Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio 17, 2019

A Lua está encolhendo e gera tremores similares a terremotos, diz NASA

Falhas geológicas na superfície lunar demonstram que o satélite natural é muito mais geologicamente ativo do que se imaginava. De acordo com um novo estudo da NASA, a Lua está encolhendo à medida em que seu interior esfria, "emagrecendo" mais de 50 metros ao longo das últimas centenas de milhões de anos. A agência espacial compara o fenômeno com uma uva que se enruga enquanto se reduz a uma passa, com a Lua também adquirindo rugas durante o processo de encolhimento.
Essas rugas são geradas porque a superfície lunar é quebradiça, formando "falhas de pressão" à medida em que encolhe lentamente, onde uma seção da crosta é empurrada para cima sobre uma parte vizinha. A análise dá a primeira evidência de que essas falhas ainda estão ativas na Lua, e provavelmente produzem "moonquakes" — abalos similares aos terremotos que temos aqui na Terra. "Alguns desses terremotos lunares podem ser bastante fortes, em torno de cinco na escala Richter", explica Thom…

Jipinho chinês encontra amostras do manto da Lua em seu lado oculto

No início do ano, a China fez história na exploração espacial: pousou a primeira sonda não tripulada no “lado escuro da Lua”. Já explicamos aqui na SUPER que o suposto “lado escuro” não tem nada de trevoso, e recebe luz solar exatamente na mesma proporção que o “lado claro”. A única questão é que ele não pode ser visto por quem observa o satélite aqui da Terra. Por nunca ter sido explorado, as descobertas feitas por lá prometiam ser reveladoras. Calhou que a promessa se cumpriu. A China afirma que seu rover (isto é, um jipinho) analisou amostras provenientes do manto lunar – isto é, a camada de rocha que fica abaixo da superfície, até então intocada. É bom deixar claro que a sonda não coletou nenhuma rocha: ela baseou a análise na poeira que já estava no chão. Para entender melhor o achado, vamos recapitular: o rover chinês Yutu-2, parceiro da sonda Chang’e-4, aterrissou em janeiro na cratera de Von Kármán, no meio da colossal bacia do Polo Sul-Aitken. Essa é uma antiga cratera de 2,5 m…

Algo misterioso abriu um buraco na Via Láctea

Observando a imensidão do universo em que estamos inseridos, os cientistas descobriram algo peculiar. Foi detectado um "impacto escuro" abrindo buracos naVia Láctea. Mesmo que não seja possível ver isso claramente, os telescópios dos cientistas identificaram alguma coisa no meio da galáxia. A descoberta acabou por se tornar mais um dos milhares de mistérios sobre o nosso universo. Até agora ninguém sabe o que é e como está abrindo esses buracos na galáxia. "É uma bala densa de alguma coisa", disse Ana Bonaca, pesquisadora do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian, responsável pela descoberta de evidências do impactor, como foi identificado. Especula-se que possivelmente esse impactor na Via Láctea não seja feito de matéria normal. Por esse motivo não foi detectado com clareza pelo telescópio. A descoberta de Bonaca foi apresentada no mês passado durante a conferência da American Physical Society, em Denver.  Sua pesquisa revelou uma série de buracos no fluxo estela…