Sistema estelar 'revela Canibalismo Cósmico

Imagem de Circinus X-1, que fica cerca de 24.000 mil anos-luz da Terra, na constelação Circinus. Crédito: X-ray: NASA / CXC / Univ. de Wisconsin-Madison / S. Heinz et al; Óptico: DSS; Radio: CSIRO / ATNF / ATCA
 
Circinus X-1 pode parecer um lugar sereno de longe, mas na realidade esta nebulosa gasosa é um local bastante movimentado. Dentro da nebulosa está uma estrela de nêutrons, que também é uma sobra da supernova que produziu o gás. Não só isso, mas a estrela de nêutrons tem uma companheira e de fato a “canibaliza”.  Circinus X-1 é excitante para os astrônomos porque demonstra como os sistemas são nos primeiros estágios após uma explosão de supernova. A nebulosa é uma criança em termos cósmicos, com um limite superior para a sua idade de apenas 4.500 anos.
 
“O fato de que nós temos essa remanescente, juntamente com a estrela de nêutrons e sua companheira significa que podemos testar todos os tipos de coisas”, afirmou Sebastian Heinz, professor de astronomia na Universidade de Wisconsin-Madison, que liderou a pesquisa. “Nossas observações resolvem uma série de quebra-cabeças, tanto sobre este objeto quanto a maneira como as estrelas de nêutrons evoluem depois que elas nascem. Por exemplo, a incomum órbita elíptica em que estas duas estrelas giram em torno uma da outra é exatamente o que você poderia esperar de um muito jovem binário de raios-X. “ Binários de raios-X são normalmente feitos em cima de um buraco negro ou uma estrela de nêutrons em companhia de uma estrela “normal”, como o nosso sol.
 
 Essa estrela não vai ficar normal para sempre, no entanto, já que ela está sujeita à gravidade muito intensa proveniente do buraco negro ou da estrela de nêutrons. No caso de Circinus X-1, parte de sua matéria está sendo puxada e aquecida, emitindo radiação em raios-X que são facilmente rastreáveis em todo o universo. Estudar este sistema estelar poderia não apenas ensinar os cientistas sobre a evolução estelar, mas sobre a natureza de estrelas de nêutrons. Uma coisa intrigante é que a estrela de nêutrons tem um campo magnético fraco, o que está de encontro com a teoria estabelecida. Mais estudos serão necessários para descobrir por que ele não é tão forte como o esperado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton