Postagens

Mostrando postagens de Junho 21, 2018

VLT testa teoria da relatividade geral de Einstein fora da Via Láctea

Imagem
Com o auxílio do instrumento MUSE montado no Very Large Telescope do ESO, no Chile, e do Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, astrônomos fizeram o teste mais preciso até hoje da teoria da relatividade geral de Einstein fora da Via Láctea. A galáxia próxima ESO 325-G004 atua como uma forte lente gravitacional, distorcendo a luz emitida por uma galáxia distante situada atrás dela e dando origem a um anel de Einstein em torno do seu centro. Ao comparar a massa de ESO 325-G004 com a curvatura do espaço em sua volta, os astrônomos descobriram que a gravidade nestas escalas astronômicas se comporta como previsto pela relatividade geral, eliminando assim algumas teorias de gravidade alternativas.
Com o auxílio do instrumento MUSE montado no VLT do ESO, uma equipe liderada por Thomas Collett, da Universidade de Portsmouth no Reino Unido, calculou a massa da galáxia ESO 325-G004 ao medir o movimento das estrelas nesta galáxia elíptica próxima.
Collett explica “Usamos dados obtidos pelo Very L…

Planeta 9: novo objeto descoberto no sistema solar sugere que ele existe mesmo

Imagem
Os astrônomos especulam há alguns anos que um nono planeta pode orbitar nosso astro-rei a uma grande distância, na fronteira do sistema solar. Embora não tenhamos encontrado evidências diretas de tal planeta ainda, mais uma descoberta fornece provas indiretas de sua existência.
Recentemente, os cientistas analisaram um objeto planetário com uma órbita incomum, chamado 2015 BP519, que apoia o caso de um nono planeta não descoberto. 2015 BP519 pode ser tão grande quando um planeta-anão e orbita o sol em um ângulo de 54 graus em comparação com quase tudo no sistema solar interior. Uma das principais teorias para explicar isso é que o Planeta Nove é responsável por tal desvio.

Influência gravitacional
A caçada pelo “Planeta Nove” começou em 2016. Enquanto os pesquisadores observavam um punhado de objetos distantes no sistema solar, perceberam algo estranho: todos eles, mais longes do sol que Plutão, orbitavam a estrela em um ângulo distinto diferente dos planetas internos. As observações sug…

Os enxames globulares podem ser 4 bilhões de anos mais jovens do que se pensava

Imagem
Evolução de um sistema binário no interior de um enxame globular. Crédito: Mark A. Garlick/Universidade de Warwick
Segundo uma nova pesquisa liderada pela Universidade de Warwick, os enxames globulares podem ser até 4 bilhões de anos mais jovens do que se pensava. Compostos por centenas de milhares de estrelas densamente agrupadas numa esfera compacta, os aglomerados globulares eram considerados quase tão antigos quanto o próprio Universo - mas, graças a modelos de investigação recentemente desenvolvidos, foi demonstrado que podem ter 9 bilhões de anos em vez de 13 bilhões.
A descoberta põe em questão as teorias atuais sobre como as galáxias, incluindo a Via Láctea, foram formadas, pois os enxames globulares eram considerados quase tão antigos quanto o próprio Universo. Pensa-se que existam, só na nossa Galáxia, entre 150 e 180 enxames globulares. Projetados para reconsiderar a evolução das estrelas, os novos modelos BPASS (Binary Population and Spectral Synthesis) levam em conta os deta…