27 de setembro de 2021

Buracos negros existem? 4 fatos que comprovam sua existência

Em meio a mitos e lendas, veja agora 4 fatos que comprovam que buracos negros existem

 Buracos negros existem? Essa é uma das recorrentes indagações que rodeiam o campo da Física. De maneira clássica, os buracos negros são uma região do espaço-tempo que possuem um intenso campo de gravidade, impedindo a saída da luz ou de qualquer partícula ali presente. 

Entretanto, em 22 de janeiro de 2014, o físico Stephen Hawking publicou um artigo-científico que mudou totalmente a visão de alguns estudiosos acerca da teoria do buraco-negro. Portanto, buracos negros existem? Neste artigo iremos comentar sobre 5 fatos que comprovam a existência dos buracos negros. 

O que é?

Os buracos negros consistem numa região do espaço que possui um intenso campo gravitacional. Dessa maneira, sequer a luz, escapa dele. Por essas e outras, existem grandes mistérios atrás dessas ‘tenebrosas’ regiões do espaço-tempo. São oriundos da decomposição de estrelas supermassivas; e embora muitos achem que são enormes regiões, alguns deles são menores que um átomo. 

Buracos negros existem?

Em razão de não ser possível visualizar, apenas sentir, muitos acreditam na não existência dos buracos negros; entretanto, existe um fenômeno conhecido como espaguetificação. Ele consiste na absorção de corpos (qualquer corpo, até mesmo você – por mais improvável que pareça) pelo campo gravitacional de um buraco negro.

Em 2020, cientistas observaram um fenômeno raro do tipo; que consistiu na total absorção de uma estrela no exato momento que foi dilacerada pelo buraco negro. Seria isso uma prova suficiente? Bom, veja abaixo alguns fatos que comprovam a existência dos buracos negros 

Ondas gravitacionais

Antes de tudo, é válido ressaltar que não existe somente um ou dois buracos negros. Entretanto, vários; e segundo alguns estudiosos, no centro de cada galáxia existe um buraco negro supermassivo. Portanto, nem sempre eles estão alocados separadamente um do outro; existem buracos bem próximos e acabam interagindo entre si, gerando ondas gravitacionais no espaço-tempo. 

Entretanto, de acordo com o site space.com, com o advento da tecnologia; tornou-se possível detectar essa propagação externa de ondas gravitacionais no espaço-tempo; provando a presença de uma região invisível, porém real. 

Campo gravitacional

O campo gravitacional provoca inúmeras consequências em suas regiões adjacentes. Pesquisadores acompanharam um par de estrelas em órbita, HR 6819. E durante as pesquisas, notaram deformações e alterações em sua natureza. 

O par de estrelas havia se movido, e de acordo com cálculos com base em sua real massa, o fenômeno só tinha uma explicação – existia algo a mais entre elas. Embora os buracos negros seja invisíveis e quase que indetectáveis, sua deformação no espaço-tempo e efeitos no campo gravitacional podem revelá-los. 

Ondas raio-x

A primeira evidência verídica acerca de um buraco negro, surgiu na década de 70. Através de uma observação de um sistema estelar denominado Cygnus X-1, foi constatado uma emissão de raio-x, sendo considerada uma das mais brilhantes já registradas. 

Entretanto, o registro não é oriundo do buraco negro em si, ou da estrela companheiro que o rodeia; contudo, a massa ‘sugada’ é levada para um disco de acreção. 

Presente ao redor do buraco negro, é através desse disco que os raios são oriundos. Portanto, em razão do tamanho da região e em razão da quantidade de massa sugada, equivalente a 21 massas solares, só pode significar uma coisa: ali há a presença de um buraco negro. Os cálculos são realizados a partir da movimentação dos sistemas estelares.

Fonte: Socientifica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você achou interessante essa postagem deixe seu comentario!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Artigos Mais Lidos