Pular para o conteúdo principal

Tipos de Estrelas

Anã branca: Estrela pequena e quente, que se acredita assinalar o estágio final de evolução de uma Estrela como o Sol. Uma Anã branca é mais ou menos do tamanho da Terra, embora contenha tanta matéria quanto o Sol. Essa matéria compacta é tão densa que um dedal dela pesaria uma tonelada ou mais. As Anãs brancas são tão fracas que mesmo as mais próximas de nós, que giram em torno de Sirius e de Procyon, só são vistas com telescópio.  

Anã vermelha: Estrela fria e fraca, de massa menor que a do Sol. As Anãs vermelhas são provavelmente as Estrelas mais abundantes em nossa galáxia, embora seja difícil observá-las em virtude de seu brilho fraco. Mesmo as Anãs vermelhas mais próximas, Próxima Centauri e a Estrela de Barnard, são invisíveis sem telescópio. 

Anã Marron: É um corpo celeste cuja massa é pequena demais para que ocorra uma fusão nuclear em seu núcleo, a temperature e a pressão do núcleo são insuficientes para que a fusão aconteça. Por isso, não pode ser considerada realmente uma estrela.

Binária Eclipsante: Par de Estrelas que giram em órbitas uma da outra. Assim, periodicamente uma delas passa em frente da outra para o observador na Terra. A primeira binária eclipsante descoberta foi Algol. 

Estrelas binárias (ou Estrela dupla): Par de Estrelas que giram uma ao redor da outra. A maioria das binárias dá, a olho nu, a impressão de ser uma Estrela simples. Algumas dessas Estrelas estão tão próximas entre si que sua existência só pode ser deduzida a partir da análise espectroscópica da luz que emitem. Em algumas binárias uma Estrela eclipsa periodicamente a outra. 

Estrela de nêutrons: Pequena Estrela densa, que se acredita assinalar o ponto final da evolução de Estrelas com massa maior que o Sol. Uma Estrela de nêutrons tem diâmetro de apenas cerca de 15 quilômetro, embora contenha tanta matéria quanto nosso Sol. Essa matéria está comprimida de tal maneira que um dedal pesaria milhares de milhões de toneladas. Acredita-se que os pulsares, poderosas fontes de ondas de rádio, sejam Estrela de nêutrons. 

Estrela variável: Estrela cuja produção de luz apresenta variações. Algumas variam de tamanho, como as variáveis cefeídas; outras são Estrelas duplas próximas, que periodicamente se eclipsam. Em 1975, mais de 25.000 Estrelas foram classificadas em nossa galáxia. 

Estrela Gigante Azul: Uma estrela gigante azul é uma estrela azul, enorme, muito quente e muito luminosa. Ela não é uma estrela da seqüência principal mas sim uma estrela pós seqüência principal. Estas estrelas, incrivelmente quentes, queimam hélio. Estas gigantes têm o tipo espectral O ou B e são muito raras e muito brilhantes. As estrelas gigantes azuis têm, pelo menos, 18 vezes a massa do Sol. Exemplos incluem Rigel e Regulus. 

Gigantes Vermelhas: Estrelas maiores que o Sol, e de temperatura mais baixa. Acredita-se que o estágio de gigante vermelha seja alcançado próximo ao fim do ciclo de existência de uma Estrela, quando ela se expande por força da pressão da radiação produzida pelas reações termonucleares ocorridas em seu núcleo. O Sol deverá se transformar numa gigante vermelha semelhante a Arcturus, dentro de mais ou menos 5.000 milhões de anos. As Estrelas que se tornam dezenas ou centenas de vezes maiores do que o Sol são chamadas supergigantes. 

Estrelas Supergigantes: As estrelas supergigantes são estrelas extremamente evoluídas, nos estágios finais de sua vida, ou seja, uma estrela que está prestes a "morrer". Elas possuem uma luminosidade extremamente alta e suas temperaturas da superfície são relativamente frias. Uma estrela supergigante é o maior de todos os tipos de estrelas conhecidas. Seus diâmetros são enormes, chegando a mais de 100 vezes o diâmetro do Sol. Algumas são quase tão grandes quanto o nosso Sistema Solar inteiro. As estrelas Betelgeuse e Rigel são supergigantes. As estrelas supergigantes são raras. Quando as supergigantes morrem elas explodem como supernovas e depois se tornam buracos negros. 

