Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 9, 2009

O Caldeirão de Estrelas no coração da Via Láctea

Um nova imagem em mozaico em infravermelho obtida pelo Spitzer Space Telescope ofereceu uma estonteante visão do alvoroçado núcleo de nossa galáxia. A imagem mostra centenas de milhares de estrelas,principalmente velhas, entre nuvens fantasticamente detalhadas de poeira iluminadas por estrelas mais jovens e volumosas. "Com o Spitzer, nós podemos perscrutar direito no coração de nossa própria galáxia e podemos enxergar detalhes empolgantes, " disse Dr. Susan Stolovy do Spitzer Science Center. "Este quadro é preenchido com características fascinantes que nós há pouco começamos a explorar ". O núcleo da Via Làctea realmente é um lugar muito ocupado. Estrelas estão agrupadas junta como passageiros de metrô correndo ao redor de um supermassivo buraco negro que encontra-se exatamente ao centro da galáxia.
Nosso sol está localizado a 26,000 ano-luz situado em um região mais calma, espaçosa, nos "subúrbios" galácticos. Ele completa uma volta completa ao redor do n…

Objecto Herbig-Haro (HH) 46/47

Esta imagem obtida com o telescópio espacial de infravermelhos Spitzer da NASA põe em evidência o "outflow" molecular criado por uma estrela jovem em formação. Ao ser sensível à radiação infravermelha, o Spitzer consegue penetrar no interior da nuvem onde a estrela se está a formar, mostrando a própria estrela e os jactos por ela emanados. Estes jactos são os responsáveis pelos conhecidos objectos Herbig-Haro (HH) 46/47. Objectos HH são zonas de choque entre o material expelido por uma estrela em formação (proto-estrela) e o meio envolvente, resultando em zonas de gás luminoso embebidas no interior de uma nuvem escura. Eles formam-se quando gás supersónico é ejectado a partir de uma proto-estrela e interage com o meio interestelar. A imagem mais pequena foi obtida no óptico e mostra a nuvem escura vista em silhueta contra o fundo estelar. Fonte:portal do astronomo

Constelação do Cão Maior

Imagem da constelação do Cão Maior. As estrelas mais brilhantes, normalmente utilizadas para identificar a constelação, surgem bem destacadas. Existem muitos objectos de interesse nesta região do céu. A estrela mais brilhante da imagem é Sirius, que é a estrela mais brilhante do céu nocturno. Encontra-se a cerca de 8,7 anos luz de distância e possui como estrela companheira uma anã branca cerca de 10.000 vezes menos brilhante que a estrela principal. A estrela principal tem cerca de 2 vezes a massa do Sol e é 26 vezes mais brilhante do que o Sol. Perto do centro da imagem é também visível um enxame aberto de estrelas designado M 41,   
Crédito: © Bill & Sally Fletcher, Science & Art .