A tromba do elefante em IC 1396

Créditos de imagem e direitos autorais: Juan Lozano de Haro
Como uma ilustração num conto galáctico, a Nebulosa da Tromba do Elefante é soprada através da nebulosa de emissão e do jovem complexo de aglomerado estelar IC 1396, no alto e na parte distante da constelação de Cepheus. Claro, a tromba de elefante cósmica tem mais de 20 anos-luz de comprimento. Essa composição, mostrada acima foi registrada através de filtros de banda curta que transmitem a luz dos átomos ionizados de hidrogênio, enxofre, e oxigênio na região. A imagem resultante destaca as brilhantes cadeias que delimitam os bolsões de gás e poeira interestelar. Essas nuvens filamentares escuras, embebidas, contém o material bruto para a formação de estrelas e esconde protoestrelas dentro da poeira cósmica escura. Localizada a aproximadamente 3000 anos-luz de distância, o relativamente apagado complexo IC 1396, cobre uma região no céu que se espalha por mais de 5 graus. Esse mosaico de detalhe cobre um campo de visão de 2 graus, aproximadamente o tamanho de 4 Luas Cheias.
Fonte: http://apod.nasa.gov/apod/ap130726.html

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton