Ponto brilhante em Ceres tem companheiros mais apagados

Esta imagem do planeta anão Ceres foi capturada pela sonda Dawn da NASA no dia 19 de Fevereiro a uma distância de 46.000 quilómetros. Mostra que a mancha mais brilhante de Ceres tem uma companheira mais ténue, que aparentemente está situada na mesma bacia. Crédito: NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA


O planeta anão Ceres continua a intrigar os cientistas à medida que a sonda Dawn da NASA se aproxima para ser capturada e entrar na órbita ao redor do objeto. As últimas imagens feitas pela Dawn, foram obtidas a cerca de 46000 quilômetros de Ceres, e revelaram que um ponto brilhante que havia se destacado em imagens prévias localiza-se próximo a outra área brilhante. O ponto brilhante de Ceres pode agora ser visto como tendo um companheiro menos brilhantes, mas aparentemente na mesma bacia. Isso pode estar apontando para uma origem parecida com vulcânica dos pontos, mas nós teremos que esperar para imagens com melhor resolução para que possamos fazer melhores interpretações geológicas”, disse Chris Russell, principal pesquisador da sonda Dawn, baseado na Universidade da Califórnia em Los Angeles.

Usando o seu sistema de propulsão de íons, a sonda Dawn entrará na órbita ao redor de Ceres, no dia 6 de Março de 2015. Enquanto os cientistas receberão imagens cada vez melhores do planeta anão nos próximos 16 meses, eles ganharão um entendimento muito mais profundo da sua origem e da sua evolução estudando sua superfície. Os intrigantes pontos brilhantes e outras feições interessantes desse mundo maravilhoso ficarão cada vez mais nítidas quando a sonda estiver próxima do objeto.
Estas imagens do planeta anão Ceres, processadas para melhorar a nitidez, foram obtidas no passado dia 19 de Fevereiro, a uma distância de mais ou menos 46.000 quilómetros, pela sonda Dawn. A Dawn observou uma rotação completa de Ceres, que demora aproximadamente nove horas.  Crédito: NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA


“O ponto mais brilhante continua muito pequeno para ser resolvido com a nossa câmera, mas apesar de seu tamanho, ele é mais brilhante do que qualquer outra feição em Ceres. Isso é inesperado e nos intriga ainda”, disse Andreas Nathues, pesquisador líder para a equipe da Framing Camera no Instituto Max Planck for Solar System Research em Gottingen, na Alemanha. A sonda Dawn visitou o gigantesco asteroide Vesta de 2011 a 2012, entregando mais de 30000 imagens do corpo juntamente com muitas outras medidas e fornecendo ideias sobre sua composição e sobre sua história geológica. Vesta tem um diâmetro médio de 525 quilômetros, enquanto que Ceres, tem um diâmetro médio de 950 quilômetros.


Vesta e Ceres são os dois corpos mais massivos do cinturão de asteroides localizado entre Marte e Júpiter. A missão Dawn é gerenciada pelo JPL para o Science Mission Directorate da NASA em Washington. A sonda Dawn é um projeto do Discovery Program do directorate gerenciado pelo Marshall  Space Flight Center da NASA em Huntsville, no Alabama. A UCLA é responsável pela missão científica geral da Dawn. A empresa Orbital ATK, Inc., em Dulles, Virginia, desenhou e construiu a sonda. A German Aerospace Center, o Max Planck Institute for Solar System Research, a Italian Space Agency e o Italian National Astrophysical Institute são os parceiros internacionais na equipe da missão.
Fonte: http://dawn.jpl.nasa.gov



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton