Postagens

Mostrando postagens de Março 15, 2019

Investigadores confirmam que estrelas de hipervelocidade foi expulsa do disco da Via Láctea

Imagem
Usando um dos Telescópios Magalhães no Chile, bem como dados da missão espacial Gaia da ESA, os cientistas recriaram a trajetória de uma estrela massiva de hipervelocidade. A trajetória mostra que a estrela foi expelida do disco da Via Láctea, não do Centro Galáctico como se pensava anteriormente. Crédito: Kohei Hattori
De acordo com investigadores da Universidade de Michigan, uma estrela veloz pode ter sido ejetada do disco estelar da Via Láctea por um enxame de estrelas jovens. Os cientistas dizem que a estrela não teve origem no meio da Galáxia, como pensavam anteriormente.
"Esta descoberta muda drasticamente a nossa visão da origem das estrelas em movimento rápido," disse Monica Valluri, professora no Departamento de Astronomia da Faculdade de Literatura, Ciência e Artes da Universidade de Michigan. "O facto de que a trajetória desta estrela massiva e veloz tem origem no disco, e não no Centro Galáctico, indica que os ambientes muito extremos necessários para expelir …

A ultima foto do Opportunity de Marte

Imagem
Antesque seus circuitos corressem frios à sombra de uma tempestade de poeira marciana, o Opportunity deu uma olhada em seus arredores e os salvou para a posteridade.  A imagem representa uma conclusão pungente da missão do rover; um panorama detalhado combinando as trilhas mais recentes de sua jornada de maratona com um vislumbre das areias que nunca tocaria. A oportunidade não tinha a intenção de ser executada enquanto durasse. Apenas 90 dias se estenderam por 15 anos inteiros de rolamento sobre as areias marcianas, lançando instantâneos como um turista que se esqueceu de sua aposentadoria. A imagem de 360 ​​graus foi tirada do local de descanso final do rover em maio do ano passado. Mais de 29 dias, o Opportunity absorveu seus arredores em uma série de 354 fotos individuais antes de levá-las de volta à NASA. Enquanto a maioria deles proporcionava uma visão colorida da paisagem, o punhado de blocos pretos e brancos no canto era tomado pela energia que se desvanecia, negando ao Opportuni…

Buracos brancos podem ser demais para seu cérebro entender

Imagem
Buracos negrossão um dos objetos mais empolgantes do universo. Acredita-se que sejam os núcleos colapsados de estrelas mortas, elementos espaciais estranhos muito densos dos quais nada escapa, nem mesmo luz.
Mas talvez eles não sejam o único tipo de “buraco” no espaço. Buracos brancosHipóteses matemáticas já descreveram algo chamado de “buraco branco” – uma singularidade sem massa. Como o nome indica, um buraco branco seria o oposto de um buraco negro. Os astrofísicos vêm “brincando” com esse conceito desde os anos 1970. Onde o horizonte de eventos de um buraco negro é o limite no qual sua força gravitacional impede que a luz atinja a velocidade de escape, o horizonte de eventos de um buraco branco impede que qualquer coisa entre. Em outras palavras, enquanto você não pode escapar de um buraco negro, não pode entrar em um branco. Onde um buraco negro suga matéria, um branco a expele.
Tais buracos brancos, se existissem, seriam incrivelmente brilhantes e enérgicos, lançando radiação no es…

Filosofia: O que é exatamente um Buraco Negro?

Imagem
Impressionantes e desafiadores, os buracos negros bem podem ser considerados um "buraco negro" metafórico, onde cabem ideias de vários tipos. [Imagem: ESO/Gravity Consortium/L. Calçada]
Definição de buraco negro O que é um buraco negro? Faça essa pergunta a 10 físicos e você obterá umas 11 respostas diferentes - levando em conta que alguns dirão que buracos negros não existem. Controvérsias à parte, um buraco negro é convencionalmente considerado como um objeto astronômico que consome irrevogavelmente toda a matéria e radiação que calhe de entrar em esfera de influência, conhecida como horizonte de eventos. Fisicamente, um buraco negro é definido pela presença de uma singularidade, isto é, uma região do espaço, delimitada pelo horizonte de eventos, dentro da qual a densidade massa/energia se torna infinita e as leis da física, normalmente bem comportadas, não mais se aplicam. No entanto, um artigo publicado na última edição da revista Nature Astronomy, o professor Erik Curiel, do …

O que os cientistas descobriram depois de peneirar poeira no sistema solar

Imagem
Nesta ilustração, vários anéis de poeira rodeiam o Sol. Estes anéis formam-se quando as gravidades dos planetas puxam grãos de poeira para órbita em torno do Sol. Recentemente, os cientistas detetaram um anel de poeira na órbita de Mercúrio. Outros teorizam que a fonte do anel de poeira de Vénus é um grupo de asteroides co-orbitais ainda não detetados. Crédito: Centro de Voo Espacial Goddard da NASA/Mary Pat Hrybyk-Keith
Assim como a poeira se acumula nos cantos e nas estantes das nossas casas, a poeira também se acumula no espaço. Mas quando a poeira assenta no Sistema Solar, é muitas vezes em anéis. Existem vários anéis de poeira em torno do Sol. Os anéis traçam as órbitas dos planetas, cuja gravidade puxa a poeira para o espaço em redor do Sol, à medida que se desloca a caminho do centro do Sistema Solar.
A poeira consiste de remanescentes esmagados da formação do Sistema Solar, há cerca de 4,6 mil milhões de anos - entulho de colisões de asteroides ou "migalhas" de cometas…