Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 1, 2019

Sonda chinesa revela novo mistério no lado escuro da lua

O lado mais distante da lua, visto pela espaçonave chinesa Chang'e 4, pouco antes do pouso histórico em 2 de janeiro de 2019.Crédito: CLEP / CNSA O lado "escuro" da lua não é mais escuro do que o lado "claro" da lua. Mas esse lado distante parece ficar mais frio à noite. A lua da Terra está presa ao planeta, significando que o mesmo lado da lua está voltado para nós o tempo todo. Mas a lua ainda está girando, a fim de constantemente apontar um rosto para nós, por isso experimenta dias e noites a partir da luz solar variável. Esses períodos duram cerca de duas semanas terrestres.
Dados das missões Apollo já haviam revelado que a superfície iluminada pela lua pode subir a 260 graus Fahrenheit (127 graus Celsius) durante o dia, e cair para menos de 280 F (menos 173 C) à noite. Mas todos esses dados vêm do lado da lua que enfrenta a Terra. A nova missão chinesa que pousou no lado "escuro" (leia-se: longe) da lua em 3 de janeiro registrou temperaturas ainda …

A Visão Profunda do Universo do Telescópio Hubble é agora ainda mais surpreendente!

A nova versão da imagem profunda do Hubble. Em cinza escuro é a nova luz que foi encontrada em torno das galáxias neste campo. Essa luz corresponde ao brilho de mais de 100 bilhões de sóis.Crédito: AS Borlaff et al. Uma das imagens mais famosas do Telescópio Espacial Hubble espreitou ainda mais profundamente no cosmos do que os cientistas pensavam. Essa foto é o Hubble Ultra-Deep Field (HUDF), que combina centenas de imagens tiradas pelo telescópio espacial ao longo de vários anos para a visão mais profunda do universo já criado. A foto composta de um pequeno pedaço do céu contém 10 mil galáxias, estimaram os astrônomos. (O HUDF também se refere a esse pedaço do céu, não apenas a imagem dele.)
Agora, os pesquisadores têm reprocessado meticulosamente a imagem icônica, recuperando muita luz adicional, segundo um novo estudo.  O que fizemos foi voltar ao arquivo das imagens originais, diretamente como observado pelo HST, e melhorar o processo de combinação, visando a melhor qualidade de i…

O Sol está puxando os planetas e vai engolir todos eles no futuro?

Se os planetas giram em torno do Sol, será que todos eles irão "cair" na superfície ardente da nossa estrela? Todo objeto tem seu poder gravitacional. Quanto maior é sua massa, maior é seu "puxão gravitacional". Portanto, se o Sol detém mais de 99% da massa de todo o Sistema Solar, ele não estaria atraindo todos os objetos de seu entorno para um mergulho mortal?A órbita dos planetas e de todos os objetos do Sistema Solar podem soar como uma dança com um futuro perigoso - será que tudo está sendo atraído para o Sol? Na verdade não.
O Sol e os planetas permanecem basicamente na mesma distância, e de acordo com especialistas, isso não perece ter mudado consideravelmente nos últimos bilhões de anos. As órbitas dos planetas estão numa sintonia perfeita de gravidade e momentum. Conforme os planetas viajam pelo espaço, é como se eles quisessem seguir numa linha reta, mas ao mesmo tempo, a gravidade do Sol tenta puxar os planetas em sua direção, fazendo uma curva em suas tra…

Messier 33

Esta gigantesca imagem da Galáxia do Triângulo - também conhecida como Messier 33 - é uma composição de cerca de 54 observações diferentes com a câmara ACS (Advanced Camera for Surveys) do Hubble. Com um tamanho impressionante de 34.372 por 19.345 pixels, é a segunda maior imagem já lançada pelo Hubble. Fica apenas atrás da imagem da Galáxia Andrómeda, lançada em 2015. 
O mosaico da Galáxia do Triângulo mostra a região central da galáxia e os seus braços espirais internos. São visíveis milhões de estrelas, centenas de aglomerados de estrelas e nebulosas brilhantes. Esta imagem é demasiado grande para ser facilmente exibida em resolução máxima e é melhor apreciada usando a ferramenta de zoom. Crédito: NASA, ESA

Este gigantesco buraco negro está girando à metade da velocidade da luz

A ilustração deste artista mostra a região em torno de um buraco negro supermassivo depois que uma estrela vagou muito perto e foi dilacerada. Alguns dos restos da estrela são puxados para um disco brilhante de raios X, onde eles circundam o buraco negro antes de passar pelo "horizonte de eventos", o limite além do qual nada, incluindo a luz, pode escapar. O ponto alongado representa uma região brilhante no disco, que causa uma variação regular no brilho de raios-X da fonte, permitindo que a taxa de rotação do buraco negro seja estimada. Crédito: Ilustração: NASA / CXC / M.Weiss; Raio X: NASA / CXC / MIT / D. Pasham et al: Ótico: HST / STScI / I. Arcavi
Cientistas descobriram um buraco negro enorme, conhecido como ASASSN-14li, girando a pelo menos 50% da velocidade da luz. As migalhas que sobraram da recente refeição do objeto supermassivo permitiram à equipe calcular sua taxa de rotação.
O horizonte de eventos deste buraco negro é cerca de 300 vezes maior que o da Terra. No e…

Mapeamento de "ECOS DE LUZ" de buraco negro recém - descoberto

Nesta ilustração de um recém-descoberto buraco negro de nome MAXI J1820+070, o objeto exótico atrai matéria de uma estrela companheira para um disco de acreção. Por cima do disco encontra-se uma região de partículas subatómicas chamada coroa. Crédito: Aurore Simonnet e Centro de Voo Espacial Goddard da NASA
Cientistas mapearam o ambiente em torno de um buraco negro de massa estelar com 10 vezes a massa do Sol usando o NICER (Neutron star Interior Composition Explorer) da NASA a bordo da Estação Espacial Internacional. O NICER detetou raios-X do recém-descoberto buraco negro MAXI J1820+070 (ou J1820), à medida que consumia material de uma estrela companheira. Ondas de raios-X formaram "ecos de luz" refletidos do turbilhão de gás perto do buraco negro e revelaram mudanças no tamanho e na forma do ambiente.
"O NICER permitiu-nos medir os ecos de luz mais próximos, até agora, de um buraco negro de massa estelar," disse Erin Kara, astrofísica da Universidade de Maryland e…