Postagens

Mostrando postagens de Abril 9, 2013

Simulação de computador revela os segredos por trás dos braços das galáxias em espiral

Imagem
O formato espiral da Via Láctea é formado por seis partes: núcleo, bulbo central, disco, os braços espirais, o componente esférico e o halo. A falta de informações sobre os braços espirais da galáxia frustravam os astrônomos. No entanto, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Wisconsin-Madison e do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian criaram recentemente uma simulação de computador capaz de resolver antigas questões sobre a origem e a história da formação dos braços espirais. Os cientistas construíram uma nova simulação computacional para estudar os movimentos de 100 milhões de "partículas estelares", avaliando como a gravidade e as outras forças astrofísicas vão esculpindo o formato de uma galáxia. O Sol vive em um dos braços da Via Láctea, mais precisamente no Braço de Órion, portanto questões sobre a formação e o tempo de durabilidade dos braços de uma galáxia são importantes. "Nós mostramos pela primeira vez que os braços espirais estelares não…

Restante atmosfera marciana ainda dinâmica

Imagem
Descobertas recentes do rover Curiosity da NASA indicam que Marte perdeu muito da sua atmosfera original, mas a que resta continua bastante activa. Membros da equipa do rover relataram ontem diversos resultados na Assembleia-Geral da União Europeia de Geociências em Viena, Áustria. Esta imagem mostra os primeiros buracos perfurados pelo rover Curiosity da NASA, com pequenos aglomerados de rocha "triturada" e recolhida, e mais tarde descartada após outras porções da amostra terem sido entregues aos instrumentos analíticos dentro do rover.Crédito: NASA/JPL-Caltech/MSSS Surgiram este mês fortes evidências de que Marte perdeu muito da sua atmosfera original por um processo de gás que escapa do topo da atmosfera. O instrumento SAM (Sample Analysis at Mars) do Curiosity analisou uma amostra da atmosfera a semana passada usando um processo queconcentra gases seleccionados. Os resultados forneceram as medições mais precisas já obtidas de isótopos de árgon na atmosfera marciana. Os isó…

Hubble detecta supernova que explodiu há mais de 10 bilhões de anos

Imagem
O telescópio espacial Hubble quebrou o recorde na busca da supernova mais distante ao detectar uma que explodiu há mais de 10 bilhões de anos - fato ocorreu no começo do Universo, que tem cerca de 13,8 bilhões de anos. A SN UDS10Wil, apelidada de SN Wilson, pertence a uma classe especial de supernovas (do tipo 'Ia supernovae') que é muito usada pelos astrônomos para medir a expansão do espaço, pois gera um nível constante de brilho e ainda dá pistas sobre a energia escura, a misteriosa força que explica esse crescimento do cosmos. Fonte:UOL

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...