirmaram as densidades muito baixas de dois planetas do Kepler-9 usando os métodos de tempo de trânsito e de velocidade radial. NASA, Laboratório de Propulsão a Jato / Instituto de Tecnologia da Califórnia, Ames Research Center
A missão Kepler e sua extensão, chamada K2, descobriram milhares de exoplanetas. Ele os detectou usando a técnica de trânsito, medindo a queda na intensidade da luz sempre que um planeta em órbita se movia através da face de sua estrela hospedeira como visto da Terra. Os trânsitos podem não apenas medir o período orbital, eles freqüentemente podem determinar o tamanho do exoplaneta a partir da profundidade e forma detalhadas de sua curva de trânsito e das propriedades da estrela hospedeira.
O método de trânsito, no entanto, não mede a massa do planeta. O método da velocidade radial, em contraste, que mede a oscilação de uma estrela hospedeira sob a atração gravitacio…

Existe mais poeira de supernova no sistema solar do que se pensava anteriormente

Imagem
Dois pesquisadores do Max Planck Institute for Chemistry descobriram evidências que sugerem que a poeira das supernovas é mais abundante do se pensava. Em um artigo publicado na revista Nature Astronomy, Jan Leitner e Peter Hoppe descrevem o uso de uma nova tecnologia para analisar os grãos da poeira de supernova e o que eles encontraram.
Os cientistas sabiam por algum tempo que a poeira emitida pelas estrelas fizeram o seu caminho para o nosso sistema solar. Eles também sabem que alguma parte dessa poeira vem de supernovas. Nesse novo esforço, os pesquisadores dizem que eles encontraram evidências que a maior parte da poeira interestelar que chega na Terra vem de supernovas, mais do que se pensava anteriormente.
Os pesquisadores sugerem que a razão para que uma menor quantidade de poeira estelar foi atribuída para supernovas, foi pelo fato dos pesquisadores não terem ferramentas para examinar propriamente os grãos de poeira. Eles relataram que o desenvolvimento de uma sonda de íons cha…

Astrofísicos anunciam descoberta que poderia reescrever a história de como as galáxias morrem

Imagem
A pesquisadora e professora de física e astronomia Allison Kirkpatrick, da Universidade do Kansas (EUA), fez uma descoberta surpreendente que parece derrubar suposições sobre como galáxias amadurecem e morrem. Ela encontrou algo que está chamando de “quasares frios” – galáxias com uma abundância de gás frio que ainda podem produzir novas estrelas, apesar de ter um quasar no centro.
Tais quasares podem representar uma fase até então desconhecida do ciclo de vida de toda galáxia.
Quasar
Um quasar, ou “fonte de rádio quase estelar”, é essencialmente um buraco negro supermassivo mega agitado. Gás caindo em direção a um quasar no centro de uma galáxia forma um “disco de acreção” que pode lançar uma quantidade incompreensível de energia eletromagnética, muitas vezes com uma luminosidade centenas de vezes maior que uma galáxia típica.
Normalmente, a formação de um quasar é semelhante a uma aposentadoria galáctica – os cientistas pensam que isso sinaliza o fim da capacidade de uma galáxia de prod…

Planetas gigantes que orbitam estrelas semelhantes ao Sol podem ser raros

Imagem
A impressão artística de um exoplaneta da classe de Júpiter conhecido como 51 Eri b, descoberto pela Gemini Planet Imager em 2014. Imagem: Danielle Futselaar & Franck Marchis, Instituto SETI
O instrumento Gemini Planet Imager, anexado ao telescópio Gemini South, de 8 metros, no Chile, está encerrando uma pesquisa de quatro anos com 531 jovens estrelas relativamente próximas em busca de exoplanetas gigantes. A análise está em andamento, mas metade dos dados coletados, representando 300 estrelas, indica que planetas gigantes ao redor de estrelas semelhantes ao Sol podem ser raras.
Se confirmadas, as descobertas, a serem publicadas no The Astrophysical Journal, teriam implicações para o desenvolvimento da vida em planetas terrestres que orbitam tais estrelas.
"Suspeitamos que em nosso sistema solar Júpiter e Saturno esculpiram a arquitetura final que influencia as propriedades de planetas terrestres como Marte e Terra, incluindo elementos básicos para a vida, como a entrega de água…

Dois planetas alienígenas potencialmente semelhantes à Terra encontrados em torno da estrela próxima

Imagem
Há ainda mais planetas potencialmente habitáveis ​​perto da Terra do que imaginávamos. Uma equipe de pesquisa descobriu dois planetas semelhantes à Terra em nosso quintal cósmico, e eles estão localizados na zona perfeita para a formação de água em suas superfícies presumivelmente rochosas.
Os planetas orbitam um sol conhecido como "a estrela de Teegarden", que fica a apenas 12,5 anos-luz da Terra . (Um ano-luz é a distância que a luz percorre em um ano, ou cerca de 6 trilhões de quilômetros ou 10 trilhões de quilômetros.) Os dois planetas se parecem muito com a Terra e nossos mundos vizinhos, disseram os pesquisadores.
"Os dois planetas lembram os planetas interiores de nosso sistema solar", o autor Mathias Zechmeister, um cientista de pesquisa no Instituto de Astrofísica na Universidade de Göttingen, na Alemanha, disse em um comunicado . "Eles são apenas ligeiramente mais pesados ​​que a Terra e estão localizados na chamada zona habitável, onde a água pode est…

Brilho misterioso aquece anéis de Urano

Imagem
© Fornecido por Três Editorial Ltda Brilho nos anéis de urano: característica não é encontrada em outros sistemas de anéis no nosso sistema. Foto: E. Molter/I. de Pater/UC Berkeley
Algum tipo de onda de calor aquece os anéis de Urano, revelam novas imagens do planeta, obtidas por dois telescópios no Chile. A temperatura dos anéis, verificada pela primeira vez, é de 195 graus Celsius negativos – o ponto em que o nitrogênio líquido entra em ebulição, informa uma pesquisa descrita em artigo aceito para publicação no “The Astronomical Journal” e disponível em versão pré-impressão no site arXiv, segundo o site Space.com.
A temperatura encontrada é muito baixa, mas vale lembrar que a maior parte do espaço é ainda mais fria e convive com o chamado zero absoluto (-273 °C). Além disso, Urano é um dos planetas exteriores do Sistema Solar e recebe apenas uma fração do calor do Sol de que a Terra desfruta.
Os cientistas responsáveis pelas novas imagens ainda não sabem o que causa o calor relativo. M…

Órbitas planetárias podem explicar o mistério do ciclo de 11 anos do sol

Imagem
As forças de maré de Vênus, Terra e Júpiter influenciam o ciclo de 11 anos do Sol. O Solar Dynamics Observatory da NASA capturou essa imagem de uma erupção solar da classe X que entrou em erupção na superfície do sol em 10 de setembro de 2017.(Imagem: © NASA / SDO / Goddard)

As órbitas de Vênus, Terra e Júpiter podem explicar o ciclo regular de 11 anos do Sol, sugere um novo estudo.
Uma equipe de pesquisadores do Helmholtz-Zentrum Dresden-Rossendorf (HZDR), um instituto de pesquisa em Dresden, na Alemanha, mostrou que os campos magnéticos desses três planetas influenciam o ciclo da atividade solar , resolvendo uma das maiores questões da física solar.
"Tudo aponta para um processo cronometrado", disse Frank Stefani, pesquisador do HZDR e principal autor do novo estudo, em um comunicado . "O que vemos é o paralelismo completo com os planetas ao longo de 90 ciclos".
Os pesquisadores compararam observações da atividade solar - como manchas solares, erupções solares e ejeçõ…

