17 de outubro de 2017

A estrela mais misteriosa da Via Láctea continua confundindo cientistas

A estrela chamada KIC 8462852 já causou bastante agitação na comunidade científica, mas não vai ser desta vez (ainda) que solucionaremos seus mistérios.

Na verdade, eles acabaram de ficar ainda mais confusos.

A trama se complica

Em 2015, os astrônomos ficaram intrigados devido a uma série de eventos de perda de brilho rápidos e inexplicados vistos na estrela, enquanto ela estava sendo monitorada pelo Telescópio Espacial Kepler, da NASA. Para tentar entendê-la melhor, os pesquisadores Josh Simon e Benjamin Shappee e seus colaboradores decidiram fazer uma análise mais longa, acompanhando suas mudanças desde 2006.

Os astrônomos pensavam que a estrela estava apenas brilhando mais fraca com o tempo, mas o novo estudo mostrou que ela também se iluminou significativamente em duas ocasiões, em 2007 e 2014. Esses episódios inesperados complicam ou descartam quase todas as ideias propostas para explicar a estranheza observada em KIC 8462852. Até agora, os cientistas já tentaram explicar suas diminuições de brilho com diversas hipóteses, desde que a estrela engoliu um planeta próximo a um grupo invulgarmente grande de cometas a orbitando, incluindo até uma megaestrutura alienígena.

O que sabemos

Em geral, as estrelas podem parecer escurecer por breves períodos porque um objeto sólido (como um planeta ou uma nuvem de poeira e gás) passa entre ela e o observador, eclipsando seu brilho por um tempo. Mas mesmo antes dessa evidência de dois períodos de brilho aumentado no passado da estrela, os períodos erráticos de escurecimento vistos na KIC 8462852 eram diferentes de qualquer coisa que os astrônomos já haviam observado.

No ano passado, Simon e Ben Montet, que também é coautor deste estudo, descobriram que, de 2009 a 2012, a KIC 8462852 diminuiu em brilho quase 1%. Seu brilho caiu 2% ao longo de apenas seis meses, o que é impressionante, permanecendo nesse nível pelos últimos seis meses de observações de Kepler. Examinando cerca de 11 anos de dados, os pesquisadores concluíram que a estrela continuou a diminuir de brilho de 2015 até agora, e está 1,5% mais fraca do que em fevereiro desse ano. Além do escurecimento que a estrela experimentou de 2009 a 2013 e de 2015 até hoje, ela sofreu os já mencionados dois períodos de brilho aumentado também.

E agora?

“Até este trabalho, pensávamos que as mudanças de luz da estrela só estavam ocorrendo em uma direção – escurecendo”, afirmou Simon. “A percepção de que a estrela às vezes fica mais brilhante além de períodos de escurecimento é incompatível com a maioria das hipóteses para explicar o seu comportamento estranho”.

Um próximo passo importante da pesquisa será determinar como a cor da estrela muda com o tempo, especialmente durante as breves quedas de brilho. Essa informação pode ajudar a restringir as possíveis explicações sobre por que essa estrela age da forma que age.

Por exemplo, se o escurecimento for causado por poeira que obscurece a visão da estrela para nós, então ela deve parecer ficar mais vermelha à medida que escurece. Mas se objetos grandes estão bloqueando sua luz, nenhuma mudança de cor seria vista.

“Ainda não resolvemos o mistério. Mas entender as mudanças de longo prazo da estrela é uma peça chave do quebra-cabeça”, concluiu Simon.

Fonte: HypeScience.com

 [Phys]
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...