A cauda azul de uma galáxia espiral


Hubble and Chandra composite of ESO 137-001
A galáxia espiral ESO 137-001 vaga através aglomerado maciço de galáxias Abell 3627 a cerca de 220 milhões de anos -luz de distância . A galáxia distante é vista nesta imagem colorida composta com dados obtidos pelo Hubble e pelo Chandra entre as estrelas de primeiro plano da Via Láctea na direção da constelação no meio de um primeiro plano de estrelas da Via Láctea na direção da constelação de Triangulum Australa. À medida que a espiral acelera a quase 7 milhões de quilômetros por hora , o seu gás e a sua poeira são  arrancados quando encontram a pressão de calor do próprio aglomerado, o tênue meio do aglomerado vence a gravidade da galáxia. Evidente nos dados perto da luz visível, do Huubble, pode-se ver brilhantes aglomerados estelares se formando no material que é arrancado, criando os rastros azuis. Os dados de Raios-X do Chandra mostram enormes extensões de gás arrancado aquecido, como difusas trilhas azuis que se estendem por cerca de 400 mil anos-luz, em direção ao canto inferior esquerdo da imagem. A perda significante de gás e poeira fará com que a formação de novas estrelas seja algo difícil de ocorrer nessa galáxia. Uma galáxia elíptica amarelada, carente de estrelas em formação e de poeira e gás, aparece logo a direita da galáxia ESO 137-001 no frame acima.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton