NGC 5189 – O Cartão de Natal do Hubble Para 2012

O Telescópio Espacial Hubble celebra a época de fim de ano, o natal e o ano novo com uma magnífica imagem da nebulosa planetária NGC 5189. A intrigante estrutura da erupção estelar parece uma gigantesca e brilhante fita de presente colorida no espaço. As nebulosas planetárias representam um breve estágio final na vida de uma estrela parecida com o Sol. Enquanto consome a parte final do combustível em seu núcleo, a estrela expele uma grande porção de suas regiões externas, que então são aquecidas e brilham de forma intensa, mostrando as intrigantes estruturas que os cientistas ainda estão tentando entender por completo. A estrutura visível dentro da NGC 5189 é particularmente dramática, e a imagem do Hubble da nebulosa é de longe a mais detalhada já feita desse objeto.

O Hubble tem sido uma ferramenta fundamental para estudar as nebulosas planetárias por anos e muitas de suas imagens ficaram famosas. Ao mesmo tempo em que são altamente atrativas do ponto de vista visual, as nebulosas planetárias nos dizem muito sobre o destino final do Sol, que irá formar uma nebulosa quando esgotar seu combustível em pouco mais de 5 bilhões de anos. Essas nebulosas foram assim denominadas pelos astrônomos que as estudavam usando os primeiros telescópios, com pouco aumento e com uma óptica que não era perfeita. Assim, as brilhantes e coloridas nebulosas eram vistas como objetos esféricos e apareciam na cor verde ou azul, como os planetas Urano e Netuno, assim, como a aparência evocava esses planetas gasosos gigantes do Sistema Solar externo, essas nebulosas receberam o nome de nebulosas planetárias.

Muitas delas podem até lembrar, de alguma forma planetas, mas no caso da NGC 5189 certamente isso não acontece. A nebulosa como pode ser visto acima tem a interessante forma de um S reverso. Observando em detalhe a imagem do Hubble, graças a alta resolução do telescópio espacial, a nebulosa mostra uma série de densos nós na nuvem de gás. O gás e a radiação fluindo da estrela moribunda geram as formas observadas nas nuvens, formando padrões ondulados na direção do centro da nebulosa. Os nós na NGC 5189 são uma lembrança de quão vasta pode ser uma nebulosa planetária. Na imagem acima essas regiões podem parecer meros detalhes, mas na verdade cada um desses nós é do tamanho de todo o Sistema Solar.

A estrela no centro da nebulosa, uma densa anã branca, é muito pequena para ser observada, mesmo apesar de ela ter o tamanho aproximado do planeta Terra. A forma geral da NGC 5189 pode nos dizer contraintuitivamente sobre o que está acontecendo em escalas bem pequenas ao redor da diminuta estrela central. A forma da NGC 5189 é uma reminiscência de um irrigador de jardim, com a matéria sendo expelida da estrela, que está balançando enquanto sofre seu movimento de rotação. Estruturas similares têm sido vistas antes, especialmente em nebulosas planetárias com sistemas binários de estrelas em seus centros. E essa pode também ser uma explicação provável para a estrutura da NGC 5189, apesar, de até o momento, apenas uma estrela ter sido encontrada no centro da nebulosa.
Fonte: http://www.spacetelescope.org

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton