Postagens

Mostrando postagens de Maio 16, 2018

ALMA e VLT descobrem formação de estrelas apenas 250 milhões de anos após o Big Bang

Imagem
Esta imagem, obtida com o Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, mostra o aglomerado de galáxias MACS J1149.5+2223. A imagem inserida, obtida pelo ALMA, mostra a galáxia muito distante MACS1149-JD1, observada como era há 13,3 bilhões de anos atrás. A distribuição de oxigênio detectada pelo ALMA está assinalada em vermelho. Crédito: ALMA (ESO/NAOJ/NRAO), NASA/ESA Hubble Space Telescope, W. Zheng (JHU), M. Postman (STScI), the CLASH Team, Hashimoto et al.
Com o auxílio do Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) e do Very Large Telescope do ESO (VLT), astrônomos determinaram que a formação estelar na galáxia muito distante MACS1149-JD1 começou numa época surpreendentemente precoce, apenas 250 milhões de anos após o Big Bang. Esta descoberta também revelou o oxigênio mais distante já encontrado no Universo e a galáxia mais distante observada pelo ALMA ou pelo VLT até agora. Estes resultados serão publicados na revista Nature em 17 de Maio de 2018. Uma equipe internacional de as…

Astrônomos descobrem BURACO NEGRO de mais rápido crescimento

Imagem
Os astrônomos da ANU (Australian National University) descobriram o buraco negro de mais rápido crescimento conhecido no Universo, descrevendo-o como um monstro que devora uma massa equivalente ao nosso sol a cada dois dias. Os astrônomos analisaram mais de 12 bilhões de anos até os primórdios da Idade das Trevas do Universo, quando estima-se que esse buraco negro supermassivo tenha o tamanho de 20 bilhões de sóis com uma taxa de crescimento de 1% a cada um milhão de anos.
“Este buraco negro está crescendo tão rapidamente que está brilhando milhares de vezes mais do que uma galáxia inteira, devido a todos os gases que sugam diariamente que causam muita fricção e calor”, disse o Dr. Wolf, da Escola de Astronomia da ANU. “Se tivéssemos esse monstro no centro da nossa galáxia Via Láctea, ele pareceria 10 vezes mais brilhante que a lua cheia. Apareceria como uma estrela incrivelmente brilhante que quase apagaria todas as estrelas do céu.”
O Dr. Wolf disse que a energia emitida por este recém…

O campo magnético da Terra está se deslocando para o oeste e ninguém sabe por quê

Imagem
O campo magnético da Terra nos protege do vento solar, desviando as partículas carregadas. E por alguma razão, o campo está se movendo para o oeste.Crédito: CLAUS LUNAU / Getty Temos medido o campo magnético da Terra por 400 anos. Em todo esse tempo, ele tem se deslocado inexoravelmente para o oeste. Não sabemos por que, mas uma nova hipótese sugere que ondas lentas e estranhas no núcleo externo da Terra podem ser as causadoras desse desvio. Chamadas de ondas de Rossby, elas surgem em fluidos rotativos. Também são conhecidas como “ondas planetárias” e são encontradas em muitos corpos grandes e giratórios, como nos oceanos e na atmosfera da Terra, em Júpiter e no sol.
Ondas de Rossby
O núcleo externo da Terra também é um fluido rotativo, o que significa que ondas de Rossby também circulam nesse núcleo. Enquanto as ondas oceânicas e atmosféricas de Rossby têm cristas que se movem para o oeste contra a rotação leste da Terra, as ondas de Rossby no núcleo do planeta se movem na direção contr…