10 de outubro de 2018

15 Curiosidades sobre a astronomia que você não sabia


1. A maior parte da nossa compreensão moderna da astronomia baseia-se no trabalho de cientistas da cidade da Babilônia há mais de 2000 anos. Depois de conquistar a cidade, Alexandre, o Grande, ordenou a tradução dos registros astronômicos da Babilônia, fazendo com que o conhecimento se espalhasse em todo o mundo.

2. Bakhtiyar Khilji, o general muçulmano, destruiu a antiga universidade e biblioteca de Nalanda em 1193 na esperança de desenraizar o budismo. A destruição da biblioteca é considerada como responsável pelo desaparecimento do antigo pensamento científico indiano em Astronomia, Matemática, Alquimia e Anatomia.

3. Os seres humanos foram considerados os primeiros computadores a partir do início do século XVII. Esses indivíduos calculariam cálculos longos referentes à astronomia, álgebra, geometria e trigonometria.

4. Harlow Shapley, o homem que descobriu onde o nosso sol está em relação à nossa galáxia, escolheu a astronomia para estudar como seu tema principal, porque foi o primeiro que ele viu no catálogo do curso.

5. Existe um extenso artigo da Wikipedia sobre como é a astronomia de um ponto de vista marciano.

6. Em vez dos presentes tradicionais de um relógio e um par de calças compridas, a mãe do cientista de foguetes Wernher Von Braun deu-lhe um telescópio para sua confirmação luterana, despertando sua paixão pela astronomia.

7. Longe de impedir a ciência, “a Igreja Católica Romana deu mais apoio financeiro e apoio ao estudo da astronomia por mais de seis séculos, desde a recuperação do aprendizado antigo durante o final da Idade Média até o Iluminismo, do que qualquer outro, e provavelmente, todas as outras instituições. ”

8. O Sagan Planet Walk – uma representação em escala de 1,2 km, escala 1: 5 bilhões, do sistema solar em Ithaca, NY foi expandida em 1997 para incluir Alpha Centauri (a estrela vizinha mais próxima). Está localizado no Centro de Astronomia Imiloa da Universidade do Havaí, tornando-se a maior exposição do mundo.

9. Uma das realizações mais conhecidas de al-Battānī (858 – 929 D.C) na astronomia foi a determinação do ano solar como sendo 365 dias, 5 horas, 46 minutos e 24 segundos.

10. O famoso astrônomo Tycho Brahe, conhecido por ajudar a revolucionar a astronomia nos anos 1500, perdeu um pedaço de seu nariz em um duelo de espadas com um colega em relação à legitimidade de uma fórmula matemática, levando-o a viver o resto de sua vida com uma inserção de metal sobre o pedaço ausente.

11. Um passo crítico na criação do Wi-Fi foi um subproduto da pesquisa para melhorar a imagem da astronomia.

12. O primeiro observatório da Etiópia foi inaugurado em 2014 e os astrônomos esperam que seus empreendimentos espaciais iniciem uma cultura científica na África subsaariana, uma região onde atualmente muito pouca astronomia é ensinada.

13. Pesquisadores que trabalham na Bell Labs são responsáveis ​​pelo desenvolvimento da radioastronomia, do transistor, do laser, do CCD (sensor de imagem), da teoria da informação, do sistema operacional Unix e das linguagens de programação C e C ++. Prémios Nobel.

14. O Vaticano tem seu próprio observatório para buscar a ciência da astronomia.

15. A data do calendário da Páscoa é baseada na astronomia. Geralmente é o primeiro domingo após a primeira lua cheia após o equinócio vernal.
Fonte: Listadecuriosidades.com.br

Astrônomos estão procurando por sinais de vida alienígena na galáxia de Andrômeda


Um grupo de astrônomos deu os primeiros passos para procurar vida alienígena na galáxia de Andrômeda como parte de uma nova pesquisa. O projeto é chamado de Trillion Planet Survey, e está sendo executado pela Universidade da Califórnia. A ideia é que, se houver uma civilização por aí que propositadamente envie sinais, talvez seja possível identificá-la.

A equipe está à procura de transmissões de uma civilização de “classe similar ou superior à nossa tentando perceber sua presença usando um feixe de luz”, observou Andrew Stewart, da Emory University. Isso é conhecido como SETI Óptico (Busca por Inteligência Extraterrestre).

Com base em um artigo de 2016 de Philip Lubin, que lidera o novo projeto, a equipe está buscando a ideia de que há outra civilização por aí que não sabe que estamos aqui, mas está tentando fazer contato. Eles dizem que seria possível criar uma luz brilhante que pudesse ser vista através do universo. A equipe está agora pesquisando em Andrômeda (também chamada de M31) à procura por uma luz assim.

Usando uma série de imagens tiradas por telescópios da Galáxia de Andrômeda, eles vão criar uma única imagem da galáxia. Eles vão comparar essa imagem a outras imagens diferentes, buscando  “sinais transitórios” – eventos que operam em intervalos de tempo relativamente curtos medidos em anos ou menos.  Se houver uma diferença entre a foto de pesquisa e uma foto diferente, isso pode indicar que algum tipo de sinal está sendo transmitido.

Como Andrômeda está a 2,5 milhões de anos-luz de distância, qualquer sinal que detectarmos terá sido enviado pelo menos 2,5 milhões de anos atrás, tempo suficiente para uma civilização ter desaparecido. Mas a equipe nota que vale a pena dar uma olhada, mesmo que as chances de sucesso sejam baixas. Tudo pode ser em vão – podemos ficar sozinhos ou qualquer sinal pode ser indetectável. Mas como se costuma dizer, se não tentarmos, nunca saberemos.
Fonte: IFLS

O Que é a Zona de Goldilocks e qual sua importância?


Se você gosta de astronomia, provavelmente você já deve ter ouvido falar na zona de Goldilocks, mas você sabe o que significa isso? Segundo os astrônomos e cientistas o planeta terra está situado na zona de Goldilocks, que nada mais é, do que, a zona habitável de uma estrela, no nosso caso, o sol.

A zona de Goldilocks é onde a terra está, que é considerado a zona onde é possível ter vida, ou seja, que não é quente demais e nem frio demais, onde a temperatura é agradável a ponto de ter vida e água em estado líquido, pois para que haja vida é necessário que haja água em estado líquido, pois no nosso planeta onde há água, há vida. Claro que isso se refere a vida como nós da terra conhecemos, porém a vida em outros planetas poderia ser muito diferente da que temos na terra.

A única vida que conhecemos é a nossa vida baseada em carbono, e a água desempenha um papel crucial na nossa própria existência, e por isso é natural que direcionamos nossa atenção para os planetas em locais capazes de ter água líquida”, disse o professor John Webb da Universidade de Nova Gales do Sul.

Os astrônomos utilizam desse princípio de que a vida em outros planetas seja igual à da terra e procuram planetas que estejam em zonas habitáveis de suas estrelas assim como a terra está no sistema solar, pois se um planeta possui água em estado líquido pode haver vida assim como existe na terra.

“A localização de uma Zona Goldilocks em torno de outra estrela depende de que tipo é a estrela”, disse o professor Webb. As estrelas mais quentes têm suas Zonas de Goldilocks mais para a borda externa da estrela, enquanto as estrelas mais pequenas, como as estrelas anãs vermelhas tipo M, têm zonas habitáveis mais próximas da estrela.

As anãs vermelhas são o tipo mais comum de estrela na Via Láctea, e têm uma expectativa de vida muito longa. Isso significa que os planetas que orbitam essas estrelas têm mais tempo para desenvolver vida.

No sistema solar tem 3 planetas na zona habitável, Vênus na borda interna, a Terra bem ao centro e Marte mais para a borda externa. Segundo Webb, Vênus já teve água em estado líquido, porém como o planeta possui um efeito estufa essa água já não existe mais em estado líquido.

Porém mesmo que um planeta esteja nesta zona de Goldilocks, ainda sim, não é possível ter certeza se um planeta é habitável, pois isso é apenas um dos indicadores. É necessário saber também se o planeta possui efeito estufa, saber a reflexividade das nuvens e o tipo da atmosfera, o que atualmente ainda não se é possível saber.
Fonte: ListadeCuriosidades.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Artigos Mais Lidos