Nebulosa: Massa de poeira e gás em nossa galáxia. Algumas nebulosas são brilhantes, o que resulta da difusão da luz de Estrelas situadas em seu interior. Outras são mais escuras. 

Nebulosa planetária: Massa esférica de gás que, vista através de um pequeno telescópio, apresenta um disco, semelhante a um planeta, o que explica o seu nome. De fato, essas nebulosas nada têm a ver com planetas; acredita-se que sejam as camadas externas de antigas Estrelas gigantes vermelhas que passaram a vagar no espaço; seus núcleos teriam se transformado em anãs brancas. 

Nova: Estrela que está explodindo. Em um único dia, seu brilho aumenta 10.000 vezes ou mais, para depois esmaecer lentamente num período de semanas ou meses. Acredita-se que as novas sejam sistemas de Estrelas duplas nas quais o gás flui de uma Estrela para uma anã branca irmã. Esse gás se inflama e é expelido da anã branca, causando a erupção de brilho. Uma Estrela não é devastada por uma explosão de nova; assim o processo pode se repetir, ao contrário do que se acredita que ocorra com as supernovas. 

Pulsar: Fonte de rádio de pulsação rápida que se acredita ser uma Estrela de nêutrons giratória e que emite um feixe de radiação semelhante à luz de um farol. Os pulsares foram descobertos em 1967, e hoje já são conhecidos cerca de 150 pulsares. O pulsar mais rápido pulsa 30 vezes por segundo (centro da nebulosa do Caranguejo) e os mais lentos pulsam uma vez em cada 3 segundos, mais ou menos. 

Quasar: Objeto de grande intensidade de brilho, situado num ponto remoto do espaço, e que se acredita ser o centro de uma galáxia em formação. Os quasares são tão pequenos que parecem Estrelas mesmo nos maiores telescópios; mas eles produzem milhares de vezes mais energia do que uma galáxia como a Via-Láctea. Talvez sua energia se origine de um buraco negro gigante existente em seu centro. 

Supernova: Explosão brilhante de uma Estrela de massa elevada, no fim de sua existência. Numa supernova a Estrela brilha com uma intensidade milhões de vezes maiores do que o seu brilho normal. As camadas exteriores da Estrela são expelidas, formando um objeto como a nebulosa do Caranguejo; o núcleo da Estrela pode se transformar numa Estrela de nêutrons, ou mesmo num buraco negro.  

Variável cefeída: Tipo de Estrela cuja produção de luz varia regularmente, à medida que se contrai e se expande. Trata-se de Estrelas gigantes, dezenas de vezes maiores que o Sol, e centenas de milhares de vezes mais brilhantes. A variáveis cefeídas são importantes indicadores de distância na astronomia.

Comentários

  1. TEM BASTANTE COISAS NESSE SITE E NÃO PRECISAMOS FICAR PROCURANDO EM OUTROS....SITE MAIS QUE PERFEITO...

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pelo seu comentario !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade ótimo melhor que a Wikipédia bommm amei sou amante de Química mas o meu "verdadeiro" amor e a astronomia

      Excluir
  3. Seu blo há meses está em meus favoritos! Muito bom, parabéns.
    Com relação a essa postagem, gostei de lê-la, contudo teria gostado mais se a descrição de cada estrela foi um pouco menos superficial.Queria mais informações sobre a Veriável Cefeída, que nunca tinha sequer ouvido falar. Mas a postagem tá maravilhosa, assim como a grande maioria das postagens desse blog. Continue alimentando nossa curiosidade sobre a gloriosa vastidão do universo, querido blogueiro.

    ResponderExcluir
  4. Muitissimo obrigado pelo seu comentário meu caro amigo, pesquisarei mais sobre esse assunto e em breve postarei aqui no blog ok!

    ResponderExcluir
  5. achei muito legal
    pois tem muitas informações importantes!!

    ResponderExcluir
  6. eu gostei tambem!!!
    as coisas ficam bem esplicadas!
    gostei mesmo.

    ResponderExcluir
  7. muitissimo obrigado levei meu primeiro 10 de trabalho kkkk mais valeu as informaçoe sao muito boas

    ResponderExcluir
  8. Obrigado amigo, espero que vc venha tirar outros dez....

    ResponderExcluir
  9. obrigada ajudou-me muito neste meu trabalho escolar !!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  10. Jessica Zubi da Silva25 de outubro de 2012 21:06

    gostei muito deste site

    ResponderExcluir
  11. mt bom seu site me ajudou muitoo!!!parabens

    ResponderExcluir
  12. Muito obrigado amigo pelo seu coméntario, fico feliz por ter te ajudado!!!

    ResponderExcluir
  13. muitoo boom isso..;)))

    ass: Adriane e Tainara

    ResponderExcluir
  14. muito obrigado tirei 10 no meu trabalho de ciencias,quandoeu precisar vou entrar nesse site sempre ja coloquei ate nos meus favoritos!!!ESSE SITE E 10

    ResponderExcluir
  15. Muito obrigado pelo seu comentário e continue visistando o blog!

    ResponderExcluir
  16. Muito bom essas informações... conhecimento sempre é de grande preciosidade... Muito importante os conteúdos aqui apresentados, vale lembrar que o universo é algo fascinante e devemos respeitar tudo que existe ao nosso redor, ou seja, fazemos parte disso tudo, e somos parte disso tudo... Devemos sempre preservar aquilo que faz parte e favorece a nossa vida existencial, incluindo a nossa moradia... chamado de planeta Terra... valeu pelos conhecimentos transmitidos pelo assunto...

    ResponderExcluir
  17. Valeu muito obrigado pelo seu comentário!

    ResponderExcluir
  18. Ótimo, 5 estrelas (1=ruim, 2=abaixo da média, 3=normal, 4=acima da média, 5=Excelente) mais não disse uq é hypernova e hipergigante

    ResponderExcluir
  19. Sou a mesma pessoa que comentou o que está acima,faltam tipos de estrelas, e esses tipos são hipergigante roxa e metagigante vermelha

    ResponderExcluir
  20. gostei , ajudou bastante na minha pesquisa mais gostaria que botasse mais exemplos de estrelas porque meu trabalho também estava pedindo exemplos de estrelas.

    ResponderExcluir
  21. mds muito boom o site me ajudou mtt no meu trabalho espero q possa me ajudar outras vezes :D

    ResponderExcluir
  22. me ajudo com a lição da postila de ciencias kkk

    ResponderExcluir
  23. Marrom é com M bando de BURRO aff...

    ResponderExcluir
  24. Doença...Ficar corrigindo os outros -.-'

    ResponderExcluir
  25. Muito Bom o Site! é Direto e Objetivo, Explica Bem Sem Ser Cansativo! Adorei! :3

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Gostei muito do site esta me ajudando muito :)

    ResponderExcluir
  28. bom trabalho dentro do tópico, mas esta faltando alguma complementação para dar originalidade, mas sem duvida ajuda muito, parabéns pela intenção.

    ResponderExcluir
  29. bom trabalho,mas segundo a Enciclopédia ilustrada do universo o sol do se tornara uma gigante vermelha daqui a 5 BILHÕES de anos

    ResponderExcluir
  30. vou arrasar no meu trabalho de fisica!!
    Mt Obg!!

    ResponderExcluir
  31. O Sol não vai virar gigante vermelha dentro de 5 milhões de anos. Será em 5 BILHÕESSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS. NÃO É 5 MILHÕES. É BILHÕES.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Se você achou interessante essa postagem deixe seu comentario!

Postagens mais visitadas

Espaço sideral

Espaço sideral é todo o espaço do universo não ocupado por corpos celestes e suas eventuais atmosferas. É a porção vazia do universo, região em que predomina o vácuo. O termo também pode ser utilizado para se referir a todo espaço que transcende a atmosfera terrestre.
Conceituações
Em astronomia, usa-se a denominação "espaço externo" ou "espaço sideral" para fazer referência a todo espaço que transcende o espaço englobado pela atmosfera terrestre. O espaço sideral é frequentemente subdividido em três subespaços:
1.Espaço interplanetário designação usada sobretudo para se referir aos espaços existentes entre os planetas do nosso próprio sistema solar. Por extensão, inclui as distâncias entre os eventuais planetas de qualquer sistema estelar, inclusive o nosso.
2.Espaço interestelar designação usada para se referir às porções de quasi-vácuo existentes entre as estrelas. Refere-se sobretudo aos espaços entre as estrelas da nossa própria galáxia: a Via Láctea.
3.Espaço inte…

