Postagens

Mostrando postagens de Maio 23, 2018

A órbita da Terra tem feito uma coisa estranha (há centenas de milhões de anos)

Imagem
Os cientistas têm suspeitado por muito tempo que as interações planetárias tendem a mudar vagarosamente a órbita do nosso planeta. Agora, os astrônomos descobriram provas irrefutáveis em rochas antigas, que mostram que o ciclo existe há centenas de milhões de anos. A órbita terrestre mudou de forma, de praticamente circular para uma forma 5% elíptica. Esse processo se deve à interação gravitacional entre o nosso planeta, Vênus e Júpiter. Agora, os astrônomos desenterraram pedras antigas que mostram a existência deste ciclo já no período tardio do Triássico, há 215 milhões de anos. As descobertas podem ter um grande impacto na forma como modelamos o clima passado da Terra, particularmente nas temperaturas globais, que não são fáceis de explicar. Até é possível que os efeitos deste ciclo tenham desempenhado algum papel na evolução dos primeiros dinossauros. “Há outro, mais curto, ciclo de órbita, mas quando olhamos para o passado, é muito difícil saber de qual estamos falando, isto porque …

Iluminando galáxias escuras

Imagem
Um dos novos candidatos a galáxia escura, identificado através de uma combinação de informação espectral (esquerda) e imagens refletindo a emissão de gás (meio) e estrelas (direita). A posição do candidato da galáxia escura é marcada pelo círculo vermelho. Crédito: RA Marino / MUSE
Apesar de termos tido um grande progresso na última metade do século passado sobre o entendimento de como as galáxias se formam, importantes questões permanecem em aberto, principalmente sobre como o gás difuso do meio intergaláctico é convertido em estrelas. Uma possibilidade, sugerida em modelos teóricos recentes, é que nas fases iniciais de formação das galáxias era uma época quando as galáxias continham uma grande quantidade de gás mas ainda eram ineficientes para formar estrelas. 
A prova direta dessa fase negra das galáxias, contudo, não era muito clara, ainda mais pensando que galáxias escuras emitem pouca luz. A descoberta observacional dessas galáxias preencheria um importante vazio no nosso entendim…

Descoberto o Primeiro Imigrante Interestelar no Sistema Solar

Imagem
Imagens do asteroide 2015 BZ509 obtidas pelo LBTO (Large Binocular Telescope Observatory) que estabeleceu a sua natureza co-orbital retrógrada. As estrelas brilhantes e o asteroide (no círculo amarelo) aparecem escuros e o céu branco nesta imagem negativa.Crédito: C. Veillet/LBTO
Um novo estudo descobriu o primeiro imigrante permanente conhecido no nosso Sistema Solar. O asteroide, atualmente aninhado na órbita de Júpiter, é o primeiro asteroide conhecido a ser capturado de outro sistema estelar. O trabalho foi publicado na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society: Letters.
O objeto conhecido como 'Oumuamua foi o último visitante interestelar a chegar às manchetes em 2017. No entanto, era apenas um turista passageiro, enquanto este ex-exoasteroide - a quem deram o nome cativante (514107) 2015 BZ509 - é um residente de longa duração. Todos os planetas do nosso Sistema Solar, e a grande maioria dos outros objetos, viajam em redor do Sol na mesma direção. No entanto, 2…

Dois quasares de alto brilho descobertos

Imagem
Astrônomos detectaram dois novos quasares brilhantes com redshifts, ou seja, desvio para o vermelho de cerca de 5.0. O quasares recém-descobertos, ou QSO como são chamados, sigla para quasi-stelar objects, estão entre os mais brilhantes de alto desvio para o vermelho já detectados até o momento. Energizados pelos buracos negros supermassivos, os quasares brilhantes nesses altos desvios para o vermelho são importantes para os astrônomos já que eles funcionam como feixes brilhantes iluminando a evolução química do universo de forma muito eficiente. 
Contudo, esses objetos são muito raros e muito difíceis de serem descobertos. Por isso, até o momento somente uma dezena de quasares foram descobertos com desvios para o vermelho maiores que 4.5 e magnitude na banda i, abaixo de 18.2. Encontrar esses quasars requer grandes pesquisas, e não é surpresa que os primeiros quasares com z>5 (z é a letra usada para designar o desvio para o vermelho), tenham sido descobertos usando o Sloan Digital …