Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março 1, 2017

Cientistas vão ligar um telescópio que poderá fotografar o horizonte de eventos de um buraco negro

Buracos negros são muito legais. Ou, pelo menos, é isso que achamos, já que nunca vimos um de fato. Como seu nome indica, eles são muito, muito escuros. Fotografá-los não é uma tarefa fácil – na realidade, beira o impossível. Como eles irreversivelmente consomem tudo o que atravessa o seu horizonte de eventos, incluindo a luz, a imagem resultante vai parecer simplesmente um monte de nada.  Mas isso pode estar prestes a mudar, uma vez que os cientistas estão perto de ligar uma nova rede de telescópios que possui a melhor chance de nos mostrar o buraco negro no centro de nossa galáxia, o Sagitário A*. 
Telescópio do Horizonte de EventosChamado de Telescópio do Horizonte de Eventos, o novo dispositivo é composto por uma rede de receptores de rádio localizados em todo o planeta, incluindo o Polo Sul, os EUA, o Chile e os Alpes franceses.  A rede será ligada entre 5 e 14 de abril, e os resultados colocarão a teoria da relatividade geral de Einstein à prova, como nunca antes.  O telescópio f…

AG Carinae perdendo massa a um ritmo fenomenal

Esta estrela luminosa, chamada AG Carinae, está perdendo massa a um ritmo fenomenal. Seus poderosos ventos chegam a sete milhões de quilômetros por hora e exercem uma enorme pressão sobre as nuvens de material já expelidos pela estrela.  Tais brisas incríveis limparam uma boa região imediatamente ao redor da estrela, esculpindo o material expelido no padrão observado na imagem acima, feita pelo Telescópio Espacial Hubble, em setembro de 2014. A AG Carinae fica a 20.000 anos-luz de distância de nós, na constelação de Carina. AG CarinaeA AG Carinae é um tipo raro de estrela azul variável luminosa, que evoluiu de uma estrela com cerca de 50 vezes a massa de nosso sol.  Esses objetos mostram comportamento mutável e imprevisível, experimentando tanto períodos de silêncio quanto períodos explosivos. Elas são também algumas das estrelas mais brilhantes conhecidas: dezenas de milhares a vários milhões de vezes mais luminosas que o sol. Efeitos Vale a pena notar que o brilho intenso no centro da i…

NGC 1055 Close-up

A grande e bela galáxia espiral NGC 1055 é um membro dominante de um pequeno grupo de galáxias a apenas 60 milhões de anos-luz de distância, em direção à constelação aquaticamente intimidadora Cetus . Visto de lado, o universo da ilha se estende por mais de 100.000 anos-luz, um pouco maior que a nossa Via Láctea . As estrelas coloridas neste close-up cósmico de NGC 1055 estão em primeiro plano, bem dentro da Via Láctea. Mas as estonteantes regiões de formação de estrelas rosadas estão espalhadas por pistas de poeira sinuosas ao longo do disco fino da galáxia distante. Com um punhado de galáxias de fundo ainda mais distantes, a imagem profunda também revela um halo quadradão que se estende muito acima e abaixo do bluge central e disco de NGC 1055. O próprio halo é atado com estruturas estreitas e fracas, e poderia representar a mistura e espalhar detritos de uma galáxia satélite interrompida pela espiral maior há 10 bilhões de anos . Fonte: NASA

A Nebulosa da Cabaça

Nuvens de gás em rápida expansão assinalam o fim de uma estrela central na Nebulosa da Cabaça. A estrela, que já foi normal, ficou sem combustível nuclear, fazendo com que as regiões centrais contraiam para formar uma anã branca. Parte da energia libertada faz com que o invólucro externo da estrela se expanda. Neste caso, o resultado é uma nebulosa protoplanetária fotogénica. À medida que o gás, com uma velocidade de um milhão de quilómetros por hora, colide com o gás interestelar circundante, é formada uma frente de choquesupersónica onde o hidrogénioionizado e o azoto brilham em tons de azul. O espesso gás e poeira escondem a estrela central moribunda. A Nebulosa da Cabaça, também conhecida como Nebulosa do Ovo Podre ou OH 231.84 +4.22, irá provavelmente transformar-se completamente numa nebulosa planetária bipolar ao longo dos próximos 1000 anos. A nebulosa mede aproximadamente 1,4 anos-luz em extensão e está localizada a cerca de 5000 anos-luz de distância na direção da constelaçã…

O despertar de uma nova era para a Supernova 1987A

Já se passaram três décadas desde que astrônomos descobriram a supernova mais brilhante observada nos último 400 anos. A explosão estelar SN 1987A resplandeceu com o brilho de 100 milhões de sóis durante vários meses após a sua descoberta em 23 de fevereiro de 1987.  Situada na Grande Nuvem de Magalhães, uma das galáxias satélite da Via Láctea, a SN 1987A foi a explosão de supernova mais próxima observada em séculos, tendo-se tornado rapidamente na supernova mais bem estudada de todos os tempos. 
Durante os últimos 30 anos, observações de acompanhamento detalhadas, obtidas com telescópios colocados tanto no solo como no espaço, permitiram aos astrônomos estudar os momentos finais de uma estrela massiva com um detalhe sem precedentes, da estrela à supernova e aos restos da supernova, revolucionando a nossa compreensão destes eventos explosivos.
Com a sua excelente sensibilidade nos comprimentos de onda do milímetro e do submilímetro, o Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) …