No caso de alguém precisar de esclarecimento, aqui está a definição da lua

Imagem
Por todo o dinheiro que estamos gastando, a NASA NÃO deveria estar falando sobre ir à Lua - Fizemos isso há 50 anos. Eles deveriam estar focados nas coisas muito maiores que estamos fazendo, incluindo Marte (da qual a Lua é uma parte), Defesa e Ciência! "
- Presidente Trump, em umtweet
Então, sim. . . há muito para descompactar aqui.
Primeiro, vamos dar crédito onde o crédito é devido: é um fato que os astronautas americanos pousaram na Lua há 50 anos (não importa o queos teóricos da conspiração digam ).
Mas o presidente pode querer dar outra olhada nadiretiva de política espacial queele assinou em seu primeiro ano no cargo, que dirigiu a NASA para retornar à superfície lunar. Ele também pode revero grande discurso que ovice-presidente Pence deu nesta primavera, no qual ele deu à NASA um prazo de cinco anos para a missão da Lua. E poderia valer a pena reexaminar a solicitação de seu governo de que oCongresso adicionasse US $ 1,6 bilhãoao orçamento da NASA para esse fim (talvez os ben…

Os elementos pesados da Terra nasceram em explosões de supernovas

Imagem
O ouro das nossas joias é de outro mundo - e isto não é apenas um elogio.
Numa descoberta que pode derrubar a nossa compreensão de onde os elementos pesados da Terra, como ouro e platina, vêm, uma nova investigação feita por um físico da Universidade de Guelph sugere que a maior parte destes materiais foram expelidos por um tipo de explosão estelar largamente negligenciada, bem longe no espaço e no tempo.
Cerca de 80% dos elementos pesados do Universo formaram-se provavelmente em colapsares, uma forma rara de explosão de supernova, mas rica em elementos pesados, após o colapso de estrelas massivas e velhas tipicamente 30 vezes mais massivas do que o nosso Sol, disse o professor de física Daniel Siegel.
Essa descoberta anula a ideia generalizada de que estes elementos vêm principalmente de colisões entre estrelas de neutrões ou entre uma estrela de neutrões e um buraco negro, explicou Siegel.
O seu trabalho, em coautoria com colegas da Universidade de Columbia, foi publicado na revista Nat…

Recente cratera de impacto em Marte

Imagem
Uma nova cratera em Marte, que apareceu em algum momento entre setembro de 2016 e fevereiro de 2019, aparece como uma mancha escura na paisagem nesta foto de alta resolução. (Imagem: © NASA / JPL / Universidade do Arizona)
Uma pequena rocha espacial colidiu com o Planeta Vermelho produzindo uma cratera estimada entre 15 e 16 metros de diâmetro.A nova cratera marciana foi registrada pelo Mars Reconnaissance Orbiter (MRO). Esse satélite artificial tem observado Marte por mais de 13 anos, utilizando sobretudo sua câmera de alta resolução, a HiRISE.
Uma foto feita pela HiRISE em abril de 2019, mas postada recentemente, mostra a formação esférica com tonalidades diferentes do relevo ao seu redor.Os pesquisadores ainda não sabem ao certo quando a cratera foi formada, ou seja, quando o meteorito caiu na superfície marciana, mas as estimativas apontam para um momento entre setembro de 2016 e fevereiro de 2019.
HiRISE detecta centenas de novas crateras em Marte a cada ano, mas essa está no topo d…

Campo magnético pode manter o buraco negro da Via Láctea relativamente calmo

Imagem
Linhas de fluxo que mostram os campos magnéticos sobrepostos a uma imagem a cores do anel de poeira que rodeia o buraco negro supermasisvo da Via Láctea. A estrutura azul em forma de Y é material quente que cai em direção ao buraco negro, localizado próximo do ponto onde os dois braços da figura em forma de Y se intersetam. As linhas revelam que o campo magnético segue a forma da estrutura empoeirada. Cada dos braços azuis tem o seu próprio campo que é totalmente distinto do resto do anel, visto em rosa. Crédito: poeira e campos magnéticos - NASA/SOFIA; imagem do campo estelar - NASA/Telescópio Espacial Hubble
Existem buracos negros supermassivos no centro da maioria das galáxias, e a nossa Via Láctea não é exceção. Mas muitas outras galáxias têm buracos negros altamente ativos, o que significa que está a cair neles muito material, emitindo radiação altamente energética neste processo de "alimentação". O buraco negro central da Via Láctea, por outro lado, está relativamente c…