Como seria viver nas luas de Úrano

Como seria viver nas luas de Úrano
Úrano seria um difícil de habitar, mas as suas luas contam uma história diferente. Saiba como seria viver em Titânia e Miranda, as duas maiores luas de Urano.

Ao todo, Úrano tem 27 luas conhecidas, e os seus cinco maiores satélites são muitas vezes consideradas grandes luas. Se quiséssemos estabelecer bases permanentes em satélites de Úrano, Titânia e Miranda seriam os alvos principais. Titânia apresenta a gravidade mais forte (quase 4% da Terra), e Miranda tem uma superfície madura para a exploração. Uma vez que a Voyager 2 foi a única nave espacial a visitar o sistema de Úrano, ainda não sabemos muito sobre as luas do planeta.

Quando a Voyager 2 passou por lá, em 1986, era inverno e escuro em todo o hemisfério norte de todas as luas, por isso, só se podia ver uma parte dos seus hemisférios sul. Assim, verificou-se que o hemisfério sul de Titânia tem inúmeras crateras e acidentes geográficos tectónicos, incluindo canyons e falhas, alguns dos quais poderiam ser locais interessantes para visitar.  A maior cratera tem cerca de 326 km de diâmetro, e o seu maior canyon estende-se por 1.500 km, desde o seu equador quase até ao seu pólo sul. Por outro lado, a superfície de Miranda é extremamente variada e confusa, assemelhando-se a um puzzle que não foi feito corretamente. Ela também tem planícies com crateras que são cruzadas por enormes canyons e falhas.

Alguns dos penhascos de Miranda são cerca de 12 vezes mais profundos do que o Grand Canyon. Por causa da baixa gravidade de Miranda (menos de 1% da Terra), uma pedra que caísse do topo do penhasco levaria cerca de 10 minutos para chegar ao fundo. Estas falhas poderiam proporcionar grande diversão aos aventureiros. Todas as luas de Úrano são desprovidas de meteorologia, de cores do céu e de pressão à superfície uma vez que as atmosferas não existem. Elas também são muito frias: a temperatura média de Titânia, por exemplo, é de cerca de menos 203 graus Celsius. Além do frio mortal, não se sabe ainda que tipo de perigos poderíamos encontrar nessas luas.

Poderiam haver lunemotos (tremores de terra nas luas), bem como criovulcanismo que poderia agitar o chão. A intensa radiação de partículas carregadas produzidas pela magnetosfera de Úrano também poderia representar um problema, especialmente se você vivesse no lado das luas de costas para o planeta (o mesmo lado de Titânia e Miranda está sempre voltado para Úrano).

Titânia leva quase nove dias terrestres para girar sobre o seu eixo, enquanto Miranda leva cerca de 1,4 dias. Se você vivesse no equador destas luas, você poderia experimentar um ciclo dia-noite "normal", mas o mesmo não é verdade para os pólos. Ao contrário de outros planetas do sistema solar, Úrano tem uma inclinação axial de cerca de 98 graus. Isto significa que durante os 84 anos terrestre que o planeta demora a dar uma volta ao sol, os pólos de Úrano e as suas luas passam por 42 anos de luz solar, seguido por 42 anos de escuridão total. Se você olhasse para o sol em Titânia ou Miranda, ele iria parecer um pequeno disco e não um ponto de luz.

E se você estivesse no lado das luas que estão de frente para Úrano, o planeta seria enorme - teria cerca de 41 vezes o tamanho da nossa lua em Miranda, e cerca de metade desse tamanho a partir de Titânia. Você também poderia ver as outras grandes luas de Úrano a partir da superfície de Titânia e Miranda. E se você quisesse enviar um e-mail com uma foto de Úrano ou das suas luas para os seus amigos e familiares que vivessem na Terra, teria que ser através de sinal de rádio que levaria, em média, cerca de 2,5 horas até chegar ao nosso planeta.
Fontes: Ciência Online.net


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton