Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2013

Sonda Messenger revela que Mercúrio teve um vasto oceano de magma

Imagem
A sonda Messenger orbita Mercúrio desde 17 de março de 2011. Equipada com nove instrumentos científicos, a missão dela é mapear o planeta, determinar a composição e sondar sua evolução geológica. Nesse mesmo ano, um grupo de cientistas analisaram dados de Raio-X fluorescente enviados da sonda, e identificaram duas composições distintas, e inexplicáveis, de formações rochosas na superfície. Uma equipe do Massachusetts Institute of Technology (MIT) usou os dados para criar em laboratório os dois tipos de rocha. Submetendo cada uma a altas temperaturas e pressões, simulando os processos geológicos do planeta, dizem que há apenas uma explicação: Um vasto oceano de magma criou duas camadas diferentes de cristais, solidificadas, que eventualmente, refundiram-se no magma que entrou em erupção na superfície de Mercúrio. O professor de geologia da MIT, Timothy Grove, diz que "a coisa que é realmente incrível em Mercúrio é, isso não aconteceu ontem". A estimativa da existênc…

Estrelas “moribundas” são capazes de manter planetas possivelmente habitáveis

Imagem
Sabemos que a Terra é, por enquanto, o único planeta habitável, porque reúne condições específicas para a existência e manutenção de vida. Sendo o terceiro planeta do Sistema Solar, a Terra está a uma distância de aproximadamente 150.000.000 km do Sol, o que contribuiu para uma série de fatores que foram favoráveis para a formação de vida no planeta. É satisfatória, por exemplo, a quantidade de radiação solar que chega até a atmosfera terrestre, no qual com o auxílio de camada de gases que envolvem a Terra, acaba sendo regulada, mantendo a atmosfera e a presença de água em estado líquido. O Sol é, por assim dizer, o elemento que essencialmente contribui para a existência da vida. No entanto, o planeta deve estar a uma distância consideravelmente segura para que isso possa ocorrer. No caso de Mercúrio e Vênus, por exemplo, eles estão tão próximos do Sol que praticamente não possuem atmosfera, e suas temperaturas são extremas. Mercúrio chega a 400 °C quando um lado está voltado…

O nascimento de um planeta gigante?

Imagem
Candidato a protoplaneta encontrado dentro do seu útero estelar
Impressão artística de um planeta gigante gasoso a formar-se no disco que rodeia a jovem estrela HD100546(ESO)
Astrónomos utilizaram o Very Large Telescope do ESO e obtiveram o que é, muito provavelmente, a primeira observação direta de um planeta em formação, ainda envolvido por um espesso disco de gás e poeira. Se for confirmada, esta descoberta ajudar-nos-á a compreender melhor como se formam os planetas, uma vez que será possível testar as teorias atuais versus um alvo observável. Uma equipa internacional liderada por Sascha Quanz (ETH Zürich, Suíça) estudou o disco de gás e poeira em torno da estrela jovem HD100546, uma estrela relativamente próxima situada a 335 anos-luz de distância da Terra. A equipa surpreendeu-se ao descobrir o que parece ser um planeta em formação, ainda envolvido no disco de material que rodeia a estrela. O candidato a planeta será um gigante gasoso semelhante a Júpiter. Até agora, a …

Estrelas são ejetadas do centro galáctico a 3 milhões de km/h

Imagem
A uma surpreendente velocidade de 3,2 milhões de quilômetros por hora (km/h), seis estrelas percorrem nossa galáxia, supostamente ejetadas pelo buraco negro que fica no centro dela. “São objetos incrivelmente rápidos que estão, de fato, soltos da gravidade da Via Láctea”, explica o estudante de astronomia Keith Hawkins, da Universidade de Ohio (EUA), um dos autores do estudo. Acredita-se que o fenômeno ocorre quando um par de estrelas se aproxima de um buraco negro super massivo (como o que se encontra no centro da nossa galáxia), que engole uma delas e libera uma imensa quantidade de energia, “arremessando” a outra. Como a região central da galáxia está cheia de poeira espacial, estrelas que escapam dessa área podem ajudar cientistas a estudar melhor as propriedades da região.

Embora já tenham sido encontradas anteriormente outras “estrelas de hipervelocidade” (como são conhecidas), estas são as primeiras de tamanho similar ao do sol, algo difícil de observar – como há incontáveis es…

NuSTAR da NASA ajuda a resolver o enigma da rotação dos buracos negros

Imagem
O concepção artistica que ilustraum buraco negro supermassivocom milhõesde bilhõesde vezes a massado nosso sol.Buracos negros supermassivossão extremamentedensosobjetosenterrados nocoração degaláxias.Crédito da imagem:NASA /JPL-Caltech Dois observatórios de raios-X, o Nuclear Spectroscopic Telescope Array, ou NuSTAR da NASA e o SMM-Newton da ESA, mediram de forma definitiva, pela primeira vez, a taxa de rotação de um buraco negro com uma massa equivalente a 2 milhões de vezes a massa do Sol. O buraco negro supermassivo localiza-se no coração repleto de gás e poeira da galáxia conhecida como NGC 1365, e está girando a uma velocidade quase tão rápida quanto a permitida pela teoria da gravidade de Einstein. As descobertas aparecem num estudo publicado, hoje, dia 28 de Fevereiro de 2013, na Revista Nature. O estudo mostra como os astrônomos resolveram um debate de longa data na astronomia sobre medidas similares feitas em outros buracos negros e levarão a entender melhor como os b…

E se o Big Bang não tivesse acontecido?

Imagem
Não haveria nada. Ou o Big Bang não seria como sabemos. Veja como seria a sua vida, o Universo e tudo mais Ninguém sabe. Mas é possível que a vida, o Universo e tudo mais tivessem surgido mesmo assim. Afinal, o Big Bang é a principal e mais aceita, mas não é a única teoria a respeito da criação. Porque ela tem algumas lacunas. Começou assim: na década de 1920, astrônomos perceberam que as galáxias de nosso universo estão constantemente em movimento, distanciando-se umas das outras. Assim, olhando para trás (beeeem para trás), eles concluíram que em determinado momento toda essa matéria que está espalhada pelo espaço - estrelas, planetas, asteroides, seu cachorro etc. - estava concentrada em um único lugar. Foi daí que surgiu o modelo do Big Bang. Mas ainda não há uma teoria que explique como a gravidade interage com átomos, moléculas e outros componentes primordiais do Universo. Ou seja, como todos esses elementos continuam se afastando. "Tudo o que a gente fala sobre o começo do …

Estrelas de Nêutrons em fusão criam explosões de raios Gamma

Imagem
As explosões de raios-gamma, ou GRBs, do inglês, são uma das mais energéticas explosões do universo. Os astrônomos dividem essas explosões em dois grupos separados: as GRBs Longas com duração de no mínimo 2 segundos e que provavelmente resultam do colapso de uma estrela massiva em um buraco negro, enquanto que as GRBs Curtas duram somente milissegundos e suas origens são desconhecidas. Por anos, os cientistas especularam que duas estrelas de nêutrons em fusão poderiam criar as GRBs Curtas, mas eles não podiam traçar isso de forma observacional, e as simulações computacionais nunca conseguiam durar o tempo suficiente para determinar a causa. Agora, uma equipe de astrônomos conseguiu gerar modelos detalhados em supercomputadores  que mostram que a fusão de estrelas de nêutrons podem, de fato gerar as GRBs Curtas. A simulação começou com duas estrelas de nêutrons, cada uma com uma massa 1.5 vezes maior que a massa do Sol e com 27.2 km de largura. Devido a alta densidade e ao…

LL Orionis ea e a Nebulosa de Orion

Imagem
Créditos da Imagem:NASA, ESA, and The Hubble Heritage Team Esse estético detalhe das nuvens cósmicas e ventos estelares mostra a LL Orionis, interagindo com o fluxo da Nebulosa de Orion. Vagando no berçário estelar de Orion e ainda em seus anos de formação, a estrela variável LL Orionis produz um vento mais energético do que o vento da nossa própria estrela, o Sol, que já está em sua meia idade. À medida que o vento estelar sopra no gás se movendo mais vagarosamente uma frente de choque é formada, algo análogo a uma onda formada quando um barco se move pela água ou quando um avião viaja a uma velocidade supersônica. A pequena estrutura em forma de arco um pouco acima e a esquerda do cento é a onda de choque da LL Ori, medindo aproximadamente meio ano-luz de diâmetro. O gás mais lento está fluindo para longe do aglomerado estelar central quente da Nebulosa de Orion, o Trapézio, localizado fora da imagem na direção do canto superior esquerdo da imagem. Em três dimensões, a f…

8 asteroides com órbitas próximas à Terra

Imagem
Trajetórias próximas
Segundo a Nasa, existem 4.700 asteroides que podem ser perigosos para a Terra. A avaliação foi feita com ajuda de observações do telescópio Wide-field Infrared Survey Explorer (Wise).Esses asteroides mapeados pela Nasa como potencialmente perigosos têm órbitas próximas à Terra. Além disso, eles são grandes o suficiente para resistir à passagem pela atmosfera e causar danos ao planeta. Veja a seguir alguns asteroides perigosos - e outros nem tanto - com a órbita próxima ao planeta Terra. APOPHIS
Batizado com o nome da divindade egípcia do mal e da escuridão, Apophis deve passar raspando pela Terra em 2029 e poderá, eventualmente, atingi-la em 2036. Sua última aproximação aconteceu recentemente, em 9 de janeiro de 2013, a 14,4 milhões de quilômetros de distância. Quando foi observado pela primeira vez, em 2004, os cientistas calcularam em 2,7% a probabilidade de uma colisão catastrófica com a Terra em abril de 2029. No entanto, novas estimativas afastaram o…

Asteróides são cada vez mais uma ameaça para Terra, diz cientista russo

Imagem
Os grandesasteróides são uma ameaça cada vez maior para a Terra, por isso será preciso investir mais no estudo destes corpos celestes, que até agora não estavam no centro das investigações espaciais, afirmou nesta terça-feira o cientista Yuri Zaitsev, da Academia de Engenharia da Rússia, em uma entrevista à agência "Interfax". "Os asteróides nunca ocuparam um lugar central na astronomia nem nas investigações espaciais", disse Zaitsev. O cientista russo explicou que este baixo investimento ocorre pois se pensava que a probabilidade de um asteróide se chocar com a Terra era ínfima, portanto não fazia sentido gastar um volume muito grande de recursos para neutralizar uma ameaça tão improvável. "Acho que após o que ocorreu em Chelyabinsk este enfoque será revisado. Se o asteróide de Chelyabinsk tivesse explodido mais próximo da cidade, o desastre na usina nuclear de Chernobyl não nos pareceria tão grave", alertou Zaitsev. O acadêmico se referia ao meteorito qu…

Cometa ISON passará pelo Sol a mais de 1 milhão de km/h

Imagem
A cada diaque passa, além de se tornar mais brilhante o cometa C/2012 S1 ISON também está ficando mais rápido. Atualmente, sua velocidade é de cerca de 220 mil km/h, uma verdadeira carroça se compararmos com a velocidade que atingirá quando chegar ao periélio. À medida que se aproxima do Sol, além de ficar mais brilhante o cometa ISON também ganha velocidade, pois quanto mais perto da estrela, maior a interação gravitacional. Isso "atrai" o cometa com mais força, fazendo-o despencar mais rápido em direção à estrela. Os cálculos mostram que no dia 27 de dezembro de 2013 ISON chegará a apenas 63 milhões de quilômetros de distância do SOL. Neste dia, sua velocidade de deslocamento será de nada menos que 1.36 milhões de km/h ou 377 km/s. Se fosse um avião, seria possível fazer uma viagem de São Paulo à Nova York em menos de 20 segundos! Apesar de parecer bastante rápido, outros cometas do tipo "sungrazers" podem facilmente ultrapassar esta marca. Em 2011, o c…

Conheça melhor os 5 planetas anões do Sistema Solar

Imagem
A palavra“planeta” era usada para descrever os pontinhos de luz que passeavam entre estrelas imóveis pelo céu na Grécia Antiga. Desde então, a definição do termo mudou bastante. Até o século 17, por exemplo, Lua e Sol eram classificados como planetas. Em 1930, a descoberta de Plutão levantou muita poeira cósmica. Ele entrou para o time de astros do Sistema Solar, mas nunca deixou de causar controvérsias. Com os avanços tecnológicos que apareceram a partir dos anos 1990, o campo de observação do espaço se expandiu e ficou mais fácil encontrar corpos celestes que ninguém sabia que existiam.

Foi o caso dos astros gelados do Cinturão de Kuiper, uma região do Sistema Solar além dos planetas que se estende desde a órbita de Netuno e que reúne objetos chamados de KBO (Kuiper Belt Object). Em 2005, os cientistas descobriram Éris, um KBO aparentemente maior que Plutão. Pã. Um ano depois, a União Internacional de Astronomia (IAU) definiu uma nova categoria para estes astros diminutos…

Como surgiram as galáxias

Imagem
Nos últimos anos, nossa visão do universo passou por grandes transformações. Uma delas é que os pesquisadores descobriram que ele está se expandindo muito e é povoado por uma infinidade de corpos celestes. Isso porque no começo do século passado, todos acreditavam que a Via Láctea era a única galáxia do universo, apesar de avistarem outras, acreditavam que fazia parte da nossa galáxia. Mas no ano de 1924, Edwin Hubble deu uma luz na situação, e provou que existem centenas de bilhões de galáxias, muito mais do que se imaginava, e que elas estavam se distanciando entre si, todas estavam se afastando de nós. Isso levantou muitas questões a respeito de que estávamos no centro do universo, mas esse é tema para outro artigo. Mas então se essas galáxias estão se afastando cada vez mais, é de se imaginar que um dia elas estavam mais unidas. E voltando ainda mais no tempo, estavam todas amontoadas num único ponto, o Big Bang. Mas o assunto de hoje é como elas surgiram. Se o universo está se exp…

Alguns meteoritos são impossíveis de prever

Imagem
A Terra recebe aproximadamente 100 toneladas de material cósmico todo dia Dois eventos espaciais assustaram os terráqueos há uma semana, no dia 15 de fevereiro. O asteroide 2012 DA14 chegou a 27,6 mil km da superfície da Terra, mais próximo do que muitos satélites comerciais. Esse fato já havia sido previsto com quase um ano de antecedência. Horas antes, no entanto, a queda de um meteorito deixou mais de mil feridos na Rússia. Desse bólido, ninguém sabia. Com a tecnologia atual, objetos relativamente pequenos são identificados com antecedência mínima. Mas, se visitas diminutas como o da cidade de Chelyabinsk podem provocar danos grandes, materiais e humanos, não seria importante investir mais em detecção a fim de evitar acidentes como esse? Objetos maiores do que quatro metros já podem ser registrados com a tecnologia atual, segundo o professor Jorge Ricardo Ducati, do Departamento de Astronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mas nem todos - e só quando estão real…

Mapa aponta locais onde já caíram meteoritos em todo o mundo

Imagem
Trabalho foi feito com base em dados de quase 35 mil pedras. No Brasil, quase não há registros na Região Norte. Mapa mostra áreas onde já caíram mais meteoritos no mundo (Foto: Reprodução/CartoDB) A queda de um meteoro na Rússia no último dia 15 deixou mais de mil feridos e aumentou a curiosidade em relação ao fenômeno. Ao longo da semana, leitores do G1 enviaram registros de uma mancha no céu, e em Campos dos Goyatacazes (RJ), astrônomos amadores chegaram a afirmar que seriam grandes as chances de que fragmentos de um meteoro cairiam na cidade. No entanto, a queda de meteoros é um fenômeno relativamente comum. O site “CartoDB” fez uma montagem em um mapa mostrando todos os lugares onde já foram registrados oficialmente quedas de meteoritos, incluindo os que já foram encontrados em terra e aqueles cuja descida foi presenciada. O mapa foi montado a partir da base de dados da “Meteoritical Society”, um grupo internacional que mantém o registro de todos os meteoritos reconhecidos pela comu…

Estrelas de sistema binário provocam explosões quando se aproximam

Imagem
Paulo Garcia, investigador da FEUP, participa em estudo internacional Durante a órbita, no ponto de maior proximidade, as suas magnetosferas tocam-se, libertando muita energia Duas estrelas muito jovens, que formam um sistema binário, rodeadas de poeira e gás, provocam um evento explosivo quando estão no seu maior ponto de proximidade. Este fenómeno, nunca observado em estrelas com esta massa, foi agora descrito numa investigação internacional em que está envolvido Paulo Garcia, do Departamento de Engenharia Física da Faculdade de Engenharia Universidade do Porto. O estudo está publicado no «Monthly Notices of the Royal Astronomical Society». Em conversa com o «Ciência Hoje», o investigador explicou, a partir da imagem que se pode ver acima, as particularidades este sistema. Na imagem (visão artística concebida a partir de observações feitas pelo Very Large Telescope Interferometer) “as duas estrelas estão no centro de uma região relativamente aberta de material, à volta dela da qual há…

A partícula profeta do apocalipse

Imagem
Como se já não bastasse a confusão causada quando chamam o bóson de Higgs de "partícula de Deus", eis que, recentemente, a mesmíssima partícula voltou à berlinda, agora como profeta do fim. Isso mesmo, leitores, o destino do Universo está nas mãos dessa partícula ou, mais precisamente, no valor de sua massa. Tudo começa na cozinha, que é um excelente laboratório. Como sabemos, as propriedades de uma substância, como a água, dependem de sua temperatura: muito frio, a água congela; muito quente, evapora. Essas mudanças são conhecidas como transições de fase. Surpreendentemente, o próprio Universo --ou a matéria nele--passou por ao menos uma ou duas transições de fase. E talvez possa passar por mais uma. A história cósmica começa no Big Bang, que marca o início do tempo. Logo após o "bang", o espaço começou a crescer feito um balão, e a matéria nele se resfriou. Voltando à cozinha, vemos que a expansão do Universo funciona como uma geladeira, fazendo a temperatura bai…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...