Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 26, 2019

Novas imagens de Ultima Thule

As imagens mais detalhadas de Ultima Thule - obtidas minutos antes da maior aproximação da sonda às 05:33 de dia 1 de janeiro - têm uma resolução de aproximadamente 33 metros por pixel. Crédito: NASA/Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins/SwRI, NOAO
Era uma meta opcional - pouco antes da maior aproximação, apontar com precisão as câmaras da sonda New Horizons da NASA para tirar as fotos mais nítidas possíveis do objeto da Cintura de Kuiper apelidado de Ultima Thule, o seu alvo de Ano Novo e o objeto mais distante alguma vez explorado. Agora que a New Horizons enviou essas imagens armazenadas para a Terra, a equipa pode confirmar com entusiasmo que a sua ambiciosa meta foi alcançada.
Estas novas imagens de Ultima Thule - obtidas pelo instrumento LORRI (Long-Range Reconnaissance Imager) apenas seis minutos e meio antes da maior aproximação da New Horizons ao objeto (com designação oficial 2014 MU69) às 05:33 (hora portuguesa) de dia 1 de janeiro de 2019 - têm uma res…

Anã branca antiga com anéis chama a evolução do sistema estelar em questão

Uma ilustração da recém-descoberta anã branca e seu sistema de anéis (Crédito: Goddard Space Flight Center da NASA / Scott Wiessinger )
Normalmente, espiar profundamente o espaço permite aos astrônomos ver o passado distante, mas uma nova descoberta nos deu um vislumbre do futuro do nosso sistema solar. Um projeto de cientista cidadão liderado pela NASA descobriu uma antiga anã branca cercada por grandes anéis, que está agitando nossa compreensão de como esses sistemas se formam.
Oficialmente conhecida como LSPM J0207 + 3331 (ou apenas J0207), a anã branca está a cerca de 145 anos-luz da Terra, na constelação de Capricórnio. Descobriu-se que estava fervilhando a cerca de 5.800 ° C (10.500 ° F), o que indica que a estrela tem cerca de 3 bilhões de anos.
Mas a coisa mais interessante sobre isso é, obviamente, seus anéis. A missão WISE da NASA captou um forte sinal infravermelho em torno de J0207, o sinal revelador de dois discos empoeirados ao redor da estrela. Embora não seja a primeira a…

NASA seleciona experimentos para possíveis voos lunares em 2019

A NASA selecionou 12 cargas de demonstração de ciência e tecnologia para voar até a Lua no final deste ano, dependendo da disponibilidade de plataformas comerciais. Essas seleções representam um passo inicial em direção ao estudo científico de longo prazo da agência e à exploração humana da Lua e, mais tarde, de Marte. "A Lua tem um valor científico único e o potencial de gerar recursos, como água e oxigênio", disse o administrador da Nasa, Jim Bridenstine. "Sua proximidade com a Terra torna especialmente valioso como campo de testes para exploração espacial mais profunda." A Diretoria de Missão Científica da NASA (SMD) iniciou a solicitação de propostas que levaram a essas seleções como o primeiro passo para alcançar uma variedade de objetivos científicos e tecnológicos que poderiam ser alcançados enviando regularmente instrumentos, experimentos e outras pequenas cargas à Lua. "Este anúncio de seleção de carga útil é o próximo passo emocionante em nosso caminho …

Numa colisão galáctica, um pequeno objeto brilha intensamente

Fontes verdes e brilhantes de raios-X captadas pela missão NuSTAR da NASA sobrepostas sobre uma imagem ótica da galáxia do Redemoinho (no centro da imagem) e da sua galáxia companheira, M51b (a região branca-esverdeada por cima do Redemoinho), obtida pelo SDSS (Sloan Digitized Sky Survey).Crédito: NASA/JPL-Caltech, IPAC
Na vizinha Galáxia do Redemoinho, e na companheira M51b, dois buracos negros supermassivos aquecem e devoram o material circundante. Estes dois monstros deviam ser as fontes de raios-X mais luminosas do campo de visão, mas um novo estudo usando observações da missão NuSTAR (Nuclear Spectroscopic Telescope Array) da NASA mostra que um objeto muito mais pequeno está a competir com os dois gigantes.
As características mais impressionantes da Galáxia do Redemoinho - conhecida oficialmente como M51a - são os dois longos "braços" cheios de estrelas que se enrolam em torno do centro galáctico como fitas. A muito mais pequena M51b agarra-se como um perceve à beira do R…