Postagens

Mostrando postagens de Novembro 28, 2017

Estrelas estão sendo geradas em CHAMAELEON I

Imagem
Uma nuvem escura quando observada por telescópios ópticos, a região conhecida como Chamaeleon I, se revela como uma região muito ativa onde estrelas se formam, nessa bela imagem em infravermelho feito pelo Observatório Espacial Herschel da ESA. Localizada a somente 550 anos-luz de distância da Terra, na constelação de Chamaeleon, essa é uma das áreas mais perto da Terra, onde as estrelas estão ganhando vida.
Lançado em 2009, o Herschel observou o céu nos comprimentos de onda do infravermelho e no submilimétrico até 2013. Sensível ao calor que emana de pequenas frações da poeira fria misturada com as nuvens de gás onde as estrelas se formam, ele forneceu uma visão sem precedentes do material interestelar que permeia a Via Láctea. O Herschel descobriu uma vasta e intrigante rede de estruturas filamentares, em todo o canto da galáxia, confirmando que os filamentos são elementos cruciais no processo de formação de estrelas.
Depois que a rede filamentar nasce dos movimentos turbulentos do gá…

Medidos os primeiros movimentos próprios de estrelas fora da VIA LÁCTEA

Imagem
Graças à combinação de dados do Telescópio Espacial Hubble e da missão Gaia, astrónomos da Universidade de Groninga conseguiram medir o movimento próprio de quinze estrelas da Galáxia Anã do Escultor, a primeira medição do género para uma galáxia pequena para lá da Via Láctea. Os resultados mostram uma preferência inesperada na direção do movimento, o que sugere que o modelo teórico padrão usado para descrever o movimento das estrelas e do halo de matéria escura noutras galáxias pode ser inválido. Os resultados foram publicados ontem na Nature Astronomy.
Há muito que os astrónomos são capazes de medir o movimento das estrelas na nossa "linha de visão" (ou seja, o movimento na nossa direção ou para longe de nós) através do desvio para o vermelho, provocado pelo efeito Doppler. No entanto, a medição do movimento no plano do céu, chamado "movimento próprio", é muito mais difícil. Para detetar este movimento são necessárias múltiplas medições muito precisas da posição d…

A mistriosa galáxia NGC 4625

Imagem
Os astrônomos observaram a NGC 4625 em diferentes comprimentos de onda na esperança de resolver esse mistério cósmico. As observações no ultravioleta forneceram uma primeira pista: na luz ultravioleta, o disco da galáxia parece 4 vezes maior do que na imagem mostrada aqui. Um indicativo de que existe um grande número de estrelas muito jovens e quentes, visíveis principalmente no ultravioleta, estrelas essas que estão se formando nas regiões externas da galáxia. Essas jovens estrelas tem cerca de 1 bilhão de anos de idade, cerca de 10 vezes mais jovens do que as estrelas que aparecem na luz visível nessa imagem. Num primeiro momento, os astrônomos assumiram que essa alta taxa de formação de estrelas era devido a interação com outra galáxia anã próxima, a NGC 4618.  Os astrônomos especulam que a NGC 4618 se encontrou com a NGC 4625 e nesse encontro, a NGC 4625 perdeu um de seus braços espirais. Em 2004, os astrônomos encontraram uma prova para isso, o gás nas regiões mais externas da NG…

Asteroide de 5 km vai passar ‘raspando’ na Terra antes do Natal

Imagem
Objeto é conhecido como 3200 Phaeton e, em meados de dezembro, passará a 10 milhões de quilômetros do nosso planeta - relativamente perto, segundo as proporções científicas. Uma rocha espacial de cerca de 5km de extensão passará "de raspão" na Terra, de acordo com as proporções espaciais.
O asteroide 3200 Phaeton deve ficar a cerca de 10 milhões de quilômetros do nosso planeta em 16 de dezembro. A distância absoluta pode parecer grande, mas é 27 vezes mais perto od que a distância do nosso planeta para a Lua.
A extensão do objeto é o equivalente a quase duas vezes o tamanho da avenida Paulista, no centro de São Paulo. Equivale também à distância do estádio Mané Garrincha ao Congresso Nacional, em Brasília (DF).
Segundo a Nasa (agência espacial dos EUA), não há motivo para pânico, porém: é extremamente improvável que haja qualquer dano ao nosso planeta com a passagem do Phaeton.
Ainda segundo a Nasa, a passagem do Phaeton permitirá observações bastante precisas a partir dos obser…