Conheça as 10 estrelas mais próximas da Terra

O sol é uma estrela entre milhões na nossa galáxia. Mas muitas outras estrelas próximas existem, inseridas nos seus próprios sistemas e possivelmente algumas delas até terão planetas a orbitá-las. A presente lista detalha as 10 estrelas mais próximas das Terra, cada uma com o seu próprio sistema solar e algumas pertencendo a sistemas binários. Algumas delas são anãs vermelhas, sendo que possuem uma magnitude tão baixa que apesar da sua proximidade à Terra não as conseguimos ver a olho nu. 1. O Sol Distância: 8 minutos/luz Obviamente, a estrela mais próxima da Terra é a estrela central no nosso sistema solar, nomeadamente o nosso sol. Ele ilumina diretamente a Terra durante o dia e é responsável pelo brilho da Lua durante a noite. Sem o Sol, a vida como a conhecemos não existiria aqui na Terra. 2. Alpha Centauri Distância: 4,24 anos-luz Alpha Centauri é na verdade um sistema composto por três estrelas. As estrelas principais no sistema de Alpha Centauri, chamadas de Alpha Centauri A e Alp…

Os 7 elementos do universo

Fogo, terra, água e ar. Os filósofos gregos do século 6 a.C. acreditavam que esses 4 elementos formavam tudo o que existe. E eles não estavam tão errados assim. Hoje sabemos que você, as pedras, as estrelas, os seres extraterrestres ou qualquer outra coisa que dê para imaginar são o resultado de alguns poucos ingredientes, e da forma como eles interagem entre si. Para entender isso melhor, dê uma olhada para o seu dedo aí ao lado, que está segurando esta revista. Ele é composto de 99,9% de vazio. Não toca nada.

O que mantém esta revista na sua mão são partículas insanamente pequenas trocadas freneticamente entre os átomos dos seus dedos e os do papel. Os próprios átomos são menores do que manda o bom senso. Quer ver? Então olhe de novo para o seu dedo e observe a cutícula. Estique mentalmente esse pedacinho de pele até que ele fique do tamanho de um prédio de 100 andares. Se isso acontecesse, o átomo ficaria com a espessura de uma folha de papel. Acredite se quiser, nesse espaço exíguo…

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Mercúrio é um planeta seco, quente e quase não tem ar. O planeta fica a quase 58 milhões de quilômetros do Sol e não tem lua nem atmosfera. Fica tão perto do Sol que as temperaturas da superfície podem chegar a 430oC. Assim como a Lua, o planeta é coberto por uma camada fina de minerais. Mercúrio também tem áreas de terra amplas e planas, precipícios e muitas crateras profundas como as da Lua. Cientistas dizem que o interior de Mercúrio e da Terra é feito de ferro.

Vênus é o segundo planeta mais próximo do Sol e é quase do mesmo tamanho da Terra. A superfície do planeta é cheia de montanhas, vulcões, cânions e crateras. O planeta é coberto por nuvens de ácido sulfúrico, uma substância mortal. Vênus também é um planeta muito quente: a temperatura na superfície é de 460oC. Os cientistas enviaram uma nave para explorar o planeta. A primeira a sonda passar perto do planeta foi a Mariner 2, em 1962.

A Terra é o terceiro mais próximo do Sol e o maior dos quatro planetas rochosos. É uma esfera…

Escuridão do Espaço - Por que o Espaço é Escuro?

Porqueo espaço é escuro? Uma questão, que parece simples, porém é realmente muito difícil de responder! É uma pergunta que muitos cientistas ponderaram por muitos séculos – incluindo Johannes Kepler, Edmond Halley, e médico-astrônomo alemão Wilhelm Olbers. Há duas questões que temos que considerar aqui, vamos começar é pela primeira e mais simples delas: Por que o céu é azul durante o dia aqui na Terra? Essa é uma pergunta que podemos responder facilmente. O céu diurno é azul porque a luz das moléculas próximas ao sol bate na atmosfera da Terra e é espalhada em todas as direções. A cor azul do céu é um resultado deste processo de espalhamento. À noite, quando essa parte da Terra está de costas para o Sol, o espaço parece negro porque não existe uma fonte próxima brilhante de luz, como o Sol, para ser espalhada. Se você estivesse na Lua, que não tem atmosfera alguma, o céu noturno seria negro e o diurno também. Você pode ver isso em fotografias tiradas durante a missão Apollo. Agora vam…